Ano 2015 - Volume 35, Número 12


Título
Dados retrospectivos de tumores de bainha de nervo periférico na pele de cães com ênfase a fatores histológicos, imuno-histoquímicos e prognósticos, 35(12):965-974
Autores

Resumo
RESUMO.- Boos G.S., Bassuino D.M., Wurster F., Castro N.B., Watanabe T.T.N., Silva G.S., Sonne L. & Driemeier D. 2015. Retrospective canine skin peripheral nerve sheath tumors with emphasis on histologic, immunohistochemical and prognostic factors. [Dados retrospectivos de tumores de bainha de nervo periférico na pele de cães com ênfase a fatores histológicos, imuno-histoquímicos e prognósticos.] Pesquisa Veterinária Brasileira 35(12):965-974. Setor de Patologia Veterinária, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Av. Bento Gonçalves 9090, Porto Alegre, RS 91540-000, Brazil. E-mail: davetpat@ufrgs.br

Neste estudo retrospectivo foi determinada a frequência dos tumores de bainha de nervo periférico (TBNP) na pele de cães diagnosticados pelo Setor de Patologia Veterinária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (SPV-UFRGS), Brasil, no período de 2000 a 2012. O histórico dos cães, assim como a histologia, a imuno-histoquímica e o prognóstico em relação aos tumores foram baseados em 70 amostras histológicas, correspondendo a 40 fêmeas (57%), 29 machos (41%) e uma amostra sem a informação do sexo. De 2000 a 2012, foram diagnosticados 2984 tumores de pele de cães pelo SPV-UFRGS, totalizando 2,34% das neoplasias em cães. A maior parte das amostras (43%) foi proveniente de animais sem raça definida (SRD), seguidos pelos da raça Pastor Alemão (10%). A localização predominante dos TBNP desta pesquisa ocorreu em membros (40% em membro tóracico e 29% em membro pélvico), afetando principalmente cães de oito a 11 anos idade (54%). As amostras foram processadas rotineiramente para coloração de Hematoxilina e eosina, e foram realizadas as colorações de azul de toluidina e tricrômio de Masson, assim como realizada imuno-histoquímica (IHQ) anti-vimentina, -S-100, -GFAP, -actina, von Willbrand e neurofilamento. Os fatores anisocitose e anisocariose, índice mitótico, necrose intratumoral, invasão tumoral em tecidos adjacentes, localização tumoral, local de recorrência e metástase foram relacionados com o diagnóstico de benignidade (49/70) ou malignidade (21/70). O padrão histológico de Antoni A foi observado com mais frequência em tumores benignos. A IHQ auxiliou no diagnóstico dos TBNP, com maiores índices de imunomarcação anti-vimentina e S-100. A análise estatística das amostras de animais que apresentaram recidiva tumoral evidenciou que a chance de um animal com tumor de bainha de nervo periférico maligno desenvolver recidiva é 4,61 vezes maior do que em animais que apresentam tumor benigno.
Download / Visualização