Ano 2011 - Volume 31, Número 1


Título
Registros de desempenho e de status sanitário de um rebanho bovino leiteiro no Sul do Brasil, 31(1):1-9
Autores

Resumo
RESUMO.- Cruz C.E.F., Raymundo D.L., Cerva C., Pavarini S.P., Dalto A.G.C., Corbellini L.G. & Driemeier D. 2011. [Records of performance and sanitary status from a dairy cattle herd in southern Brazil.] Registros de desempenho e de status sanitário de um rebanho bovino leiteiro no Sul do Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira 31(1):1-9. Setor de Patologia Veterinária, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Av. Bento Gonçalves 9090, Porto Alegre, RS 91540-000, Brazil. E-mail: davetpat@ufrgs.br

Nas últimas décadas, os cuidados sanitários de vacas leiteiras passaram por um processo de adaptação, no qual o enfoque individual foi substituído pelo coletivo, cujo sistema de manutenção e interpretação de registros por veterinários assumiu papel fundamental. Os registros de eficiência produtiva e reprodutiva, bem como os de ordem sanitária observados em um rebanho bovino leiteiro no Sul do Brasil foram apresentados e discutidos. O período estudado foi 2000-2009. Os dados de produção leiteira média incluíram, por período de lactação de 349 dias, 8436 kg de leite, 290 kg de gordura e 275 kg de proteína, com média de contagem de células somáticas de 201000 células/ml de leite. Idade ao primeiro parto (31 meses), serviços por concepção (2,1), intervalo entre partos (428 dias), intervalo parto-concepção (146 dias), taxas médias anuais de parição (76,2%), perdas fetais (9,8-19%) e natimortos (3,6%), além de período de espera voluntária (94 dias) foram alguns dos índices de desempenho reprodutivo registrados. Informações sanitárias do rebanho incluíram prevalência média de doenças comuns em bovinos leiteiros tais como anaplasmose (29,8%), mastites (27,8%), doenças digitais (26,3%), cistos ovarianos (21,3%), retenção de placenta (19,7%), infecções uterinas (10,6%), diarreia (23,7%) e pneumonia (16,8%) em terneiras, entre outras. Além disso, razões de descartes (baixo desempenho reprodutivo [56,3%], alterações de úbere [33,6%], etc.), causas de morte (anaplasmose [16,4%], leucose [11.4], etc.) e o impacto de doenças de bovinos como tuberculose, leucose e neosporose sobre o rebanho foram também apresentados e sucintamente discutidos. Números entre colchetes representam taxas acumuladas no período 2000-2009.
Download / Visualização