Ano 2017 - Volume 37, Número 5


Título
Anormalidades hematológicas, bioquímicas e hemostáticas de origem paraneoplásica em fêmeas caninas com neoplasia mamária, 37(5):479-484
Autores

Resumo
RESUMO.- Duda N.C.B., Valle S. de F., Matheus J.P., Angeli N.C., Vieira L.C., Oliveira L.O., Sonne L. & González F.H.D. 2017. Paraneoplastic hematological, biochemical, and hemostatic abnormalities in female dogs with mammary neoplasms. [Anormalidades hematológicas, bioquímicas e hemostáticas de origem paraneoplásica em fêmeas caninas com neoplasia mamária.] Pesquisa Veterinária Brasileira 37(5):479-484. Departamento de Patologia Clínica Veterinária, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Avenida Bento Gonçalves 9090, Porto Alegre, RS 91540-000, Brazil. E-mail: ncbduda@hotmail.com

Alterações laboratoriais de origem paraneoplásica são identificadas em diversos tipos de câncer de cães e gatos. Na medicina veterinária, existem poucos estudos que correlacionam os achados laboratoriais anormais com o tipo e estadiamento tumorais, principalmente em cadelas com neoplasia mamária. O objetivo deste estudo foi avaliar as alterações hematológicas, bioquímicas e hemostáticas em cadelas com neoplasia mamária e relacioná-las com o estadiamento tumoral. Foram coletadas amostras de sangue de 24 fêmeas caninas, e os parâmetros hematológicos, bioquímicos e hemostáticos obtidos foram relacionados com o estadiamento tumoral, realizado através do exame físico, exames de imagem e avaliação histopatológica após remoção cirúrgica. Os grupos foram organizados de acordo com o estadiamento tumoral em: Grupo 1 (estádios I e II), grupo 2 (estádio III) e grupo 3 (estádios IV e V). Observou-se anemia, leucocitose neutrofílica, monocitose, eosinofilia, trombocitose, hipoalbuminemia, hipocalcemia, hipoglicemia e diminuição de ureia sanguínea. As variáveis CHCM, PPT e RDW foram relacionadas com o estadiamento tumoral, porém sem relevância clínica. Nos testes de coagulação, o TT e o fibrinogênio apresentaram diferença significativa entre os grupos, sendo associado com estadiamento tumoral. Os resultados sugerem influência das citocinas pró-inflamatórias liberadas durante o crescimento do tumor.
Download / Visualização