Ano 2017 - Volume 37, Número 9


Título
Cistomatose de glândula apócrina em onça-pintada (Panthera onca), 37(9):991-994
Autores

Resumo
RESUMO.- Gruchouskei L., Carvalho A.L., Viott A.M., Delgado L.E.S., Krasinski F., Matos M.R. & Caleffo T. 2017. [Apocrine cystomatosis in a jaguar (Panthera onca).] Cistomatose de glândula apócrina em onça-pintada (Panthera onca). Pesquisa Veterinária Brasileira 37(9):991-994, Universidade Federal do Paraná, Setor Palotina, Jardim Dallas, Rua Pioneiro 2153, Palotina, PR 85950-000, Brazil. E-mail: viott@ufpr.br

A cistomatose de glândula apócrina é uma condição rara e não-neoplásica, que tem sido relatada em cães e gatos, e caracterizada por vários grupos de glândulas sudoríparas dilatadas, cuja distribuição generalizada raramente é observada. Uma fêmea de onça-pintada melânica (Panthera onca), com idade estimada de 16 anos e mantida em cativeiro, apresentou aumento de volume abdominal. Ao exame físico foram observados vários nódulos de consistência macia e flutuante, não aderidos, com tamanho de 2 a 15cm de diâmetro, na região ventral abdominal. Outras massas de menor diâmetro (0,5-1,0cm) estavam presentes na região cervical e no dorso do animal. Estas massas foram removidas em um procedimento cirúrgico. Dentro deste cisto havia conteúdo líquido, inodoro e translúcido. Microscopicamente, observou-se entre a derme média e profunda a formação de múltiplos cistos de tamanho variável. Esses cistos eram revestidos por uma única camada de células predominantemente cubóides. Em alguns focos eram observadas raras projeções papiliformes de epitélio glandular. O citoplasma estava levemente eosinofílico e com raras imagens de decapitação do ápice. O diagnóstico de cistomatose de glândulas apócrinas foi realizado através dos achados macroscópicos e microscópicos.
Download / Visualização