Ano 2015 - Volume 35, Número 5


Título
Estudo molecular de teschovírus suíno, sapelovírus suíno e enterovírus G em javalis (Sus scrofa scrofa) de cativeiro no Paraná, 35(5):403-408
Autores

Resumo
RESUMO.- Donin D.G., Leme R.A., Alfieri A.F., Alberton G.C. & Alfieri A.A. 2015. Molecular survey of porcine teschovirus, porcine sapelovirus, and enterovirus G in captive wild boars (Sus scrofa scrofa) of Paraná state, Brazil. [Estudo molecular de teschovírus suíno, sapelovírus suíno e enterovírus G em javalis (Sus scrofa scrofa) de cativeiro no Paraná.] Pesquisa Veterinária Brasileira 35(5):403-408. Laboratório de Virologia Animal, Departamento de Medicina Veterinária Preventiva, Universidade Estadual de Londrina, Rodovia Celso Garcia Cid, Campus Universitário, Cx. Postal 10011, Londrina, PR 86057-970, Brazil. E-mail: alfieri@uel.br

Teschovírus suíno (PTV), sapelovírus suíno (PSV) e enterovírus G (EV-G) são agentes infecciosos específicos da espécie suína que estão endemicamente disseminados em todo o mundo. O objetivo deste estudo foi investigar a infecção natural por estes picornavírus entéricos suínos em javalis (Sus scrofa scrofa) do estado do Paraná, Brasil e avaliar pecaris (Pecari tajacu e Tayassu pecari) como hospedeiros alternativos para estes vírus. Amostras fecais (n=36) de javalis assintomáticos (n=22) com idades de 2 a 7 meses (jovens, n=14) e 2 a 4 anos (adultos, n=8) e de pecaris (6 a 8 meses de idade, n=14) foram coletadas em um cativeiro e zoológico, respectivamente, ambos localizados no estado do Paraná. A transcrição reversa seguida por reações da polimerase em cadeia (RT-PCR) e nested-PCR com alvo na região 5’-não traduzida do genoma viral foram utilizadas para a identificação dos vírus. Picornavírus entéricos suínos foram detectados em 12 das 22 amostras fecais de javalis. De acordo com cada um dos vírus, EV-G foi mais frequentemente (11/22, 50%) detectado, seguido pelo PTV (10/22; 45,5%) e PSV (4/22; 18,2%). Considerando os grupos de idade, javalis jovens foram mais frequentemente (9/14; 64,3%) infectados com PTV, PSV e EV-G do que os javalis adultos (3/8; 37,4%). Um produto amplificado na nested-PCR para cada um dos vírus foi submetido à análise de sequenciamento e as sequências de nucleotídeos foram comparadas com vírus relacionados, o que mostrou que as similaridades variaram entre 97,7% a 100% para o PTV, 92,4% a 96,2% para o PSV e 87,1% a 100% para o EV-G. Os pecaris foram negativos para as viroses investigadas e neste estudo não se apresentaram como hospedeiros alternativos para as infecções. Este estudo é o primeiro a relatar a detecção molecular de PTV, PSV e EV-G em javalis de cativeiro de um país da América Latina e o primeiro a avaliar pecaris como espécie hospedeira alternativa para picornavírus entéricos suínos.
Download / Visualização