Ano 2015 - Volume 35, Número 2


Título
Acanthamoebíase sistêmica associada a cinomose canina em cães na região semiárida da Paraíba, 35(2):160-164
Autores

Resumo
RESUMO.- Frade M.T.S., Melo L.F., Pessoa C.R.M., Araújo J.L., Fighera R.A., Souza A.P., Uzal F. & Dantas A.F.M. 2015. Systemic acanthamoebiasis associated with canine distemper in dogs in the semiarid region of Paraíba, Brazil. [Acanthamoebíase sistêmica associada a cinomose canina em cães na região semiárida da Paraíba.] Pesquisa Veterinária Brasileira 35(2):160-164. Hospital Veterinário, Laboratório de Patologia Animal, CSTR, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, Av. Universitária s/n, Bairro Santa Cecília, Patos, PB 58708-110, Brazil. E-mail: dantas.af@uol.com.br

Infecções por amebas de vida livre podem causar doença sistêmica nos animais e no homem. Descrevem-se os aspectos epidemiológicos, clínicos e patológicos de acanthamoebíase disseminada associada com cinomose em três cães na região semiárida da Paraíba, Nordeste do Brasil. Os cães afetados desenvolveram sinais respiratórios e neurológicos progressivos, que evoluíram para a morte em dois a 20 dias. Na necropsia havia áreas nodulares, irregulares e amarelo-avermelhadas distribuídas aleatoriamente em pulmões, coração, rins, fígado, baço, linfonodos, adrenal e intestino. Em um caso havia foco de malácia no córtex parietal e outro em núcleo da base encefálica. Histologicamente, foram observados piogranulomas com áreas de necrose e hemorragia em todos os órgãos afetados, associados a miríades de amebas intralesionais. Nos três casos havia cinomose concomitante, que possivelmente desencadeou imunossupressão nos cães. O diagnóstico foi realizado através dos achados microscópicos de infecção por amebas de vida livre e confirmado Acanthamoeba sp. pela imuno-histoquímica.
Download / Visualização