Ano 2016 - Volume 36, Número 7


Título
Ramos colaterais do arco aórtico e suas principais ramificações no cachorro-do-mato (Cerdocyon thous), 36(7):647-651
Autores

Resumo
RESUMO.- Lima A.R., Souza D.C., Carmo D.C., Santos J.T. & Branco E. 2016. [Collateral branches of the aortic arch and its main rami in crab-eating fox (Cerdocyon thous).] Ramos colaterais do arco aórtico e suas principais ramificações no cachorro-do-mato (Cerdocyon thous). Pesquisa Veterinária Brasileira 36(7):647-651. Laboratório de Pesquisa Morfológica Animal, Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade Federal Rural da Amazônia, Avenida Presidente Tancredo Neves 2501, Montese, Belém, PA 66077-530, Brazil. E-mail: vetlima@uol.com.br

O cachorro-do-mato (Cerdocyon thous) pertence à família Canidae, encontra-se amplamente distribuído pela América do Sul. Devido à escassez literária a respeito da morfologia desta espécie objetivamos colaborar com o conhecimento da anatomia do arco aórtico e seus ramos colaterais. Foram estudados quatro animais, sendo 2 machos e 2 fêmeas oriundos da Mina de Bauxita, Paragominas, Pará, Brasil/Terra Ltda, sob autorização da SEMA-PA nº 455/2009, que morreram por causas naturais. O sistema arterial foi preenchido com látex corado em vermelho e fixado em solução aquosa de formoldeído 10%. O arco aórtico de Cerdocyon thous apresentou em sua origem apenas dois vasos, o tronco braquiocefálico e a artéria subclávia esquerda. Do tronco braquiocefálico originou-se o tronco bicarotídeo, que se bifurcou nas artérias carótidas comum direita e esquerda, e artéria subclávia direita. Das artérias subclávias ocorreu a formação do tronco costocervical, artéria vertebral, artéria torácica interna, artéria cervical superficial e ao atingir o espaço axilar passa a ser chamada de artéria axilar em ambos os antímeros. Concluímos que o arco aórtico de Cerdocyon thous é similar ao de outros animais domésticos com relação ao número de ramificações em sua origem.
Download / Visualização