Ano 2017 - Volume 37, Número 1


Título
Biometria corporal e parâmetros hematológicos de Trachemys scripta elegans e Trachemys dorbignyi (Testudines: Emydidae) criadas em cativeiro em Petrolina, Pernambuco, 37(1):83-90
Autores

Resumo
RESUMO.- Gradela A., Souza V.N., Queiroz M.M., Constantino A.C., Bandeira C.G.C., Faria M.D., Milanelo L., Franzo V.S. & Corrêa F.M. 2017. [Body biometry and hematological parameters of Trachemys scripta elegans and Trachemys dorbignyi (Testudines: Emydidae) reared in captivity in Petrolina/PE, Brazil.] Biometria corporal e parâmetros hematológicos de Trachemys scripta elegans e Trachemys dorbignyi (Testudines: Emydidae) criadas em cativeiro em Petrolina, Pernambuco. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(1):83-90. Laboratório de Anatomia dos Animais Domésticos e Silvestres, Colegiado de Medicina Veterinária, Fundação Universidade Federal do Vale do São Francisco, Rodovia 407 Km 12, Lote 543, Projeto Nilo Coelho C1, Petrolina, PE 56300-000, Brazil. E-mail: agradela@hotmail.com

Este estudo objetivou avaliar a biometria corporal e o perfil hematológico de Trachemys scripta elegans (N=28) e de Trachemys dorbignyi (N=22) criadas em cativeiro na região do submédio do Vale do São Francisco, semiárido nordestino brasileiro, visando estabelecer valores sanguíneos básicos de saúde e gerar dados úteis na fisiologia comparativa de Testudines. Após 120 dias de adaptação e jejum de 24 horas, 2,5 mL de sangue foram coletados do seio occipital dorsal e depositados em tubo com heparina sódica para a avaliação, na sequência, dos níveis hematologicos. A contagem total de eritrócitos (CTE) e global de leucócitos (CGL) foi realizada em câmara de Neubauer; a dosagem de hemoglobina (HGB) pelo método da método da cianometahemoglobina e o hematócrito (HCT) através da técnica do microhematócrito. A partir da CTE estabeleceram-se matematicamente os índices hematimétricos. A biometria corporal também foi avaliada: a) massa corporal (MC, g); b) dimensões máximas da carapaça [comprimento (CMC, cm) e largura (LMC, cm)];c) dimensões máximas do plastrão [comprimento (CMP, cm) e largura (LMP, cm)]; d) comprimento total da cauda (CTC, cm); e) comprimento linear da base da cauda ao orifício cloacal (CprC, cm); f) comprimento linear do orifício cloacal a extremidade da cauda(CpoC, cm). T. scripta elegans apresentaram valores maiores (P < 0,05) para a biometria corporal, enquanto que o CTC e CprC foram maiores (P<0,05) em T dorbignyi. Os níveis hematológicos não diferiram (P>0,05) entre as espécies. Os resultados demostram que a maior parte da variação observada entre T. scripta elegans e T. dorbignyi é explicada pelas variáveis biométricas e que algumas correlações hematológicas caracterizam diferenças interespecíficas. Conclui-se que os resultados lançam luz sobre valores de referência para estas espécies mantidas em cativeiro na região do semiárido e servem como um modelo para a fisiologia comparativa intra e interespécies.
Download / Visualização