Ano 2014 - Volume 34, Número 1001


Título
Anatomia do cone medular aplicada à via epidural de administração de fármacos em macacos-prego (Sapajus libidinosus), 34(Supl.1):29-33
Autores

Resumo
RESUMO.- Cordeiro J.F., Santos J.R.S., Dantas S.B.A., Fonseca S.S., Dias R.F.F., Medeiros G.X., Nobrega Neto P.I. & Menezes D.J.A. 2014. [Anatomy of the medullary conus applied to the epidural route of administration of drugs in capuchin monkeys (Sapajus libidinosus).] Anatomia do cone medular aplicada à via epidural de administração de fármacos em macacos-prego (Sapajus libidinosus). Pesquisa Veterinária Brasileira 34(Supl.1):29-33. Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Campina Grande, Av. Universitária, Cx. Postal 64, Santa Cecília, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: mdanayres@gmail.com

Com este estudo objetivou-se descrever a topografia do cone medular do macaco-prego (Sapajus libidinosus) a fim de fornecer suporte para que a realização de procedimentos anestésicos, bem como exames de mielografia e coleta de líquor, dentre outros procedimentos que utilizam a via epidural. Para tanto foram dissecados oito animais, sendo seis machos e duas fêmeas, de diferentes faixas etárias. Rebateu-se a pele para retirada da musculatura da região dorsal, exposição de toda a coluna vertebral e identificação das vértebras lombares e sacrais. Para estabelecer o final da medula espinhal e medir o comprimento do cone medular, foi aberto todo o canal vertebral lombossacro, seccionando-se lateralmente os arcos vertebrais. Em seguida a duramáter foi seccionada para visualização do cone medular e observação da relação topográfica deste com as vértebras. Todos os animais apresentaram cinco vértebras lombares e três vértebras sacrais. As vértebras se apresentaram, de forma geral, muito próximas e com os processos espinhosos bem desenvolvidos e direcionados em sentido cranial. O cone medular dos macacos-prego situou-se entre as vértebras L2 e L5, com a base localizando-se com maior frequência na altura da vértebra L3, enquanto o ápice em L4. O comprimento corporal (espaço interarcual occiptoatlântico até o espaço interarcual sacrocaudal) variou de 22,9 a 31,8cm, com média de 27,44 ±3,1cm enquanto que comprimento do cone medular variou de 1,70 a 3,51cm, com média de 2,47 ±0,57cm. Não houve correlação entre o tamanho do corpo e o comprimento do cone medular (r = 0,212). Conclui-se que apesar das variações do comprimento e posicionamento do cone medular, o seu ápice não ultrapassa a articulação lombossacral, tornando seguro o acesso ao espaço epidural por esta via.
Download / Visualização