Ano 2015 - Volume 35, Número 5


Título
Indicadores de qualidade e composição de leite informal comercializado na região Sudeste do Estado de São Paulo, 35(5):417-423
Autores

Resumo
RESUMO.- Motta R.G., Silva A.V., Giuffrida R., Siqueira A.K., Paes A.C., Motta I.G., Listoni F.J.P. & Ribeiro M.G. 2015. [Indicators of quality and composition of informal milk marketed in the in the Southeast region of São Paulo, Brazil.] Indicadores de qualidade e composição de leite informal comercializado na região Sudeste do Estado de São Paulo. Pesquisa Veterinária Brasileira 35(5):417-423. Departamento de Higiene Veterinária e Saúde Pública, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Cx. Postal 560, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. E-mail: farturavetufpr@hotmail.com

O leite informal é reconhecido como o produto comercializado sem inspeção. Avaliou-se a qualidade microbiológica, constituintes nutricionais e presença de substâncias inibidoras do crescimento bacteriano em 100 amostras informais de leite de vacas, comercializadas na região sudoeste do estado de São Paulo, Brasil. Verificou-se que 77% da Contagem de Células Somáticas (CCS) e 86% da Contagem Bacteriana Total (CBT) das amostras estavam em desacordo com os valores máximos exigidos pela Instrução Normativa 62 do MAPA. Identificaram-se teores em desacordo para sólidos totais (36%), proteína (23%), gordura (38%), extrato seco desengordurado (43%) e nitrogênio uréico (73%). Em 59% das amostras detectou-se a presença de resíduos de inibidores do crescimento bacteriano. Isolaram-se 240 linhagens de micro-organismos com predomínio de enterobactérias, estreptococos, estafilococos e fungos. O leite informal é comercializado na região sem as mínimas condições de higiene e oferece riscos a saúde pública, além de representar sério problema sócio-econômico para região.
Download / Visualização