Ano 2014 - Volume 34, Número 8


Título
Surto de criptosporidiose em bezerros no Sul do Rio Grande do Sul, 34(8):749-752
Autores

Resumo
RESUMO.- Vargas Jr S.F., Marcolongo-Pereira C., Adrien M.L., Fiss L., Molarinho K.R., Soares M.P., Schild A.L. & Sallis E.S.V. 2014. [Outbreak of cryptosporidiosis in calves in Southern Brazil.] Surto de criptosporidiose em bezerros no Sul do Rio Grande do Sul. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(8):749-752. Laboratório Regional de Diagnóstico, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal de Pelotas, Campus Universitário s/n, Pelotas, RS 96010-900, Brazil. E-mail: esvsallis@yahoo.com.br

Descrevem-se os aspectos epidemiológicos, sinais clínicos e a patologia de um surto de criptosporidiose em bezerros na região Sul do Rio Grande do Sul. De um lote de 400 bezerros de 30-45 dias de idade, 35 adoeceram e 16 morreram. Os bezerros nasciam fracos e logo após o nascimento apresentavam diarreia amarela, emagrecimento progressivo, desidratação, depressão e morte entre 10 e 15 dias após o início dos sinais clínicos. Na necropsia havia congestão dos vasos sanguíneos intestinais e mesentéricos. Havia distensão intestinal por gás e dilatação de vasos linfáticos. Microscopicamente havia achatamento das vilosidades intestinais, com necrose e atrofia. Aderidas à superfície das células epiteliais das vilosidades, havia estruturas puntiformes basofílicas de 2-5µm de diâmetro compatíveis com Cryptosporidium spp. A microscopia eletrônica revelou a presença de diferentes estágios do agente aderidos às microvilosidades de enterócitos. Alerta-se para a importância da criptosporidiose como agente primário de diarreia em bezerros. São necessárias medidas preventivas no que se refere ao manejo para diminuir as perdas econômicas e a contaminação ambiental, e, ainda, diminuir o risco para a saúde pública.
Download / Visualização