Ano 2014 - Volume 34, Número 1001


Título
Perfil metabólico ruminal e pH abomasal em ovinos tratados com ranitidina por via intravenosa, 34(Supl.1):17-22
Autores

Resumo
RESUMO.- Morgado A.A., Nunes G.R., Martins A.S., Hagen S.C.F., Rodrigues P.H.M. & Sucupira M.C.A. 2014. Metabolic profile and ruminal and abomasal pH in sheep subjected to intravenous ranitidine. [Perfil metabólico ruminal e pH abomasal em ovinos tratados com ranitidina por via intravenosa.] Pesquisa Veterinária Brasileira 34(Supl.1):17-22. Departamento de Clínica Médica, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva 87, São Paulo, SP 05508 270, Brazil. E-mail: aline.morgado@usp.br

A ovinocultura brasileira tem se intensificado, o que predispõe os animais à maior incidência de transtornos digestivos, como a úlcera de abomaso. A ranitidina é utilizada na prevenção e tratamento desta afecção, no entanto há pouca informação sobre a indicação parenteral deste fármaco para ruminantes adultos. São escassas as informações a respeito das alterações metabólicas e do comportamento do sistema digestório associados ao seu uso. Para este estudo foram utilizados cinco ovinos, machos, hígidos, providos de cânula ruminal e abomasal. O delineamento foi Quadrado Latino 5x5 com arranjo fatorial de tratamentos 2x2+1. Os ovinos tratados com as doses de 1 e 2mg/kg de ranitidina administrada por via intravenosa a cada 8 ou 12 horas foram comparados aos animais do grupo controle, tratados por via intravenosa com 1mL de solução fisiológica por 25 kg a cada 12 horas. Maiores concentrações de proteína total e hemoglobina, maiores atividades de AST e aumento do pH abomasal por até 150 minutos foram observados em todos os animais que receberam o fármaco, independentemente de dose e frequência. Os animais tratados a cada 12 horas mostraram diminuição do número de leucócitos comparados aos animais tratados a cada 8 horas e aos animais do grupo controle. Observou-se aumento das concentrações de creatinina nos animais tratados a cada 8 horas. Os tratamentos 1mg/kg a cada 8 horas e 2mg/kg a cada 12 horas aumentaram o número de hemácias e diminuíram as concentrações séricas de pepsinogênio. Todos os protocolos estudados foram seguros para ovinos sadios, porém 1mg/kg de ranitidina a cada 8 horas e 2mg/kg a cada 12 horas mostraram-se mais eficientes quanto à proteção gástrica.
Download / Visualização