Ano 2017 - Volume 37, Número 2


Título
Avaliação ultrassonográfica por Doppler da artéria mamária de cordeiras da raça Bergamácia Brasileira sob a influência de dois planos de alimentação diferentes, 37(2):179-182
Autores

Resumo
RESUMO.- Dantas A., Siqueira E.R., Fernandes S., Oba E., Machado V.M.V., Castilho A.M., Sartori M.M.P. & Santos R.V. 2017. Mammary artery Doppler ultrasonography of Brazilian Bergamasca dairy ewe lambs under the influence of two different feeding plans. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(2):179-182. Departamento de Produção Animal, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Rua José Barbosa de Barros 1780, Botucatu, SP 18618-000, Brazil. E-mail: dantas.vet@gmail.com

O suprimento sanguíneo da glândula mamária é extremamente importante, uma vez que é um fator crucial para o desenvolvimento do tecido mamário. Assim, a necessidade de registro dos parâmetros de fluxo sanguíneo arterial é evidente. O objetivo do estudo foi descrever e avaliar as principais características hemodinâmicas da artéria mamária de cordeiras submetidas a diferentes taxas de crescimento, usando o ultrassom Doppler. Dois grupos experimentais, A e B, (n=10) de cordeiras da raça Bergamácia brasileira foram mantidas sob as mesmas condições de manejo e instalações. O estudo foi dividido em diferentes fases, sendo: Fase 1, de 90 dias de idade até o início da puberdade; Fase 2, desde a puberdade até 1 ano de idade. Durante a fase 1, dietas específicas foram formuladas para cada grupo experimental, a fim de obter duas médias diferentes de ganho de peso diário: 150g, para o tratamento A, e 250g, para o tratamento B. Durante a Fase 2, não houve diferença na dieta oferecida para os dois grupos. A cada 14 dias, todos os animais foram pesados e determinado o escore de condição corporal. A cada 60 dias, exames de ultrassom (Doppler) da artéria mamária foram realizados a fim de calcular os índices de resistência e pulsatilidade. As cordeiras do tratamento B registrou maior ganho de peso e escore de condição corporal (P<0,05). No entanto, não houve diferença para os índices de resistência e pulsatilidade entre os tratamentos (P>0,05). Os valores hemodinâmicos permaneceram constantes, independente da dieta ou o desenvolvimento do corpo apresentada pelos animais. Assim, os dados obtidos são informações valiosas sobre o desenvolvimento da raça a que se refere.
Download / Visualização