Ano 2014 - Volume 34, Número 1


Título
Desempenho de novilhas leiteiras em pastagem de capim-Xaraés (Brachiaria brizantha cv. Xaraés) suplementadas com dois tipos de misturas minerais, 34(1):46-50
Autores

Resumo
RESUMO.- Carvalho C.A.B., Peres A.A.C., Premazzi L.M., Malafaia P., Carvalho M.I.A.B., Paciullo D.S.C. & Costa V.A.C. 2014. Performance of dairy heifers raised on Xaraés palissadgrass (Brachiaria brizantha cv. Xaraés) pasture supplemented with two types of mineral mixture. [Desempenho de novilhas leiteiras em pastagem de capim-Xaraés (Brachiaria brizantha cv. Xaraés) suplementadas com dois tipos de misturas minerais.] Pesquisa Veterinária Brasileira 34(1):46-50. Departamento de Nutrição Animal e Pastagem, Instituto de Zootecnia, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, RJ 23851-970, Brazil. E-mail: malafaia_ufrrj@yahoo.com.br

Foram avaliados os efeitos da suplementação mineral seletiva (i.e. aquela feita com base no exame clínico-nutricional do rebanho) ou comercial sobre o desempenho de novilhas leiteiras Holandês-Mantiqueira, com base em seus ganhos de peso diários (GMD), escores da condição corporal (ECC), idades à primeira cobertura (IPC) e consumos de mistura mineral (CMM), criadas em pastagem de capim-Xaraés (Brachiaria brizantha cv. Xaraés), no período de fevereiro de 2006 a março de 2008. Foram também avaliadas as características estruturais do pasto, oferta e valor nutritivo da forragem. Durante todo período experimental (730 dias), nenhum sinal de deficiência mineral foi detectado nas novilhas que ingeriram o suplemento seletivo. As variáveis estruturais do pasto, as ofertas e o valor nutritivo da forragem, além do GMD, somente foram influenciadas (p<0,05) pela estação do ano, com maiores e melhores resultados obtidos para a primavera e verão. O GMD e a IPC não foram influenciados pela mistura mineral ofertada (0,52 e 0,33 kg/dia durante a primavera/verão e outono/inverno para GMD, respectivamente, e 813 dias de IPC). O CMM foi maior para mistura mineral comercial que para seletiva (61,6 e 51,0g/UA/dia, respectivamente). O ECC foi superior para mistura mineral seletiva (3,17) que para comercial (3,02). Esta suplementação mineral seletiva foi uma estratégia que permitiu evitar o aparecimento de estados carenciais no rebanho e obter desempenho similar e com menor custo quando comparada com a suplementação mineral comercial.
Download / Visualização