Ano 2016 - Volume 36, Número 5


Título
Efeitos da ingestão súbita de melão sobre os parâmetros ruminais de ovinos não adaptados, 36(5):378-382
Autores

Resumo
RESUMO.- Oliveira F.L.C., Barrêto Júnior R.A., Minervino A.H.H., Tavares M.D., Vale R.G., Araújo C.A.S.C., Sousa R.S. & Ortolani E.L. 2016. Effects of sudden melon intake on ruminal parameters of non-adapted sheep. [Efeitos da ingestão súbita de melão sobre os parâmetros ruminais de ovinos não adaptados.] Pesquisa Veterinária Brasileira 36(5):378-382. Departamento de Clínica Médica, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva 86, Cidade Universitária, São Paulo, SP 05508-270, Brazil. E-mail: ortolani@usp.br

O presente estudo avaliou o efeito da adição à dieta de duas diferentes quantidades de melão com alto teor de açucares oferecidos subitamente à ovinos não adaptados. Foram utilizados 12 ovinos mestiços da raça Santa Inês, com 8 meses de idade e pesando cerca der 25 kg providos de cânula ruminal. Os animais recebiam dieta à base de volumoso e foram aleatoriamente divididos em dois grupos iguais que receberam 25 ou 75% de adição de melão picado à dieta. Foram coletadas amostras de conteúdo ruminal nos momentos zero e após 3, 6, 12, 18, e 24 horas da administração do melão. Ovinos do grupo G25% apresentaram acidose por ácido graxo voláteis (subaguda) entre 3 e 6 horas, caracterizada por pH ruminal ligeiramente abaixo de 5,6, aumento discreto na concentração de ácido láctico L e aumento do potencial redox (PR) e tempo de redução do azul de metileno (TRAM) do fluido ruminal. O grupo G75% apresentou acidose láctica ruminal com pH menor que 5,0, alta concentração de Lactato-L e aumento do PR e TRAM e da osmolaridade ruminal. Em conclusão, o oferecimento de grandes quantidades de melão (75% da MS) não é recomendado, mas 25% da MS desta fruta pode ser utilizada na dieta de ovinos com segurança.
Download / Visualização