Ano 2017 - Volume 37, Número 6


Título
Contenção farmacológica do rato-do-bambu (Dactylomys dactylinus Desmarest, 1817) e relato de ocorrência da espécie na região Sul do Brasil, 37(6):608-612
Autores

Resumo
RESUMO.- Koproski L. & Pachaly J.R. 2017. [Chemical restraint of the Amazon Bamboo Rat (Dactylomys dactylinus Desmarest, 1817) and of the occurrence of the species in southern Brazil.] Contenção farmacológica do rato-do-bambu (Dactylomys dactylinus Desmarest, 1817) e relato de ocorrência da espécie na região Sul do Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(6):608-612. Instituto Brasileiro para a Medicina da Conservação (Tríade), Rua Silveira Lobo 32, Cx. Postal 48, Recife, PE 52061-031, Brazil. E-mail: leticia@triade.org.br

Um exemplar de rato-do-bambu (Dactylomys dactylinus) subadulto saudável do sexo feminino, de vida livre, com massa corporal de 0,32 kg, recebeu por via intramuscular, em uma única injeção, doses de tiletamina, zolazepam, xilazina e atropina calculadas por meio de extrapolação alométrica interespecífica, a partir das recomendações usuais para o cão doméstico de 10,0 kg (tiletamina/zolazepam - 5,0mg/kg, xilazina - 1,0mg/kg) e atropina - 0,05mg/kg). O rato perdeu a reação postural de endireitamento em 2,3 minutos pós-injeção (MPI) e recuperou a capacidade de deambular normalmente em 135 MPI. A frequência cardíaca variou de 360 a 188 bpm (226±62), a frequência respiratória de 128 a 112mpm (120±5), e a temperatura retal de 36,2 a 33,5°C (34,4±1,0). A analgesia e o miorrelaxamento foram considerados bons para a realização de procedimentos indolores ou pouco dolorosos de curta duração, como exame físico, colheita de material biológico, biometria, exames de imagem e marcação. A associação de fármacos permitiu a manipulação segura do animal por 63 MPI. A recuperação foi considerada satisfatória, porém prolongada. Destaca-se que este é primeiro registro de ocorrência da espécie na Região Sul do Brasil, e o primeiro relato de contenção farmacológica desse roedor neotropical.
Download / Visualização