Ano 2014 - Volume 34, Número 1001


Título
Ultrassonografia abdominal modo B e Doppler em cachorros-do-mato (Cerdocyon thous), 34(Supl.1):23-28
Autores

Resumo
RESUMO.- Silva A.S.L., Feliciano M.A.R., Motheo T.F., Oliveira J.P., Kawanami A.E., Werther K., Palha M.D.C. & Vicente W.R.R. 2014. Mode B ultrasonography and abdominal Doppler in crab-eating-foxes (Cerdocyon thous). [Ultrassonografia abdominal modo B e Doppler em cachorros-do-mato (Cerdocyon thous).] Pesquisa Veterinária Brasileira 34(Supl.1):23-28. Setor de Animais Selvagens Faculdade de Ciências Agrária e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista, Via de acesso Professor Paulo Donato Castellane s/n, Jaboticabal, SP 14884-900, Brazil. E-mail: alannalima@gmail.com

O objetivo desse estudo foi descrever os achados ultrassonográficos convencionais dos principais órgãos abdominais e determinar com a utilização da ultrassonografia Doppler os índices vasculares da aorta abdominal e artérias renais em cachorros-do-mato (Cerdocyon thous). Foram avaliados nove cachorros-do-mato (Cerdocyon thous). Por meio da ultrassonografia convencional do abdômen dos animais, estudaram-se os achados ultrassonográficos normais e a biometria dos principais órgãos dessa cavidade como fígado, baço, bexiga, estômago, intestinos, adrenais, rins, ovários, próstata e tecido linfoide dos animais, obtendo-se resultados importantes para a caracterização sonográfica desses tecidos. A bexiga apresentou espessura da parede de 12 ± 0,01 mm, com três camadas bem definidas. O rim direito e esquerdo apresentaram relação corticomedular de 1:1 e com ecogenicidade semelhante as adrenais e fígado, homogêneas e hipoecoica em comparação ao baço. O baço apresentou-se homogêneo e hiperecoica em relação aos rins. O estômago apresentou de 3 a 5 movimentos peristálticos por minuto, espessura da parede de 39 ± 0,05mm e lúmen e mucosa com características hiperecoicas e hipoecoicas, respectivamente. O intestino delgado e grosso apresentaram de 2 a 3 movimentos peristálticos por minuto, espessura da parede de 34 ± 0,03mm e três camadas definidas, hiperecogênica (submucosa e serosa) e hipoecogênicas (musculares). Os ovários de uma fêmea se apresentaram hipoecoica, em comparação com o baço, e heterogêneos, devido à presença de folículos ovarianos de 2x2mm de diâmetro. As prostatas de seis machos eram regulares e com contornos definidos, parênquima homogêneo e hiperecoico em relação ao baço. Ao exame Doppler foram determinados os índices vasculares da aorta abdominal (PSV: 25,60±0,32cm/s; EDV: 6,96±1,68cm/s; PI: 1,15±0,07 e RI: 0,73±0,07) e das artérias renais direitas (PSV: 23,08±3,34cm/s; EDV: 9,33±2,36cm/s; PI: 1,01±0,65 e RI: 0,65±0,16) e esquerdas (PSV: 23,74±3,94cm/s; EDV: 9,07±3,02cm/s; PI: 1,04±0,31 e RI: 0,64±0,10). Pode-se concluir que a ultrassonografia convencional e Doppler podem ser ferramentas importantes no estudo morfofisiológico de órgãos abdominais em cachorros-do-mato, possibilitando o diagnóstico de alterações abdominais nesses animais e a utilização desses achados como referências para outros caninos silvestres.
Download / Visualização