Ano 2011 - Volume 31, Número 1


Título
Prevalência e fatores de risco associados à infecção por Chlamydophila abortus em granjas suinícolas tecnificadas no Estado de Alagoas, Brasil, 31(1):31-35
Autores

Resumo
RESUMO.- Valença R.M.B., Mota, R.A., Piatti, R.M., Anderlini G.A., Pinheiro Júnior J.W., Valença S.R.F.A. & Guerra M.M.P. 2011. [Prevalence and risk factors associated with infection by Chlamydophila abortus in commercial pig farms in the state of Alagoas, Brazil.] Prevalência e fatores de risco associados à infecção por Chlamydophila abortus em granjas suinícolas tecnificadas no Estado de Alagoas, Brasil. Pesquisa Veterinária Brasileira 31(1):31-35. Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Recife, PE 52171-900, Brazil. E-mail: rinaldo.mota@hotmail.com

Objetivou-se com este estudo calcular a prevalência e identificar os fatores de risco associados à infecção por Chlamydophila abortus em suínos criados em granjas tecnificadas no Estado de Alagoas, Brasil. Para compor a amostra do estudo foram utilizados 342 suínos, sendo 312 matrizes e 30 varrões oriundos de sete granjas de ciclo completo e distribuídas em cinco municípios do Estado de Alagoas. O diagnóstico sorológico da infecção por C. abortus foi realizado através da microtécnica de Fixação do Complemento (RFC). A análise dos fatores de risco foi realizada por meio da aplicação de questionários investigativos, constituídos por perguntas objetivas referentes ao criador, às características gerais da propriedade, ao manejo produtivo, reprodutivo e sanitário. Observou-se prevalência de 10,5% (36/342) de suínos soropositivos para a infecção por C. abortus, com 85,8% das granjas analisadas com animais positivos. As variáveis que demonstraram associação significativa foram: utilização de bebedouros comuns para jovens e adultos (p=0,024; OR=10,83; IC=1,36–86,03) e método de cobertura de monta natural associada à inseminação artificial (p=0,05; OR=7,62; IC=1,00-58,31). Relata-se a primeira ocorrência de anticorpos anti-C. abortus em suínos no Brasil. Fatores como a introdução de reprodutores nos plantéis e a forma de fornecimento de água foram evidenciados como facilitadores da infecção das matrizes neste estudo. Dessa forma, medidas de controle da infecção devem ser enfocadas nesse aspecto para evitar a disseminação do agente nas granjas suinícolas e em outros plantéis da região.
Download / Visualização