Resultado da pesquisa (3)

Termo utilizado na pesquisa Amazon biome

#1 - Bovine digital dermatitis in the Brazilian Amazon biome and topical treatment with Copaifera reticulata oil

Abstract in English:

Bovine Digital Dermatitis (BDD) was studied in crossbred dairy cows grazing in Rondon do Pará, in the state of Pará, as well as in Açailândia and Cidelândia, in the state of Maranhão, Brazilian Amazon biome. The digits inspection from the dairy cows during milking was performed in ten farms comprising four visits (August and November 2016; April and July 2017). The cows were kept all year in pastures, and were mechanically milked on concrete floors and the animals were protected against the rains in eight farms, maintaining a daily cleaning, however, it could not be found a concrete floor in pre- or post-milking to ensure milking parlor on three farms. Manual milking on no concrete floors was performed in two farms. No preventive measures against hoof lesions were adopted. The BDD prevalence was 1.3% (22/1664), and no statistical difference among rainy or no rainy season was obtained (p = 0.72). The BDD lesions were classified according to “M system” (M0 = no lesion, M1 = active ulceration <2cm, M2 = active ulceration >2cm, M3 = healing stage, M4 = chronic stage, M4.1 = M4 with active ulceration). Regarding the 22 BDD lesions observed, 22.7% (5/22) were M1 stage, 36.4% (8/22) M2, 22.7% (5/22) M3, 13.6% (3/22) M4 and 4.5 (1/22) M4.1. Hypertrophic hairs at the edges of the lesions caused by fly larvae of genus Cochliomyia spp. as well as alterations on the hoof were also observed. Topical treatment was performed in six BDD lesions with a raw extract from trees of the genus Copaifera reticulata (Copaiba oil) and compared with the treatment of salicylic acid paste in five BDD lesions. The lesions were protected with a bandage for seven days and followed weekly until recovery. The complete therapeutic responses were 83.4% (5/6) and 75% (3/4), respectively, with an average time of seven weeks. The BDD in the Amazon biome occurs in low prevalence, not seasonal, and presents macro and microscopic features similar to BDD lesions from dairy cattle kept in free-stall housing. The treatment with copaiba oil showed similar results to the treatment of salicylic acid paste and can be used in control measures to BDD in the Amazon biome.

Abstract in Portuguese:

A dermatite digital bovina (DDB) foi estudada em vacas mestiças leiteiras nos municípios de Rondon do Pará no Pará, Açailândia e Cidelândia no Maranhão, bioma amazônico brasileiro. Para tanto, foram realizadas quatro visitas a 10 propriedades, nos meses de agosto e novembro em 2016 e abril e julho em 2017, e realizada a inspeção dos dígitos de 1.664 vacas em lactação durante a ordenha. Nestas propriedades as vacas eram criadas a pasto durante todo o ano e ordenhadas mecanicamente em oito propriedades. As quais, as salas de ordenha tinham piso concretado, com proteção contra as chuvas e era realizada a limpeza diariamente. No entanto, em três dessas propriedades, as salas de pré ou pós ordenha tinham piso não concretado e em duas, a ordenha era manual em piso de chão batido. Em todas elas não havia medidas profiláticas para afecções podais. A prevalência de DDB foi de 1,3% (22/1.664) e não se obteve diferença estatística entre os períodos chuvoso e não chuvoso (P = 0,72). As lesões observadas foram classificadas de acordo com o sistema M (M0-sem lesão; M1-lesão ulcerada <2cm; M2-lesão ulcerada >2cm; M3-lesão em cicatrização; M4-lesão crônica; M4.1- M4 com área ulcerada). De 22 lesões observadas, 22,7% (5/22) apresentavam-se em estágio M1, 36,4% (8/22) em M2, 22,7% (5/22) em M3, 13,6% (3/22) em M4 e 4,5% (1/22) em M4.1. Pelos hipertrofiados nos bordos das lesões, larvas de moscas do gênero Cochliomyia spp. e alterações no tecido córneo também foram observados. Nas lesões de 11 bovinos, em seis, foi realizado o tratamento tópico com extrato bruto de Copaifera reticulata (óleo de copaíba) e em cinco, com a pasta de ácido salicílico a 660mg/g e ambos os tratamentos foram protegidos com bandagem por sete dias. Após, as lesões foram acompanhadas semanalmente até a cura e obteve-se um índice de 83,4% (5/6) e 75% (3/4) de cura com esses tratamentos, respectivamente, com uma média de 7 semanas. Conclui-se que no bioma amazônico a DDB ocorre em baixa prevalência, não sazonal e com características macroscópicas semelhantes às lesões de vacas leiteiras criadas em sistema free stall. O tratamento com o óleo da copaíba apresentou resultados semelhante ao ácido salicílico e pode ser uma alternativa como medida de controle da DDB no bioma amazônico.


#2 - Detection of Treponema spp. in bovine digital dermatitis in the Amazon biome, Brazil

Abstract in English:

Bovine digital dermatitis (BDD) is a polybacterial claw disease that is endemic to dairy cattle kept in loose house systems, and treponemas are the main bacteria implicated in this disease. The objective of this study was to report the occurrence of Treponema spp. in BDD from crossbred dairy cattle (Holstein x Zebu) kept in a pasture in the Brazilian Amazon biome. The diagnostic of BDD was performed by inspecting the distal extremities of cattle during milking in one or more visits comprising 15 farms. In total, it could be inspected 1,847 cows from August 2016 to July 2017, and 25 lesions of BDD were diagnosed. The feet were scored (System M: M0 = no lesion, M1 = ulcer stage <2cm, M2 = ulcer stage >2cm, M3 = healing stage, M4 = chronic stage, M4.1 = chronic stage with ulcer area). Twenty four biopsy samples were taken from feet with BDD and five biopsy samples from feet with no lesions. The histopathology of stained tissues was performed by hematoxylin and eosin and Warthin-Starry method. The samples were also tested by nested PCR for the three previously isolated BDD Treponema phylogroups (T. medium/T. vincentii-like, T. phagedenis-like and T. putidum/T. denticola-like). Spirochetes were observed in 54.2% (13/24) of the lesions, and in 91.7% (22/24) of the samples were detected the DNA of this spirochete belonging to the treponema phylogroups implicated in BDD. In 25% (6/24) of the lesions were detected all the phylogroups. Forty percent (40%, 2/5) of the M0 samples were also positive for the nested Polymerase Chain Reaction (nested-PCR), as 8.3% (2/24) of the lesions were negative in both techniques employed. Treponema putidum/T. denticola-like was the most detected bacterial in all the stages, and active lesions (M2 and M4.1) presented a greater proportion of T. medium/T. vincentii-like and T. phagedenis-like, but no statistical differences were observed (p>0.05). It could be concluded that BDD lesions in crossbred dairy cattle kept to pasture in the Amazon biome were classified as “polytreponemal” infections and the phylogroup T. putidum/T. denticola-like was the most frequent in the lesions.

Abstract in Portuguese:

Dermatite digital bovina (DDB) é uma enfermidade polibacteriana dos dígitos endêmica em vacas leiteiras criadas em estábulos e as treponemas são as principais bactérias envolvidas. Este estudo teve como objetivo relatar a ocorrência de Treponema spp. em DDB em bovinos leiteiros mestiços (Holandês x Zebu) criados a pasto no bioma amazônico brasileiro. O diagnóstico da DDB foi realizado pela inspeção, em uma ou mais visitas, das extremidades distais das vacas durante a ordenha em 15 propriedades. No total, foram inspecionadas 1.847 vacas de agosto de 2016 a julho de 2017 e diagnosticou-se 25 lesões de DDB. As extremidades distais inspecionadas foram classificadas em escores (M0 = sem lesão, M1 = estágio ulcerado <2cm, M2 = estágio ulcerado >2cm, M3 = estágio em cicatrização, M4 = estágio crônico, M4.1 = estágio crônico com área ulcerada) e realizada 24 biópsias de dígitos com DDB e cinco biópsias de dígitos em estágio M0. Foram realizadas a histopatologia pelas colorações de hematoxilina e eosina e pelo método de Warthin-Starry, e a nested de reação em cadeia de polimerase (nested-PCR) para os três filogrupos de treponemas previamente isolados de DDB (Treponema medium/T. vincentii-like, T. phagedenis-like e T. putidum/T. denticola-like). Espiroquetas foram observadas em 54,2% (13/24) das lesões e em 91,7% (22/24) detectou-se o DNA de, pelo menos, um dos filogrupos de treponemas pesquisados. Em 25% (6/24) das lesões foram detectados o DNA dos três filogrupos. Em 40% (2/5) das amostras em estágio M0 também foram positivas na nested-PCR, assim como 8,3% (2/24) das lesões foram negativas em ambas as técnicas empregadas. T. putidum/T. denticola-like foi o filogrupo mais detectado em todos os estágios e lesões ativas (M2 e M4.1) apresentaram uma maior proporção para Treponema medium/T. vincentii-like e T. phagedenis-like, mas não se obteve diferença estatística na ocorrência dos filogrupos entre os estágios das lesões (P>0,05). Conclui-se que lesões de DDB em rebanhos leiteiros mestiços criados a pasto no bioma amazônico brasileiro são “politreponemais” e o filogrupo T. putidum/T. denticola-like é o mais frequente nas lesões.


#3 - Desmodus rotundus capture in forest (Amazon biome) and mangrove areas in the State of Maranhão, Brazil: a longitudinal study, 33(5):571-574

Abstract in English:

ABSTRACT.- Arruda R.C.N., Barçante T.A., Peconick A.P., Pereira S.M., Souza J.C.P., Sousa T.M. & Barçante J.M.P. 2013. [Desmodus rotundus capture in forest (Amazon biome) and mangrove areas in the State of Maranhão, Brazil: a longitudinal study.] Captura de Desmodus rotundus em regiões de mata e manguezais do estado do Maranhão: um estudo longitudinal. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(5):571-574. Setor de Medicina Veterinária Preventiva, Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Lavras, Campus Universitário, Lavras, MG 37200-000, Brazil. E-mail: joziana@dmv.ufla.br The aim of the study was to investigate the number of captures and the control of the common vampire bat Desmodus rotundus on small farms in the municipality of Cedral, State of Maranhão, Brazil. The area was chosen because the highest number of captures in Maranhão was made there around corrals. Official control is accomplished by applying warfarin 2%, a vampiricid gel, on captured bats. In this study, control records of captured hematophagous bats were analyzed, and a questionnaire was applied in the field to identify areas with the highest number of captures. From 2005 to 2010, 223 captures in 101 farms were studied; in 190 of them existed control with application of warfarin 2% gel on the bats.. There was a total of 344 attacked livestock out of 754 exposed animals, mostly cattle (49%), followed by horses (18%), poultry (15%), pigs (9%) and goats (8%). After 6 years, the proportion of captured male and female bats was 1.08 to 1.00, compared to 1.00 to 1.21 in the first year, what demonstrates that the treatment was more effective in females. Within three years, there was control in the number of bats in 95% of the farms, after 1 to 6 captures. The main attacked area of the animal bodies was the neck. Only 57% of the owners vaccinated their livestock. The present study concluded that (1) the control with capture of bats in corrals was effective, (2) but it is prudent to monitor the area during the first 3 months after the end of control, (3) the number of captured bats was similar to the number of recent bites, and (4) D. rotundus could attack any domestic animal, with little predilection for poultry.

Abstract in Portuguese:

RESUMO- Arruda R.C.N., Barçante T.A., Peconick A.P., Pereira S.M., Souza J.C.P., Sousa T.M. & Barçante J.M.P. 2013. [Desmodus rotundus capture in forest (Amazon biome) and mangrove areas in the State of Maranhão, Brazil: a longitudinal study.] Captura de Desmodus rotundus em regiões de mata e manguezais do estado do Maranhão: um estudo longitudinal. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(5):571-574. Setor de Medicina Veterinária Preventiva, Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal de Lavras, Campus Universitário, Lavras, MG 37200-000, Brazil. E-mail: joziana@dmv.ufla.br O presente trabalho teve por objetivos investigar o número de capturas e o controle do morcego hematófago Desmodus rotundus, em pequenas propriedades localizadas no município de Cedral no estado do Maranhão, que foi escolhido por ter sido efetuado o maior número de capturas do estado, sendo todas ao redor de currais. O controle oficial é realizado pela aplicação de pasta vampiricida de uso tópico a base de warfarina a 2%. Para o estudo foram utilizadas fichas de controle de morcegos hematófagos capturados em currais, como também, foi aplicado um questionário a campo para identificação dos locais com maior número de capturas. No período de 2005 a 2010 foram estudados os resultados de 223 buscas ativas por D. rotundus, em 101 propriedades. Foi capturado um total de 408 morcegos hematófagos, distribuídos em 190 das 223 buscas. Em todos os espécimes de D. rotundus capturados foi realizado o tratamento, que consistiu na aplicação da pasta vampiricida, no dorso do animal. Nas propriedades estudadas, verificou-se que dos 754 animais expostos, 344 foram agredidos. Destes, os bovinos foram a maior oferta de alimento aos Desmodus (49%), seguidos dos equídeos (18%), aves (15%), suínos (9%) e caprinos (8%). Apesar dos bovinos terem sido os mais atacados, em função do efetivo disponível, verificou-se uma preferência dos morcegos hematófagos por eqüídeos. As falhas nas capturas ocorreram onde havia poucos animais agredidos. Após análise de seis anos de realização do programa de controle com pasta vampiricida, verificou-se que a proporção de macho e fêmeas de D. rotundus capturados foi 1,08 machos para cada fêmea, o que demonstra que o tratamento foi mais efetivo nas fêmeas, uma vez que no primeiro ano do estudo, a proporção era de 1,21 fêmeas para cada macho. Verificou-se ainda que o controle foi realizado com sucesso em 95% das propriedades trabalhadas, com uma média de tempo de três anos de trabalho com até seis capturas por propriedade. Ao exame dos animais agredidos verificou-se que a área do pescoço dos grandes animais e dos caprinos são as mais atingidas, sugerindo o pouso direto dos morcegos sobre o animal. Uma representação pequena dos proprietários entrevistados vacinavam seus animais (57%), e destes apenas um fazia o reforço de vacinação. Concluiu-se que nas regiões de mangue e/ou matas, o controle foi efetivo nas capturas em currais, sendo prudente verificar a ocorrência de novas agressões, dentro de 15 dias e nos primeiros três meses. No planejamento de controle de D. rotundus em curral, deve ser considerado que o número de morcegos capturados é semelhante ao número de mordidas recentes. Em relação às criações domésticas de subsistências, D. rotundus se alimenta de fontes distintas, com uma menor predileção pelas aves.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV