Ano 2016 - Volume 36, Número 5


Título
Timpanismo em bovinos, secundário à obstrução esofágica por Citrus limon (limão siciliano), 36(5):397-400
Autores

Resumo
RESUMO.- Panziera W., Konradt G., Bassuino D.M., Gonçalves M.A. & Driemeier D. 2016. [Bloat in cattle secondary to esophageal obstruction by Citrus limon (sicilian lemon).] Timpanismo em bovinos, secundário à obstrução esofágica por Citrus limon (limão siciliano). Pesquisa Veterinária Brasileira 36(5):397-400. Setor de Patologia Veterinária, Departamento de Patologia Clínica Veterinária, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Av. Bento Gonçalves 9090, Porto Alegre, RS 91540-000, Brazil. E-mail: davetpat@ufrgs.br

Timpanismo ruminal consiste na distensão acentuada do rúmen e retículo, devido a incapacidade do animal em expulsar gases produzidos durante o processo fisiológico da fermentação. O timpanismo pode ser ocasionado de forma primária, por formação de espuma estável, ou secundária, devido a anormalidades funcionais e/ou físicas que interferem na eructação. Nesse trabalho, são descritos os aspectos epidemiológicos, clínicos e anatomopatológicos da ocorrência de timpanismo secundário em bovinos, decorrente da obstrução esofágica aguda por limões sicilianos. Cinco bovinos, de um lote de 210, foram afetados. Os bovinos eram suplementados com resíduo de tangerina (Citrus reticulata) no cocho e na última carga desse subproduto, havia limões sicilianos inteiros misturados ao resíduo. Os cinco animais afetados eram da raça Aberdeen Angus e tinham entre 12-24 meses de idade. Todos apresentaram sinais clínicos caracterizados principalmente por mucosas cianóticas, grave timpanismo, desconforto abdominal, acentuada dispneia e taquicardia, atonia ruminal, desidratação, decúbito e morte. O curso clínico variou entre 24 a 48 horas. Na necropsia, os cinco bovinos apresentavam grave obstrução esofágica por limões nas porções: cranial (logo após a laringe [1/5]), porção medial (entrada do tórax [1/5]) e final (próximo ao cárdia [3/5]). Nas áreas de oclusão, observou-se extensa necrose e ulceração da mucosa esofágica. O conteúdo ruminal dos bovinos estava seco e misturado com limões inteiros. No esôfago de dois animais havia linha de timpanismo. As lesões histológicas eram visualizadas principalmente no esôfago, na região da obstrução, onde se evidenciaram alterações degenerativas, necróticas e ulcerativas acentuadas no revestimento epitelial.
Download / Visualização