Ano 2013 - Volume 33, Número 8


Título
Efeitos do jejum e da realimentação sobre as funções metabólicas da tartaruga Kinosternon scorpioides (Linnaeus, 1766) criada em cativeiro, 33(8):1041-1044
Autores

Resumo
RESUMO.- Oliveira A.S., Candioto C.G., Santos D.M.S., Pereira J.G., Sousa A.L. & Machado C.R. 2013. Effects of fasting and refeeding on the metabolic functions of the turtle Kinosternon scorpioides (Linnaeus, 1766) raised in captivity. [Efeitos do jejum e da realimentação sobre as
funções metabólicas da tartaruga Kinosternon scorpioides (Linnaeus, 1766) criada em cativeiro.] Pesquisa Veterinária Brasileira 33(8):1041-1044. Departamento das Clínicas do Curso de Medicina Veterinária, Universidade Estadual do Maranhão, Cidade Universitária Paulo VI, Tirirical, São Luís, MA 65050-150, Brazil. E-mail: antonia.santos3283@terra.com.br

Neste tra-
balho foi avaliada as respostas metabólicas da tartaruga Kinosternon scorpioides criada em cativeiro, nas fases, adultos e jovens nos estados: alimentado, jejuado e realimentado. O estudo compreendeu dois experimentos: (a) mudanças metabólicas no sangue causadas por privação alimentar e realimentação e (b) diferenças nas concentrações de glicogênio e lipídeos totais no fígado e no músculo após jejum e realimentação. No experimento dos animais jovens a concentração de glicose no sangue apresentou mudanças significativas. Entretanto, nos dois experimentos esse metabólito reduziu significativamente aos 30 dias de jejum. Realimentados por um período de 15 dias foi observado que a concentração de glicose não recuperou os níveis de pré-jejum. Concentração de glicose no sangue de animais jovens foi mais suscetível à privação de alimentos. Em ambos os grupos os metabólitos analisados decresceu após 30 dias de jejum. Retomando a alimentação por 15 dias foi observado que a concentração de glicose não recuperou. As concentrações de proteínas séricas totais não foram afetadas pela privação alimentar. O jejum decresceu a concentração de uréia no sangue e a maior diferença ocorreu aos 30 dias. O ácido úrico decresceu nos animais jovens após 60 dias de jejum. O triacilglicerol diminuiu após 15 dias de jejum e a realimentação por 15 dias recuperou os níveis de pré-jejum. O glicogênio hepático diminuiu aos 15 dias de jejum, e estabilizou a partir daí, enquanto o glicogênio muscular diminuiu a um ritmo mais lento. O lipídio total hepático total se manteve estável até os 30 dias de jejum, diminuindo até 70% aos 60 dias de jejum. E, em seguida, diminuiu 70% após 60 dias de jejum. Os lipídeos musculares permaneceram estáveis durante o jejum. Conclui-se que o jejum na espécie Kinosternon scorpioides apresentou adaptações metabólicas semelhantes aos relatados para outros répteis e peixes.
Download / Visualização