Ano 2014 - Volume 34, Número 12


Título
Prevalência, distribuição espacial e fatores de risco para cisticercose bovina no estado de São Paulo, 34(12):1181-1185
Autores

Resumo
RESUMO.- Ferreira M.M., Revoredo T.B., Ragazzi J.P., Soares V.E., Ferraldo A.S., Lopes W.D.Z. & Mendonça R.P. 2014. [Prevalence, spatial distribution and risk factors for cattle cysticercosis in the state of São Paulo, Brazil.] Prevalência, distribuição espacial e fatores de risco para cisticercose bovina no estado de São Paulo. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(12):1181-1185. Curso de Medicina Veterinária, Faculdade Dr. Francisco Maeda, Rodovia Jerônimo Nunes Macêdo Km 1, Ituverava, SP 14500-000, Brazil. E-mail: wdzlopes@hotmail.com

O presente trabalho teve como objetivos determinar a prevalência, a distribuição geográfica bem como os fatores e áreas de risco associados à cisticercose bovina no Estado de São Paulo. Foram inspecionados 34.443 animais, machos e fêmeas e com faixas etárias variando entre 18 a 60 meses. Os bovinos eram procedentes de 97 municípios do Estado de São Paulo, devidamente identificados e abatidos no período de outubro de 2010 a agosto de 2011, em um frigorífico localizado na cidade de Ipuã-SP, sob supervisão do SIF 1387. O estado de São Paulo foi dividido em núcleos regionais, e os dados dos municípios pertencentes ao respectivo núcleo, foram agrupados, conforme a Secretaria de Abastecimento e Agropecuária de São Paulo, totalizando 13 núcleos estudados. Com base nos resultados encontrados, pode-se concluir que dos 97 municípios analisados, foi possível encontrar bovinos positivos para a enfermidade em questão em 86. A prevalência média de cisticercose bovina no estado de São Paulo foi de 4,80%, sendo que os núcleos de Franca e Barretos foram os que tiveram maior número de casos da enfermidade durante o período analisado. Além disso, o maior número de casos nestes núcleos coincidiu com o menor índice de desenvolvimento humano referente à educação, com a maior área de plantio de café (núcleo de Franca) e também como a maior área de cana-de-açúcar cultivada (núcleo de Barretos) nestes locais, o que por sua vez pode indicar que a presença da mão-de-obra temporária no meio rural, aliado a aspectos socioeconômico/cultural, pode estar contribuindo para a disseminação e estabelecimento da cisticercose bovina nestas áreas.
Download / Visualização