Ano 2013 - Volume 33, Número 6


Título
Fasciolose aguda em bovinos no Sul do Brasil, 33(6):705-709
Autores

Resumo
RESUMO.- Adrien M.L., Schild A.L., Marcolongo-Pereira C., Fiss.L., Ruas J.L., Grecco F.B. & Raffi M.B. 2013. Acute fasciolosis in cattle in southern Brazil. [Fasciolose aguda em bovinos no Sul do Brasil.] Pesquisa Veterinária Brasileira 33(6):705-709. Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário s/n, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: alschild@terra.com.br

Descrevem-se os aspectos epidemiológicos e patológicos de um surto de fasciolose aguda diagnosticado em bovinos na região sul do Rio Grande do Sul. De um lote de 70 vacas de três anos de idade 15 apresentaram perda de peso 30-40 dias antes da parição. Dessas, 10 vacas abortaram e 5 morreram. Os sinais clínicos caracterizaram-se por diarreia, fraqueza, anemia discreta e icterícia. Na necropsia havia líquido escuro na cavidade abdominal. Na cavidade torácica havia fibrina e coágulos de sangue aderidos ao pericárdio e pulmões, principalmente nos lobos diafragmáticos. O fígado estava aumentado de tamanho e a superfície capsular estava irregular com áreas claras e petéquias. A superfície de corte estava irregular, firme e edematosa e podiam ser observadas estrias hemorrágicas através do parênquima. Áreas de fibrose e trombos esbranquiçados ocluindo vasos sanguíneos foram, também, observados. Os fígados das 10 vacas que não morreram foram condenados no abate por lesões de fasciolose similares às observadas na necropsia. Microscopicamente, o fígado apresentava áreas de necrose de coagulação, focos de hemorragia acentuada e desorganização do parênquima com acentuada infiltração de neutrófilos e eosinófilos. Havia, ainda, fibrose e hiperplasia de células de ductos biliares. Formas imaturas de Fasciola hepatica foram observadas no parênquima rodeadas por hepatócitos em degeneração, neutrófilos e eosinófilos, e hemorragia. O surto ocorreu em uma propriedade localizada em uma área endêmica para a fasciolose, embora a forma aguda da enfermidade não seja frequente em bovinos nesta região. É provável que as vacas tenham se infectado pelas metacercárias liberadas do hospedeiro intermediário no final do outono ou no início da primavera na resteva de arroz onde foram colocadas antes da parição. Embora mortalidade em bovinos devido à fasciolose seja infrequente, surtos podem ocorrer e a utilização de fasciolicidas eficientes para controlar as formas imaturas ou adultas deste parasita devem ser administradas aos bovinos para evitar eventuais perdas econômicas.
Download / Visualização