Ano 2016 - Volume 36, Número 10


Título
Aspectos da espermatogênese e morfologia microscópica testicular em Emas, Rhea americana (Linnaeus, 1758), 36(10):1045-1052
Autores

Resumo
RESUMO.- Freneau G.E., Carvalho S.F.M., Saboia-Morais S.M.T. & Freneau B.N. 2016. Aspects of spermatogenesis and microscopic testicular morphology in Greater Rhea, Rhea americana (Linnaeus, 1758). [Aspectos da espermatogênese e morfologia microscópica testicular em Emas, Rhea americana (Linnaeus, 1758).] Pesquisa Veterinária Brasileira 36(10):1045-1052. Laboratório de Andrologia e Tecnologia do Sêmen, Escola de Veterinária e Zootecnia, Universidade Federal de Goiás, Campus Samambaia, Av. Esperança s/n, Campus Universitário, Goiânia, GO 74690-900, Brazil. E-mail: gfreneau@gmail.com

O objetivo do estudo foi estudar a morfologia microscópica do parênquima testicular de emas (Rhea americana). Foram utilizados 54 machos adultos criados em cativeiro de 2,5±0,5 anos de idade. Durante o abate comercial foram coletadas amostras de testículos em novembro/2005, dezembro/2006 e maio/2007, para efeitos de comparação. As amostras foram processadas e para microscopia ótica de rotina para análise. Foram medidas diâmetro total de túbulos seminíferos (ST), lúmen, espessura do epitélio e a proporção volumétrica dos componentes do parênquima. O ST apresentou forma circular nas seções transversais. Em novembro/2005 e dezembro/2006, se observaram os tipos de células germinativas e espermatozoides no lúmen. Em maio/2007, as amostras de epitélio se observaram escassas meioses e imagens de mitose e era difícil de ver qualquer espermatozoide, em muitos dos túbulos o lúmen era inexistentes ou diminuído de tamanho. Em dezembro/2006 e maio/2007, as médias das características estudadas foram: diâmetro dos túbulos 110,3 e 5,3 mµ, lúmen 52,4 e 4,5mµ, espessura do epitélio 57,8 e 0,7mµ, respectivamente. As proporções volumétricas foram: epitélio seminífero 75,6 e 75,9, cistos no epitélio 2,1 e 1,0, túbulos seminíferos 93,3 e 84,0, interstício 6,2 e 15,6, respectivamente. Foram apresentadas medidas microscópicas de túbulos seminíferos, diâmetro dos núcleos das espermátides. Estes dados confirmam a sazonalidade reprodutiva, com época de reprodução na primavera - verão, com a produção de esperma. Foi perceptível uma grande variação nas medidas do parênquima testicular, quando se comparou a estação reprodutiva.
Download / Visualização