Ano 2016 - Volume 36, Número 5


Título
Morfologia, desenvolvimento e heterocronia da carapaça da Tartagura da Amazônia, Podocnemis expansa (Testudines, Podocnemidae), 36(5):436-446
Autores

Resumo
RESUMO.- Vieira L.G., Santos A.L.Q., Moura L.R., Orpinelli S.R.T., Pereira K.F. & Lima F.C. 2016. Morphology, development and heterochrony of the carapace of Giant Amazon River Turtle, Podocnemis expansa (Testudines, Podocnemidae). [Morfologia, desenvolvimento e heterocronia da carapaça da Tartagura da Amazônia, Podocnemis expansa (Testudines, Podocnemidae).] Pesquisa Veterinária Brasileira 36(5):436-446. Laboratório de Ensino e Pesquisa em Animais Silvestres, Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Uberlândia, Av. Amazonas 2245, Jardim Umuarama, Uberlândia, MG 38405-302, Brazil. E-mail: luceliabio@yahoo.com.br

Com objetivo de relatar a ontogenia dos elementos ósseos da carapaça em Pleurodiras, coletaram-se 62 embriões e 43 filhotes de Podocnemis expansa que foram submetidos à técnica de clareamento e coloração dos ossos e cartilagens e pelo estudo cortes histológicos seriados. A carapaça possui estrutura óssea mista de endo e exoesqueleto, sendo formada por 8 pares de ossos costais associados às costelas, 7 ossos neurais associados aos arcos vertebrais, 11 pares de ossos periféricos, 1 nucal, 1 pigal e 1 supra-pigal. Esta estrutura começa sua formação no início do estágio 16 com a ossificação do colar periostal das costelas. Com exceção dos ossos periféricos, os demais iniciam sua ossificação durante o período embrionário. A investigação histológica explicitou que os ossos costais e neurais possuem uma estreita relação com componentes do endoesqueleto, originando-se como expansões intramembranosas do colar periostal das costelas e dos arcos neurais, respectivamente. A condensação do mesenquima adjacente ao colar periostal induz a formação de espiculas que crescem em trabéculas permeadas por fibroblastos abaixo da derme. O osso nucal, também se ossifica de maneira intramembranosa mas não apresenta relação direta com o endoesqueleto. Tais informações corroboram àquelas relatadas para os demais Pleurodiras, principalmente com Podocnemis unifilis, outrora com variações conspícuas na cronologia dos eventos de ossificação. A formação das placas dérmicas da carapaça em Pleurodira e Criptodira seguem um mesmo padrão.
Download / Visualização