Ano 2011 - Volume 31, Número 10


Título
Pododermatite infecciosa e outras doenças podais de caprinos e ovinos no semiárido Nordestino, 31(10):879-884
Autores

Resumo
RESUMO.- Aguiar G.M.N., Simões S.V.D., Silva T.R., Assis A.C.O., Medeiros J.M.A., Garino Jr F. & Riet-Correa F. 2011. Foot rot and other foot diseases of goat and sheep in the semiarid region of northeastern Brazil. [Pododermatite infecciosa e outras doenças podais de caprinos e ovinos no semiárido Nordestino.] Pesquisa Veterinária Brasileira 31(10):879-884. Hospital Veterinário, Universidade Federal de Campina Grande, Patos, PB 58700-000, Brazil. E-mail: franklin.riet@pq.cnpq.br

Este trabalho relata a ocorrência e aspectos epidemiológicos de surtos de pododermatite infecciosa e outras afecções podais em caprinos e ovinos no semiárido paraibano. As propriedades foram inspecionadas quanto à presença de problemas podais e aspectos relacionados às condições ambientais, higiene, locais de pastejo e medidas de controle utilizadas. Nos ovinos a prevalência de lesões podais foi de 19,41% (170/876) e nos caprinos de 17,99% (52/289), variando entre 5,77% e 33,85% nas diferentes propriedades. A pododermatite infecciosa foi a doença mais frequente acometendo 12,1% dos animais examinados (141/1165), sendo a prevalência nos ovinos (13,69%) significativamente maior (p<0,05) do que a nos caprinos (7,27%). A frequência de lesões malignas desta doença em caprinos (9,53%) foi, também, significativamente menor (p<0,05) do que nos ovinos (40,83%). Em uma das propriedades a prevalência de pododermatite infecciosa entre os ovinos Dorper (17,5%) foi significativamente maior do que a nos ovinos da raça Santa Inês (6,79 %), tendo os animais da primeira raça maior número de membros acometidos pela pododermatite infecciosa. Dichelobacter nodosus e Fusobacterium necrophorum foram isolados de casos de pododermatite infecciosa. A doença da linha branca foi constatada em 3,95% dos animais, a úlcera de sola em 1,29%, o abscesso do pé em 1,03%, e crescimento excessivo do casco em 0,5%. Os altos índices pluviométricos na época de ocorrência, o pastejo em áreas úmidas, os solos argilosos com pouca drenagem, os terrenos pedregosos, o encerramento em currais durante a noite e a introdução de animais doentes foram considerados fatores predisponentes para a ocorrência dos surtos.
Download / Visualização