Ano 2017 - Volume 37, Número 8


Título
Aumento da concentração plasmática de óxido nítrico em cães com doença renal crônica naturalmente adquirida, 37(8):847-852
Autores

Resumo
RESUMO.- Galvão A.B., Carvalho M.B., Batalhão L.G., Silva J.C.B., Batalhão M. & Carnio E.C. 2017. Increased of nitric oxide plasma concentration in dogs with naturally acquired chronic renal disease. [Aumento da concentração plasmática de óxido nítrico em cães com doença renal crônica naturalmente adquirida.] Pesquisa Veterinária Brasileira 37(8):847-852. Medicina Veterinária, Faculdade de Ciências Agrárias e Medicina Veterinária, Universidade Estadual Paulista, Via de Acesso Prof. Paulo Donato Castellane s/n, Jaboticabal, SP 14884-900, Brazil. E-mail: andrebgalvao@gmail.com

A determinação de óxido nítrico no plasma em cães clinicamente estáveis em diferentes estágios da doença renal crônica (DRC) não foi estudada, constituindo este o objetivo do presente estudo. Foram estudados cinco grupos de cães, com idade variando entre quatro a 18 anos, compreendendo o grupo controle, composto por animais sadios (controle, n=17), grupo com DRC estágio 1 (DRC-1, n=12), grupo com DRC estágio 2 (DRC-2, n=10), grupo com DRC estágio 3 (DRC-3, n=13) e grupo com DRC estágio 4 (DRC-4, n=10). Os cães com DRC estavam com o quadro clínico estável e sem receber qualquer tipo de tratamento. Foram estudados cinco grupo de cães, com idade variando entre quatro a 18 anos, compreendendo o grupo controle, composto por animais sadios (controle, n=17), grupo com DRC estágio 1 (DRC-1, n=12), grupo com DRC estágio 2 (DRC-2, n=10), grupo com DRC estágio 3 (DRC-3, n=13) e grupo com DRC estágio 4 (DRC-4, n=10). Os animais sadios ou com DRC foram submetidos a duas coletas de sangue, com intervalo de 24 horas (amostras repetidas), para obtenção de soro e plasma. Os valores de creatinina sérica, que definiram a classificação dos pacientes do controle, DRC-1, DRC-2, DRC-3 e DRC-4, que foram 1,02±0,02mg/dL; 1,06±0,05mg/dL; 1,80±0,03mg/dL; 3,39±0,21mg/dL e 6,00±0,28mg/dL, respectivamente. A determinação plasmática indireta de óxido nítrico (NO) foi realizada por meio da dosagem de nitrato/nitrito, através da técnia de quimioluminescência NO / ozono. Os dados foram submetidos à ANOVA para análise não paramétrica (Kruskal-Wallis) (P <0,05). Os resultados das concentrações plasmáticas de NO não diferiram significativamente quando comparados os dados do controle (10,81±0,51µM), DRC-1 (15,49±1,97µM), DRC-2 (19,82±3,31µM). No entanto, o NO plasmático do grupo DRC-3 (17,01±1,73µM) e DRC-4 (83,55±13,63µM), foi significativamente maior, em relação às médias dos cães sadios. Concluímos que a concentração plasmática de NO pode aumentar em cães com DRC e torna-se significativamente mais elevada nos estágios 3 e 4 da doença.
Download / Visualização