Ano 2012 - Volume 32, Número 9


Título
Caracterização da microbiota auricular de cutias (Dasyprocta aguti) criadas em cativeiro, 32(9):927-930
Autores

Resumo
RESUMO.- Souza C.G.V., Olinda R.G., Amorim R.N.L., Oliveira M.F., Alves N.D., Amóra S.S.A., Bezerra F.S.B. & Feijó F.M.C. 2012. [Characterization of auricular natural microbiota from captive agoutis (Dasyprocta aguti).] Caracterização da microbiota auricular de cutias (Dasyprocta aguti) criadas em cativeiro. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(9):927-930. Laboratório de Microbiologia Veterinária, Departamento de Ciências Animais, Universidade Federal Rural do Semiárido, BR 110 Km 47, Bairro Presidente Costa e Silva, Mossoró, RN 59625-900, Brazil. E-mail: rgumes@hotmail.com

O presente trabalho teve por objetivo identificar as principais bactérias aeróbias que compõem a microbiota natural do pavilhão auricular de cutias hígidas. Para tanto, foram utilizadas 48 cutias, criadas em cativeiro sob as condições Semiáridas do Nordeste Brasileiro. Esses animais foram distribuídos nas categorias de adultos (N=32) e filhotes (N=16), e, em ambas, distribuídos igualmente entre machos e fêmeas. Através de um swab, em cada animal coletou-se de cada orelha a secreção presente na superfície do pavilhão auricular dos animais, totalizando 96 amostras. Este material foi refrigerado, e encaminhado ao laboratório para a realização das análises microbiológicas (macroscopia das colônias, citologia e provas bioquímicas), com o intuito de isolar e identificar os microrganismos. Os principais microrganismos isolados foram Staphylococcus spp. (47,26%), Streptococcus spp. (12,80%), Bacillus spp. (22,73%) e Corynebacterium spp. (17,30%). Verificou-se também que não houve diferença entre adultos e filhotes em relação aos microrganismos retrocitados. Assim, as bactérias residentes do pavilhão auricular de cutias hígidas são essencialmente cocos e bacilos gram-positivos, similarmente ao encontrado em pequenos animais domésticos.
Download / Visualização