Ano 2013 - Volume 33, Número 2


Título
Avaliação das concentrações séricas de paratormônio intacto em gatos com doença renal crônica, 33(2):229-235
Autores

Resumo
RESUMO.- Giovaninni L.H., Kogika M.M., Lustoza M.D., Reche Jr A., Wirthl V.A.B.F., Simões D.M.N. & Coelho B.M. 2013. Serum intact parathyroid hormone levels in cats with chronic kidney disease. [Avaliação das concentrações séricas de paratormônio intacto em gatos com doença renal crônica.] Pesquisa Veterinária Brasileira 33(2):229-235. Departamento de Clínica Médica, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva 87, São Paulo, SP 05508-270, Brazil. E-mail: lucianohq@usp.br

A doença renal crônica (DRC) em gatos é frequentemente observada e caracteriza-se como alteração multissistêmica, causada por alterações metabólicas, e o hiperparatireoidismo secundário renal (HPTSR) seria o mais comum e usualmente está associada com progressão da doença renal e mau prognóstico. Esse estudo teve como objetivo determinar a frequência do HPTSR, e discutir os possíveis mecanismos que podem contribuir para o desenvolvimento de SRHPT em gatos em diferentes estágios de DRC, pela avaliação do metabolismo do cálcio e fósforo, bem como do equilíbrio ácido-base. Quarenta gatos com DRC foram divididos em três subgrupos, de acordo com a classificação proposta pela International Renal Interest Society (IRIS), Estágio II (n=12), Estágio III (n=22) e Estágio IV (n=6). O grupo-controle foi composto por 21 gatos clinicamente saudáveis. O aumento das concentrações séricas de paratormônio intacto (PTHi) foi observado na maioria dos casos, mas principalmente no Estágio IV, no qual a hiperfosfatemia e a hipocalcemia ionizada parecem estar associadas ao desenvolvimento do HPTSR. No entanto, nos Estágios II e III, observou-se hipercalcemia ionizada, sugerindo que, nestes estágios, o desenvolvimento do HPTSR possa estar associado a outros fatores, e a acidose metabólica pode estar envolvida com o desenvolvimento de hipercalcemia ionizada. Assim, outros fatores, além da hiperfosfatemia e da hipocalcemia ionizada, possam estar envolvidos com o desenvolvimento do HPTSR, principalmente nos estágios iniciais da DRC. Futuros estudos são necessários para uma melhor compreensão da fisiopatologia do HPTSR em gatos.
Download / Visualização