Ano 2016 - Volume 36, Número 4


Título
Perfis de virulência de Escherichia coli enterotoxigênica isoladas de leitões desmamados com diarreia do Sul do Brasil e classificação das amostras de acordo com a consistência fecal, 36(4):253-257
Autores

Resumo
RESUMO.- Sato J.P.H., Takeuti K.L., Andrade M.R., Koerich P.K.V., Tagliari V., Bernardi M.L., Cardoso M.R.I. & Barcellos D.E.S.N. 2016. Virulence profiles of enterotoxigenic Escherichia coli isolated from piglets with post-weaning diarrhea in Southern Brazil and classification of the samples according to fecal consistency. [Perfis de virulência de Escherichia coli enterotoxigênica isoladas de leitões desmamados com diarreia do Sul do Brasil e classificação das amostras de acordo com a consistência fecal.] Pesquisa Veterinária Brasileira 36(4):253-257. Setor de Suínos, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Av. Bento Gonçalves 9090, Porto Alegre, RS 91540-000, Brazil. E-mail: davidbarcellos@terra.com.br

O objetivo deste estudo foi avaliar a frequência e associação de fatores de virulência de Escherichia (E.) coli isoladas de leitões desmamados com diarreia e correlacioná-la com consistência fecal. Suabes retais foram coletados em leitões com 25-40 dias de idade com sinal clínico de diarreia, em granjas do Sul do Brasil, totalizando 456 amostras. Foram utilizadas técnicas fenotípicas e moleculares para isolamento bacteriano, caracterização e classificação de patotipos de E. coli enterotoxigênica (ETEC). A análise estatística foi realizada para determinar a frequência de fatores de virulência e virotipos, de fímbrias F4, F5, F6, F18, F41 e toxinas LT, STa, STB e STx2e. Duzentas e oitenta e sete (62,9%) amostras apresentaram crescimento significativo de E. coli. Entre os quais, 194 (67,6%) amostras apresentaram pelo menos um fator de virulência, indicando que ETEC é um importante agente etiológico de diarreia em leitões desmamados. As frequências mais elevadas foram encontradas para as fímbrias F4 e F18 e enterotoxinas LT, STa e STb. Associação significativa foi encontrada para F4, LT, STa e STb; entre F18 e STa e STx2e; entre F5 e LT, STa e STb. Os virotipos mais frequentes foram F18-STa, F4-LT-STa-STb, F4-STa, F4-LT-STb e F18-STa-STx2e. Beta-hemólise foi observada em 47,4% das amostras e houve associação significativa entre amostras hemolíticas e fatores de virulência F4, F18, STa e STx2e. Quanto consistência fecal, houve associação significativa de fezes líquidas e fímbria F4, toxina STa e virotipos F4-STa e F4-F5-LT-STa-STb. A associação significativa da ETEC e fezes líquidas em leitões de creche, é importante para priorizar a amostragem de fezes com essa consistência para no diagnóstico etiológico da diarreia.
Download / Visualização