Ano 2017 - Volume 37, Número 10


Título
Aspectos pneumônicos anatomo-patológicos associados a Pasteurella multocida de alta patogenicidade em suínos de terminação, 37(10):1091-1100
Autores

Resumo
RESUMO.- Paladino E.S., Gabardo M.P., Lunardi P.N., Morés N. & Guedes R.M.C. 2017. Anatomopathological pneumonic aspects associated with highly pathogenic Pasteurella multocida in finishing pigs. [Aspectos pneumônicos anatomo-patológicos
associados a Pasteurella multocida de alta patogenicidade em suínos de terminação.] Pesquisa Veterinária Brasileira 37(10):1091-1100. Departamento de Clinica e Cirurgia Veterinária, Escola de Veterinária, Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Av. Antônio Carlos 6627, Belo Horizonte, MG 31270-901, Brazil. E-mail: guedesufmg@gmail.com

A bactéria Pasteurella multocida é causa frequente do Complexo de Doenças Respiratórias dos suínos em animais de terminação. Historicamente, a bactéria é reconhecida como agente oportunista, causando pneumonia bacteriana secundária. Diversos relatos brasileiros sugerem a habilidade da P. multocida de causar infecção pulmonar primária que leva a mortalidade de animais de terminação antes do abate. O objetivo deste estudo foi avaliar achados anatomopatológicos pulmonares associados com infecção por P. multocida, obtidas de animais acometidos clinicamente por doença respiratória e de animais ao abate. Avaliou-se 25 amostras de pulmão de 14 rebanhos obtidas de animais de terminação com sinais clínicos de doença respiratória aguda, e 19 pulmões coletados ao abate de 14 rebanhos diferentes. Em todos os pulmões, realizou-se isolamento bacteriano, e apenas amostras com crescimento puro de P. multocida foram incluídas no trabalho. Avaliou-se as lesões macro e microscopicamente, assim como co-infecções por Influenza A, Circovirus suíno tipo 2 (PCV2) e Mycoplasma hyopneumoniae. Pleurite e pericardite foram mais frequentemente observadas em amostras clinicas (P<0,05). Ainda, houve tendência numérica indicando a ocorrência de linfadenomegalia e exsudação cavitária, mais presentes em amostras clínicas. Treze amostras de pulmão foram negativas para M. hyopneumoniae, Influenza A e PCV2 por imunoistoquímica (IHQ), com identificação de apenas P. multocida. Nestes casos, lesões macroscópicas como pleurite, pericardite e linfadenomegalia foram sempre presentes, sem lesões histológicas indicativas de outros agentes como Actinobacillus pleuropneumoniae, Actinobacillus suis ou Haemophilus parasuis. Estes achados sugerem a habilidade de alguns isolados de P. multocida de causarem quadro respiratório primário e infecção sistêmica. No entanto, neste estudo, não foi possível determinar marcadores de virulência específicos para justificar tais achados.
Download / Visualização