Ano 2012 - Volume 32, Número 8


Título
Moraxella bovoculi em casos de ceratoconjuntivite infecciosa bovina no Rio Grande do Sul, 32(8):743-746
Autores

Resumo
RESUMO.- Libardoni F., Scherer C.F.C., Farias L., Vielmo A., Balzan C. & Vargas A.C. 2012. [Moraxella bovoculi in cases of infectious bovine keratoconjunctivitis in Rio Grande do Sul, Brazil.] Moraxella bovoculi em casos de ceratoconjuntivite infecciosa bovina no Rio Grande do Sul. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(8):743-746. Departamento de Medicina Veterinária Preventiva, Centro de Ciências Rurais, Universidade Federal de Santa Maria, Avenida Roraima 1000, Cidade Universitária, Camobi, Santa Maria, RS 97105-900, Brazil. E-mail: agueda.vargas@gmail.com

A ceratoconjuntivite infecciosa (CI), embora raramente fatal, resulta em perdas econômicas significativas para os rebanhos bovinos e ovinos. Os principais agentes causadores dessa enfermidade são Moraxella bovis e Moraxella ovis. Em 2007 foi descrita uma nova espécie também responsável pela CI e denominada Moraxella bovoculi, que até o presente momento, não havia sido relatada no Brasil. Assim, objetivou-se com este trabalho caracterizar e distinguir 54 isolados de Moraxella spp. de amostras clínicas oriundas de 34 bovinos e 17 ovinos, encaminhadas ao Laboratório de Bacteriologia da Universidade Federal de Santa Maria no período de 1990 a 2011, visando a identificação de M. bovoculi. A distinção dos isolados foi fundamentada nas características genotípicas, pela amplificação parcial da região intergênica 16S-23S e clivagem dos produtos da amplificação com enzima RsaI. Como resultados, 25 (46%) isolados foram caracterizados como M. bovis, 17 (32%) como M. ovis e 12 (22%) como M. bovoculi. Logo, conclui-se que M. bovoculi encontra-se presente no rebanho bovino do Rio Grande do Sul e, portanto, no Brasil.
Download / Visualização