Ano 2016 - Volume 36, Número 9


Título
Velocidades miocárdicas obtidas por meio de Doppler tecidual pulsátil em cães da raça Cocker Spaniel Inglês com cardiomiopatia dilatada e insuficiência cardíaca congestiva, 36(9):851-856
Autores

Resumo
RESUMO.- Pereira G.G., Goldfeder G.T., Yamaki F.L., Oliveira V.M.C. & Larsson M.H.M.A. 2016. Myocardial velocities obtained by pulsed tissue Doppler in English Cocker Spaniels with dilated cardiomyopathy and congestive heart failure. [Velocidades miocárdicas obtidas por meio de Doppler tecidual pulsátil em cães da raça Cocker Spaniel Inglês com cardiomiopatia dilatada e insuficiência cardíaca congestiva.] Pesquisa Veterinária Brasileira 36(9):851-856. Departamento de Clínica Médica, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Orlando Marques de Paiva 87, São Paulo, SP 05508-900, Brazil. E-mail: ggpereira2002@yahoo.com.br

A cardiomiopatia dilatada (CMD) é caracterizada por disfunção miocárdica sistólica, a qual pode ser identificada pelas baixas velocidades miocárdicas obtidas por meio de Doppler tecidual pulsátil (DTP). Contudo, sabe-se que a elevada pré-carga aumenta as velocidades miocárdicas, o que poderia superestimar a função miocárdica e tornar desafiadora a caracterização da disfunção nos cães com CMD e insuficiência cardíaca congestiva. Para testar a hipótese de que a elevada pré-carga pode mascarar a identificação de baixas velocidades miocárdicas nos cães com CMD e insuficiência cardíaca congestiva, o presente estudo avaliou prospectivamente 32 cães da raça Cocker Spaniel Inglês, sendo 16 com manifestações clínicas de CMD e 16 hígidos para efeito de grupo controle. A análise DTP das velocidades regionais foi realizada tanto no deslocamento miocárdico longitudinal quanto radial e foram obtidas as velocidades sistólica (Sm), diastólica inicial (Em) e tardia (Am) na parede livre do ventrículo esquerdo (PLVE) e no septo interventricular (SIV). Os valores de Sm radial subendocárdicos e subepicárdicos foram menores no grupo CMD em comparação com o grupo controle (0,065±0,018 vs. 0,102±0,020m/s e 0,059±0,014 vs. 0,094±0,025m/s, respectivamente; p<0,001). Os valores de Sm longitudinais foram menores nas porções basal e intermediária da parede do ventrículo esquerdo (0,093±0,034 vs. 0,155±0,034m/s e 0,091±0,033 vs. 0,134±0,037m/s, respectivamente; p<0,001) e do septo interventricular (0,063±0,021 vs. 0,136±0,039 e 0,066±0,026 vs. 0,104±0,032m/s, respectivamente; p<0.001). A maioria dos índices diastólicos não apresentou diferença significativa entre os grupos, apesar de a doença miocárdica avançada e a disfunção serem esperadas no grupo CMD. A redução nas velocidades sistólicas longitudinais nos segmentos basais e intermediários e nas velocidades radiais representaram os achados mais relevantes no estudo com DTP. Nos cães da raça Cocker Spaniel Inglês com CMD e insuficiência cardíaca congestiva a pré-carga elevada não representou empecilho para a avaliação da disfunção sistólica por meio de DTP, porém a influência da pré-carga na avaliação das velocidades diastólicas deve ser mais bem investigada.
Download / Visualização