Ano 2014 - Volume 34, Número 1


Título
A importância de Leptospira interrogans sorovariedades Icterohaemorrhagiae e Canicola na zona litorânea e nos campos sulinos do Rio Grande do Sul, 34(1):34-38
Autores

Resumo
RESUMO.- Silva F.J., Santos C.E.P., Silva G.C.P., Santos R.F., Curci V.C.M. & Mathias L.A. 2014. The importance of Leptospira interrogans serovars Icterohaemorrhagiae and Canicola in coastal zone and in southern fields of Rio Grande do Sul, Brazil. [A importância de Leptospira interrogans sorovariedades Icterohaemorrhagiae e Canicola na zona litorânea e nos campos sulinos do Rio Grande do Sul.] Pesquisa Veterinária Brasileira 34(1):34-38. Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Reprodução Animal, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias de Jaboticabal, Universidade Estadual Paulista, Via de Acesso Professor Paulo Donato Castellane s/n, Jaboticabal, SP 14884-900, Brazil. E-mail: fjsepi@gmail.com

O presente estudo teve como objetivo descrever a ocorrência de Leptospira interrogans sorovariedades Icterohaemorrhagiae e Canicola, na zona litorânea e nos campos sulinos do Estado do Rio Grande do Sul. Em cada uma das quatro propriedades foram realizadas colheitas de sangue de animais selvagens de vida livre, de animais domésticos e de seres humanos para realização de sorologia para leptospirose. A presença de anticorpos foi verificada pela técnica de Soroaglutinação Microscópica (SAM). O critério adotado para considerar um soro como reagente foi aglutinação de pelo menos 50% das leptospiras no campo microscópico no aumento de 100x. Das 17 amostras de sangue colhidas na propriedade pertencente ao Município de Chuí, cinco (29,41%) foram positivas, três (60,00%) à sorovariedade Icterohaemorrhagiae e duas (40,00%) à Canicola. Das 21 amostras colhidas em Santana da Boa Vista, seis (28,57%) foram positivas, quatro (66,67%) à Canicola e duas (33,33%) à Icterohaemorrhagiae. Das 32 amostras colhidas em Alegrete, 10 (31,25%) foram positivas, sete (70,00%) à Icterohaemorrhagiae e três (30,00%) à Canicola. Das 17 amostras colhidas em Cruz Alta, três (17,64%) foram positivas, duas (66,67%) à Icterohaemorrhagiae e uma (33,33%) à Canicola. É necessário melhorias nas práticas sanitárias em propriedades rurais do Estado do Rio Grande do Sul, a fim de se obter sucesso em programas locais de controle da leptospirose.
Download / Visualização