Ano 2012 - Volume 32, Número 7


Título
Papilomatose em cães: estudo retrospectivo de 24 casos (2001-2011) e caracterização imuno-histoquímica, 32(7):653-657
Autores

Resumo
RESUMO.- Bianchi M.V., Casagrande R.A., Watanabe T.T.N., Wouters A.T.B., Wouters F., Boos G.S., Menegat M.B. & Driemeier D. 2012. Canine papillomatosis: A retrospective study of 24 cases (2001-2011) and immunohistochemical characterization. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(7):653-657. Setor de Patologia Veterinária, Faculdade de Veterinária, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Av. Bento Gonçalves 9090, Porto Alegre, RS 91540-000, Brazil. E-mail: davetpat@ufrgs.br

Foi realizado um estudo retrospectivo de 24 casos de papilomas em cães diagnosticados no período de janeiro 2001 a março de 2011, bem como a sua caracterização imuno-histoquímica (IHQ). Cães sem raça definida foram os mais afetados, a idade média foi de 3,1 anos, com variação de 6 meses a 10 anos e não houve predileção sexual. Quanto à localização das lesões, 75,0% estavam na pele, 16,7% no lábio e 8,3% em pálpebra. Na avaliação histológica havia proliferação papilar exofítica do epitélio escamoso em 87,5% e papilar endofítica (invertido) em 12,5%. O tumor era caracterizado por hiperplasia do estrato espinhoso (87,5%) com coilócitos (70,8%) e inclusões intranucleares basofílicas pálidas (8,3%); o estrato granular estava proeminente com grande quantidade de grânulos de querato-hialina (95,8%); e havia hiperqueratose do estrato córneo (100%). Na avaliação IHQ para Papillomavirus houve marcação nos estratos granuloso e córneo em 83,3%. Estes achados indicam que os papilomas em cães são causados por Papillomavirus, as lesões epiteliais são decorrentes do efeito citopático viral, as partículas virais estão no núcleo das células e corpúsculos de inclusão são raros.
Download / Visualização