Ano 2015 - Volume 35, Número 5


Título
Caracterização das proteínas caveolinas -1 e -2 na placenta de conceptos bovinos clonados transgênicos, 35(5):477-485
Autores

Resumo
RESUMO.- Peres K.C., Trinca V., Oliveira F.P., Oliveira L.J., Bressan F.F., Pimentel J.R.V., Meirelles F.V. & Pereira F.T.V. 2015. [Caracterization of caveolin -1 and -2 proteins in cloned and transgenic placenta of cattle.] Caracterização das proteínas caveolinas -1 e -2 na placenta de conceptos bovinos clonados transgênicos. Pesquisa Veterinária Brasileira 35(5):477-485. Curso de Zootecnia, Faculdade Estadual Paulista, Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros Km 651, Dracena, SP 17900-000, Brazil. E-mail: verechia@gmail.com

A utilização da transgenia com a proteína fluorescente verde (GFP) como marcador de células de origem fetal nas placentas de clones bovinos servirá de modelo inédito para estudo morfofisiológico e imunológico da interação materno-fetal, visto que possibilitará o seu mapeamento, diferenciando as células fetais das maternas. Tal modelo terá aplicação direta, principalmente porque estes são animais que apresentam problemas em relação ao seu desenvolvimento. Com o auxílio deste modelo, pretende-se verificar o transporte de substâncias entre a mãe e o feto via endocitose, pela imunolocalização das proteínas chamadas de caveolinas. Para tanto foram utilizados 06 bovinos clonados e 30 bovinos de inseminação artificial (IA) com idade até 90 dias de gestação, os quais tiveram seu desenvolvimento interrompido mediante abate humanitário das receptoras e ovariosalpingohisterectomia, com posterior recuperação do útero gestante. Foram coletados os placentônios e o cório. Uma parte das amostras foi recortada e fixada, por imersão, em solução de parafolmaldeído a 4% ou formoldeído a 10% em tampão fosfato de sódio (PBS) a 0,1M pH 7.4, solução de Zamboni (4% de paraformoldeído, 15% de ácido pícrico, em tampão fosfato de sódio a 0,1M pH 7.4), metacarn (60% de metanol, 30% de clorofórmio, e 10% de ácido acético glacial), para verificação da morfologia e realização de imuno-histoquímica para as proteínas caveolinas -1 e -2 (CAV -1 e CAV-2). As caveolinas -1 foram localizadas nos vilos fetais e maternos, mas sua marcação mais forte foi observada no estroma endometrial. As caveolinas -2 tiveram marcação positiva no trofoblasto e membrana córioalantoide, e, especificamente em célula trofoblástica gigante binucleada. Sendo assim, os resultados mostram que a proteína CAV-1 teve uma maior expressão em relação à proteína CAV-2 e que as proteínas CAV-1 e -2 são parte da composição das cavéolas, sendo estruturas importantes e relacionadas com a transferência de moléculas para o feto, realizando a nutrição do mesmo mediante endocitose e pinocitose.
Download / Visualização