Ano 2015 - Volume 35, Número 11


Título
Imunodetecção de células dendríticas mieloides e plasmocitoides nos carcinomas mamários em cadelas, 35(11):906-912
Autores

Resumo
RESUMO.- Rosolem M.C., Vasconcelos R.O., Garrido E., Castanheira T.L.L., Moreira P.R.R., Magalhães G.M., Rozza D.B. & Ramos S.B. 2015. Immunodetection of myeloid and plasmacytoid dendritic cells in mammary carcinomas of female dogs. [Imunodetecção de células dendríticas mieloides e plasmocitoides nos carcinomas mamários em cadelas.] Pesquisa Veterinária Brasileira 35(11):906-912. Departamento de Patologia Veterinária, Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Campus de Jaboticabal, Via de Acesso Prof. Paulo Donato Castellane s/n, Jaboticabal, SP 14884-900, Brazil. E-mail: rosevasc@fcav.unesp.br

As células dendríticas têm despertado grande interesse dos pesquisadores, pois podem ser alvo dos mecanismos de evasão imune do tumor. O objetivo principal deste estudo foi avaliar a relação entre as subpopulações de células dendríticas (DCs) nos carcinomas mamários do tipo simples em cadelas. Dois grupos de amostras foram utilizados, o grupo controle composto por 18 amostras de tecido mamário sem alterações e o grupo tumor com 26 carcinomas mamários do tipo simples. Nestes grupos foram avaliadas a imunodetecção de DCs mieloides imaturas e maduras, DCs plasmocitoides e de MHC-II. Nas mamas com tumor, as DCs mieloides maduras predominaram na região peritumoral, enquanto que as DCs mieloides imaturas e as DCs plasmocitoides foram evidentes na região intratumoral. A imunomarcação do MHC-II foi visualizada nos ácinos mamários (grupo controle), nas células tumorais e no infiltrado inflamatório associado aos tumores. Na comparação entre os grupos controle e tumor houve diferença estatística significativa entre as DCs mieloides imaturas, DCs mieloides maduras e DCs plasmocitoides. A imunodetecção de MHC-II não foi significativa na comparação entre os grupos. A predominância de DCs imaturas no grupo tumor, possivelmente, está relacionada com uma resposta imune ineficiente, favorecendo o desenvolvimento e a sobrevivência das células tumorais. A presença das DCs plasmocitoides no mesmo grupo sugere um prognóstico pior para cadelas com tumores de mama. Portanto, a capacidade de diferenciação das células dendríticas caninas poderia ser influenciada pelas células neoplásicas e pelo microambiente tumoral.
Download / Visualização