Ano 2013 - Volume 33, Número 12


Título
Detecção de genes associados à virulência em cepas de Salmonella Enteritidis isoladas de frangos na região sul do Brasil, 33(12):1416-1422
Autores

Resumo
RESUMO.- Borges K.A., Furian T.Q., Borsoi A., Moraes H.L.S., Salle C.T.P. & Nascimento V.P. 2013. Detection of virulence-associated genes in Salmonella Enteritidis isolates from chicken in Southern Brazil. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(12):1416-1422. Centro de Diagnóstico e Pesquisa em Patologia Aviária, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Avenida Bento Gonçalves 8824, Porto Alegre, RS 91540-000, Brazil. E-mail: karen.borges@ufrgs.br

Salmonella spp. estão entre os principais agentes causadores de doenças transmitidas por alimentos, e o sorovar Salmonella Enteritidis é o mais frequentemente isolado no mundo. A virulência de Salmonella spp. e a sua interação com o hospedeiro são processos complexos que envolvem fatores de virulência para sobreviver às defesas do hospedeiro. O objetivo deste estudo foi detectar genes de virulência em cepas de S. Enteritidis isoladas a partir de fontes avícolas no sul do Brasil. Ensaios de PCR foram desenvolvidos para a detecção de nove genes (lpfA, agfA, sefA, invA, hilA, avrA, sopE, sivH e spvC) associados à virulência em oitenta e quatro amostras de S. Enteritidis. Os genes invA, hilA, sivH, sefA e avrA estavam presentes em 100% dos isolados; lpfA e sopE estavam presentes em 99%; agfA em 96%; e o gene spvC estava presente em 92%. Foi possível caracterizar os isolados em quatro perfis genéticos distintos (P1, P2, P3 e P4), sendo P1 positivo para todos os genes; P2 negativo apenas para spvC; P3 negativo para agfA e P4 negativo para lpfA, spvC e sopE. O perfil de maior frequência foi P1, presente em 88% dos isolados. Apesar de todos os isolados pertencerem ao mesmo sorovar, foi possível observar variações na presença de genes associados à virulência entre os mesmos. A caracterização dos mecanismos de virulência circulantes na população de Salmonella Enteritidis é importante para um maior entendimento da sua biologia e patogenicidade. A frequência destes genes e o estabelecimento de perfis genéticos podem ser utilizados para determinar os padrões de virulência dos isolados. Estes padrões, associados a estudos in vivo, podem auxiliar na elaboração de ferramentas que permitam predizer a capacidade de virulência das diferentes cepas.
Download / Visualização