Ano 2016 - Volume 36, Número 6


Título
Varíola em suínos no Nordeste do Brasil, 36(6):468-472
Autores

Resumo
RESUMO.- Olinda R.G., Maia L.A., Cargnelutti J.F., Gois R.C.S., Batista J.S., Dantas A.F.M., Flores E.F. & Riet-Correa F. 2016. Swinepox dermatitis in backyard pigs in Northeastern Brazil. [Varíola em suínos no Nordeste do Brasil.] Pesquisa Veterinária Brasileira 36(6):468-472. Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, Hospital Veterinário, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Universidade Federal de Campina Grande, Campus de Patos, Patos, PB 58700-000, Brazil. E-mail: rgumes@hotmail.com

Em cinco surtos de varíola em suínos no Nordeste do Brasil foram acometidos leitões e suínos adultos, de rebanhos domésticos criados em condições higiênico-sanitárias precárias, que apresentavam graves infestações por moscas e piolhos. A morbidade variou de 33,3-100% entre os rebanhos afetados e a mortalidade atingindo 60%. Os animais afetados desenvolveram pápulas cinzentas ou esbranquiçadas coalescentes e vesículas, que evoluíram para erosões e crostras. Além das lesões de pele, os leitões afetados apresentavam apatia, anorexia e febre. A doença foi autolimitante, com resolução em 15 a 25 dias. Histologicamente, observou-se dermatite proliferativa e ulcerativa com degeneração balonosa das células do epitélio, infiltrado inflamatório perivascular de linfócitos, plasmócitos, neutrófilos, eosinófilos e escassos macrófagos na derme. Inclusões eosinofílicas intracitoplasmáticas foram consistentemente observadas em queratinócitos. DNA total extraído a partir de fragmentos de tecido frescos obtidos a partir de um surto, e de tecido fixado em formol e embebido em parafina dos outros quatro surtos, foram submetidos à reação em cadeia da polimerase (PCR) para o vírus da varíola suína (SWPV) e o vírus vaccínia (VACV). Material genético do SWPV foi identificado por PCR em material fresco de um surto. O sequenciamento e análise filogenética dos produtos de amplificação da PCR (gene da polimerase viral) demonstraram 100% de homologia com sequências do SWPV. Todos os fragmentos de tecidos foram negativos para VACV na PCR. Este artigo relata a circulação de poxvírus suíno no Nordeste do Brasil, indicando a necessidade de incluir SWPV no diagnóstico diferencial de dermatite em suínos.
Download / Visualização