Ano 2014 - Volume 34, Número 11


Título
Monitoramento de ciclo estral em catetos (Pecari tajacu) criados em cativeiro em condições semiáridas, 34(11):1115-1120
Autores

Resumo
RESUMO.- Maia K.M., Peixoto G.C.X., Campos L.B., Bezerra J.A.B., Ricarte A.R.F., Moreira N., Oliveira M.F. & Silva A.R. 2014. Estrus cycle monitoring of captive collared peccaries (Pecari tajacu) in semiarid conditions. [Monitoramento de ciclo estral em catetos (Pecari tajacu) criados em cativeiro em condições semiáridas.] Pesquisa Veterinária Brasileira 34(11):1115-1120. Laboratório de Conservação de Germoplasma Animal, Universidade Federal Rural do Semi-Árido, BR-110 Km 47, Presidente Costa e Silva, Mossoró, RN 59625-900, Brazil. E-mail: legio2000@yahoo.com

Os catetos (Peccary tajacu) estão entre as espécies mais caçadas na América Latina devido a apreciação de seu couro e carne. No intuito de otimizar o manejo produtivo de catetos nascidos em cativeiro sob condições semiáridas, o objetivo foi descrever e correlacionar as modificações verificadas no padrão ultrassonográfico ovariano, o perfil hormonal, a aparência vulvar, e a citologia vaginal durante o ciclo estral nesta espécie. Durante 45 dias, fêmeas (n=4) foram submetidas a coleta de sangue destinado a dosagem hormonal por meio de teste imuno-enzimático (EIA). Na mesma ocasião, foram conduzidas a avaliação da genitália externa, a ultrassonografia ovariana e a citologia vaginal. Os resultados são apresentados com média e desvio padrão De acordo com a dosagem hormonal, foram identificados seis ciclos estrais, com duração 21,0±5,7 dias, sendo em média 6 dias de fase estrogênica e 15 dias de fase progesterônica. O estrógeno apresentou valores médios de pico de 55,6±20,5pg/mL. Durante a fase luteal, os valores mais altos alcançados pela progesterona foram 35,3±4,4ng/mL. A presença de muco vaginal, mucosa vaginal hiperêmica e separação dos lábios vulvares foi identificada em todos os animais durante o pique estrogênico. Por meio da ultrassonografia, folículos ovarianos medindo 0,2±0,1cm foram visualizados durante o pique estrogênico. Corpos lúteos apresentando regiões hiperecóicas medindo 0,4±0,2 cm foram identificados na fase luteal. Nenhuma diferença significativa (P>0,05) entre as proporções de células epiteliais vaginais foram identificadas quando comparadas as fases estrogênica e progesterônica. Em conclusão, fêmeas de cateto, nascidas em cativeiro sob condições semiáridas, apresentam um ciclo estral que dura 21,0±5,7 dias, com sinais de estro caracterizados por edema de lábios vulvares e hiperemia da mucosa vaginal, coincidindo com desenvolvimento de folículos ovarianos e elevados níveis de estrógeno.
Download / Visualização