Ano 2016 - Volume 36, Número 5


Título
Padrões de vascularização arterial em corações de suínos, 36(5):417-422
Autores

Resumo
RESUMO.- Pinto M.G.F., Favaron P.O., Alcântara D., Anunciação A.R.A., Miglino M.A., Borelli V. & Filho A.F. 2016. Patterns of arterial vascularization in swine hearts. [Padrões de vascularização arterial em corações de suínos.] Pesquisa Veterinária Brasileira 36(5):417-422. Setor de Anatomia de Animais Domésticos e Selvagens, Departamento de Cirurgia, Faculdade de Medicina Veteronária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva 87, Cidade Universitária, Butantã, São Paulo, SP 05508-270, Brazil. E-mail: phelipe.favaron@yahoo.com.br

Este estudo teve como objetivo caracterizar os padrões de vascularização arterial em corações de suínos. Para tanto, 90 corações de suínos foram submetidos à técnica de diafanização de Spalteholz com a finalidade de dissecar as artérias coronárias. Através do comportamento dos rami circumflexus e interventricularis caracterizou-se três modalidades de vascularização arterial do coração de suínos, sendo eles os tipos equilibrado, direito e esquerdo. O equilibrado foi observado com maior frequência (42,2%), neste caso os rami circumflexus e interventricularis das artérias coronárias ocupavam seus respectivos sulcos. O tipo direito (40%) apresentou três subtipos de vascularização. No primeiro o ramus circumflexus dexter ramificava-se formando o ramus interventricularis subsinuosus. No segundo, a arteria coronaria dextra emitia o ramus interventricularis subsinuosus e ramus circunflexus. E no terceiro modelo, da arteria coronaria sinistra emergia o ramus interventricularis paraconalis. O tipo esquerdo (17,7%) apresentou dois subtipos. No primeiro, o ramus interventricularis paraconalis percorria todo o sulco correspondente e o terço ventral do sulcus interventricularis subsinuosus, o ramus interventricularis subsinuosus ocupava os terços dorsal e médio do seu respectivo sulco. No segundo, o ramus interventricularis subsinuosus oriundo da arteria coronaria dextra percorria apenas os terços dorsal e médio do seu respectivo sulco, ficando o terço ventral ocupado por colateral do ramus circumflexus sinister. Nossos resultados reforçam a tese de que a distribuição do suprimento sanguíneo pela artéria coronária em suínos é semelhante ao humano, não apenas de maneira qualitativa, mas também do ponto de vista quantitativo.
Download / Visualização