Resultado da pesquisa (2)

Termo utilizado na pesquisa Aquino L.C

#1 - Hemoplasma infection in wild captive carnivores

Abstract in English:

Hemoplasmas are bacteria able to adhere themselves loosely to the plasma membrane of erythrocytes and may parasitize several species of mammals. There are three known species of hemoplasmas that parasitize domestic and wild cats: Mycoplasma haemofelis, ‘Candidatus Mycoplasma haemominutum’ and ‘Candidatus Mycoplasma turicensis’. Dogs are infected by at least two species of hemoplasmas: ‘Candidatus Mycoplasma haematoparvum’ and Mycoplasma haemocanis. The hemoplasmoses are very important in veterinary clinics, either because of its worldwide distribution and severity of clinical signs, depending on parasite species and host immune competence, or due to its zoonotic potential and capability of infecting endangered species. This study set out to investigate which hemoplasmas species parasitize different captive wild carnivores in order to clarify the epidemiology of hemoplasmoses in wild animals. Furthermore, the research intended to characterize the hematological changes caused by different species of hemotropic mycoplasmas infection in order to establish their clinical importance to wild species and the capacity of these species to become a reservoir of studied agents. Samples of 33 wild felids and 18 wild canids were investigated using polymerase chain reaction (PCR) to detect hemoplasmas DNA and it was observed that the occurrence of infection in these species is 45.5% and 83.3%, respectively. Factors such as age, gender or anaemia are not more frequent in animals positive for the infection. Therefore, it is concluded that infection caused by hemoplasmas in wild carnivores has high prevalence, and either agent pathogenicity is low, or chronic stage is more frequent, resulting in a low rate of diagnosis.

Abstract in Portuguese:

Hemoplasmas são bactérias capazes de aderir frouxamente à membrana plasmática de eritrócitos e que podem parasitar diversas espécies de mamíferos. São conhecidas três espécies de hemoplasmas que parasitam felídeos domésticos e selvagens: Mycoplasma haemofelis, ‘Candidatus Mycoplasma haemominutum’ and ‘Candidatus Mycoplasma turicensis’. Cães são infectados por ao menos duas espécies de hemoplasmas: Candidatus Mycoplasma haematoparvum’ and Mycoplasma haemocanis. As hemoplasmoses são de grande importância na clínica veterinária, tanto pela sua distribuição ubíqua e severidade dos sinais clínicos, a depender da espécie do parasita e imunocompetência do hospedeiro, quanto pelo seu potencial zoonótico e capacidade de infectar espécies ameaçadas. Este estudo visa investigar quais espécies de hemoplasmas parasitam diferentes carnívoros selvagens de cativeiro, a fim de esclarecer a epidemiologia das hemoplasmoses em animais selvagens. Além disso, o trabalho objetivou caracterizar as alterações hematológicas causadas pela infecção por diferentes espécies de micoplasmas hemotrópicos visando estabelecer sua importância clínica para espécies selvagens e a capacidade destas espécies de se tornar reservatórios dos agentes estudados. Amostras de 33 felídeos selvagens e de 18 canídeos selvagens foram investigadas por meio da reação em cadeia da polimerase (RCP) para detectar o DNA dos agentes e foi observado que a ocorrência da infecção por hemoplasmas nestas espécies é de 45,5% e 83,3%, respectivamente. Fatores como idade, sexo ou anemia não são mais frequentes em animais positivos para a infecção. Dessa forma, conclui-se que a infecção causada por hemoplasmas em carnívoros selvagens possui alta prevalência, no entanto ou a patogenicidade dos agentes é baixa ou o estágio crônico da infecção é mais frequente, resultando em uma baixa frequência diagnóstica.


#2 - Frequency and hematological alterations of different hemoplasma infections with retrovirusis co-infections in domestic cats from Brazil, 36(8):731-736

Abstract in English:

ABSTRACT.- Firmino F.P., Aquino L.C., Marçola T.G., Bittencourt M.V., McManus C.M. & Paludo G.R. 2016. Frequency and hematological alterations of different hemoplasma infections with retrovirusis co-infections in domestic cats from Brazil. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(8):731-736. Laboratório de Patologia Clínica, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Universidade de Brasília, Campus Universiário Darcy Ribeiro, Brasília, DF 70910-900, Brazil. E-mail: giane@unb.br Mycoplasma haemofelis is the agent of feline infectious anemia, although Candidatus M. haemominutum can also be associated. This study evaluated the frequency and hematological alterations caused by hemoplasma infections and co-infections with FeLV, FIV and Toxoplasma gondii in domestic cats from two distinct areas (urban - G1 and periurban - G2) of Brasília, Brazil. One hundred cats were evaluated, 51 from the G1 area and 49 from G2. No cats were positive for T. gondii. Hemoplasma infection was diagnosed in 33% cats from G1 and 32.6% from G2 (p>0.05). In G1 35.3% of the positive cats were infected with Mycoplasma haemofelis, 47.06% with Candidatus Mycoplasma haemominutum and 17.64% with mixed hemoplasma species infection; 12.5% of the cats identified as PCR positive in G2 were infected with Mycoplasma haemofelis, 18.75% with Candidatus Mycoplasma haemominutum and 68.75% with mixed infection. Cats from the periurban area had higher mixed hemoplasmas infection rates than those from urban area, and most of them were asymptomatic carriers. Cytology results were positive in only 5% of cats from G1. Mycoplasma haemofelis infected cats had normocytic normochromic anemia while the cats infected with Candidatus Mycoplasma haemominutum or with both species did not. 37.2% of G1 cats were co-infected with Mycoplasma haemofelis and FeLV, and presented lower PCV and hemoglobin concentration than those infected only with Mycoplasma haemofelis. The co-infection with Candidatus Mycoplasma haemominutum and FeLV produced lower WBC, segmented cells and platelets, and increased total protein concentration.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Firmino F.P., Aquino L.C., Marçola T.G., Bittencourt M.V., McManus C.M. & Paludo G.R. 2016. Frequency and hematological alterations of different hemoplasma infections with retrovirusis co-infections in domestic cats from Brazil. [Frequência e alterações hematológicas causadas por diferentes infecções por hemoplasmas com co-infecções por retrovírus em gatos domésticos do Brasil.] Pesquisa Veterinária Brasileira 36(8):731-736. Laboratório de Patologia Clínica, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Universidade de Brasília, Campus Universiário Darcy Ribeiro, Brasília, DF 70910-900, Brazil. E-mail: giane@unb.br Mycoplasma haemofelis é o principal agente causador da anemia infecciosa felina, apesar de outras espécies de hemoplasmas, Candidatus M. haemominutum e Candidatus M. turicensis, também estarem associadas à hemoplasmose felina. O presente estudo avaliou a frequência de hemoplasmas, as principais alterações hematológicas associadas com a infecção e co-infecções com FeLV, FIV e Toxoplasma gondii em gatos domésticos de duas áreas diferentes (urbana - G1 e periurbana - G2) de Brasília, Brasil. 100 gatos foram avaliados, 51 de G1 e 49 de G2. Nenhum gato foi positivo para T. gondii. Hemoplasmose foi diagnosticada em 33% dos gatos de G1 e 32,6% de G2 (p>0,05). Em G1, 35.3% dos gatos hemoplasma positivos estavam infectados por Mycoplasma haemofelis, 47,06% por Candidatus Mycoplasma haemominutum e 17,64% apresentaram infecção concomitante por Mycoplasma haemofelis e Candidatus Mycoplasma haemominutum. Em G2, 12,5% dos gatos hemoplasma positivos estavam infectados por Mycoplasma haemofelis, 18,75% por Candidatus Mycoplasma haemominutum e 68,75% apresentaram infecção concomitante por Mycoplasma haemofelis e Candidatus Mycoplasma haemominutum. Gatos da região periurbana eram, em sua maioria, assintomáticos e apresentaram mais infecção concomitante por duas espécies de hemoplasmas do que gatos da região urbana. Os resultados da citologia foram positivos apenas em 5% dos gatos de G1. Gatos com infectados apenas com Mycoplasma haemofelis apresentaram anemia normocítica normocrômica e gatos com infecção única com Candidatus Mycoplasma haemominutum ou em combinação com Mycoplasma haemofelis não apresentaram alterações hematológicas. 37,2% dos gatos de G1 estavam co-infectados por Mycoplasma haemofelis e FeLV, e apresentaram VG e concentração de hemoglobina menores do que os gatos infectados apenas por Mycoplasma haemofelis. A co-infecção por Candidatus Mycoplasma haemominutum e FeLV resultou em baixo número de leucócitos, segmentados e plaquetes, além de aumento das concentrações de proteínas totais.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV