Ano 2015 - Volume 35, Número 5


Título
Inquérito sorológico de Leptospira interrogans, Brucella abortus e Chlamydophila abortus em tamanduás-bandeira (Myrmecophaga tridactyla) de vida livre no Brasil, 35(5):462-465
Autores

Resumo
RESUMO.- Miranda F.R., Superina M., Vinci F., Hashimoto V., Freitas J.C. & Matushima E.R. 2015. Serosurvey of Leptospira interrogans, Brucella abortus and Chlamydophila abortus infection in free-ranging giant anteaters (Myrmecophaga tridactyla) from Brazil. [Inquérito sorológico de Leptospira interrogans, Brucella abortus e Chlamydophila abortus em tamanduás-bandeira (Myrmecophaga tridactyla) de vida livre no Brasil.] Pesquisa Veterinária Brasileira 35(5):462-465. Projeto Tamanduá, Rua Vergueiro 3432, apto 171, Vila Mariana, São Paulo, SP 07600-000, Brazil. E-mail: flavia@tamandua.org

Inquéritos sorológicos para detecção de anticorpos contra Leptospira interrogans, Brucella abortus, e Chlamydophila abortus foram realizados em 21 tamanduás-bandeira (Myrmecophaga tridactyla) de vida livre do Parque Nacional das Emas (Goiás, Brasil, n=6), o Parque Nacional da Serra da Canastra (Minas Gerais, Brasil, n=9) e RPPN SESC Pantanal (Mato Grosso, Brasil, n=6) entre julho de 2001 e setembro de 2006. Os soros foram testados para anticorpos contra 22 sorotipos de Leptospira interrogans com um teste de aglutinação microscópica. Doze animais foram considerados positivos para L. interrogans sorovares sentot (n=5 em PN Emas, n=2 em PN Serra da Canastra), butembo (n=2 em PN Serra da Canastra), autumnalis, bataviae e shermani/icterohaemorrhagiae (n=1 para cada sorovar em SESC Pantanal). Uma fêmea adulta testou positivo para B. abortus com o teste do antígeno tamponado. Todos os soros se mostraram negativos para C. abortus através do teste de fixação do complemento. Este é o primeiro relato de patógenos que podem interferir na dinâmica reprodutiva de populações de tamanduás em estado selvagem.
Download / Visualização