Ano 2010 - Volume 30, Número 10


Título
Desenvolvimento de um modelo experimental de hemodiálise em cães, 30(10):861-867
Autores

Resumo
RESUMO.- Meneses A.M.C., Caramori J.C.T., Brant J.R.A.C., Gonçalves R.C., Souza N.F., Moraes C.C.G., Takahira R.K. & Barretti P. 2010. [Development of a dog model of hemodialysis.] Desenvolvimento de um modelo experimental de hemodiálise em cães. Pesquisa Veterinária Brasileira 30(10):861-867. Instituto da Saúde e Produção Animal, Universidade Federal Rural da Amazônia, Av. Presidente Tancredo Neves 2501, Montese, Cx. Postal 917, Belém, PA 66077-530, Brazil. E-mail: andre.meneses@ufra.edu.br

Com o objetivo de desenvolver um modelo de hemodiálise (HD) em cães, foram estudados 18 animais, sem raça definida, machos, clinicamente sadios, com peso corporal variando entre sete e 14 kg. O acesso vascular foi obtido através de implantação do cateter de duplo lúmen em veia jugular externa. As sessões de HD, em número de cinco por animal, com até três horas de duração, foram realizadas em hemodialisadora de sistema proporcional com ultrafiltração (UF) controlada, com solução dialisante padrão e tampão bicarbonato. A UF foi ajustada para HD isovolêmica, utilizou-se perfil de sódio, e para anticoagulação heparina sódica. Os animais foram mantidos anestesiados com cloridrato de levomepromazina e propofol. Foram avaliados dados hematológicos, bioquímicos, hemogasometria, pressão arterial sistêmica e tempo de coagulação ativado. Foi observada diminuição do número global de hemácias, volume globular, hemoglobina e leucócitos. Em relação aos exames bioquímicos, houve manutenção nos níveis de sódio sérico, e quanto à hemogasometria, a manutenção da SO2. A pressão arterial sistêmica manteve-se constante. Os resultados obtidos no presente trabalho permitiram concluir que foi possível o desenvolvimento do modelo proposto e mostrou que a HD em cães é um método viável e seguro, que poderá contribuir para o tratamento clínico da insuficiência renal nesta espécie.
Download / Visualização