Resultado da pesquisa (3)

Termo utilizado na pesquisa Assis-Neto A.C

#1 - Development of the urinary system in guinea pig females (Cavia porcellus)

Abstract in English:

Guinea pigs are animal models widely used in research related to developmental biology. The objective of this work was to demonstrate the process of formation and differentiation of urinary organs in females of the species in the prenatal period. Four females were used at 25, 30, 45 and >65 DG (days of gestation). The animals were dissected, and then macroscopic and microscopic descriptions of the urinary organs were performed. At 25 DG metanephros were present in the urogenital crest into the abdominal cavity. Collecting ducts and glomerular precursor cells could be visualized. After this period, metanephros underwent microstructural modifications to form the kidneys at the end of the prenatal period. After 30 DG, the renal parenchyma already had a cortex, where the glomerulus and proximal convoluted tubules were present; and the medulla, where distal convoluted tubules, collecting ducts, and pelvis were present. The pelvis of each kidney was drained by the ureters. The ureters also underwent tissue differentiation to be differentiated (mucosa with transitional epithelium and lamina propria of connective tissue, muscular, and adventitia) at the end of the prenatal period. The urinary vesicle also underwent tissue changes to form the tunics similar to those found in the ureters, with emphasis on the greater volume of the muscular tunica and the lamina propria that constituted the submucosa in this organ. The pelvic urethra was evidenced by a mucosa lined by transitional epithelium, submucosa, muscular and adventitia. Finally, a partial clitoral urethra and a urethral meatus in the prepuce of the clitoris were also evidenced. The urethral channel began to form with the emergence of the urethral plate and the urethral groove at 30 DG and thereafter with the fusion of the urethral folds to form a partially channeled urethra in the clitoris. A urethral meatus was observed in the most distal portion of the clitoral tissue, formed by the fusion of the prepuce. It is concluded that the urinary organs of guinea pig have similar development to that described in domestic animals, except for the partial clitoral urethra and evident urethral meatus.

Abstract in Portuguese:

Os porquinhos‑da‑índia são modelos animais amplamente utilizados em pesquisas relacionadas a biologia do desenvolvimento. O objetivo deste trabalho foi demonstrar o processo de formação e diferenciação dos órgãos urinários em fêmeas da espécie no período pré-natal. Foram utilizadas quatro fêmeas aos 25, 30, 45 e >65 DG (dias de gestação). Os animais foram dissecados e então, realizaram-se descrições macroscópicas e microscópicas dos órgãos urinários. Aos 25 DG os metanefros estavam presentes na crista urogenital da cavidade abdominal. Podiam ser visualizados ductos coletores e células precursoras glomerulares. Após este período, os metanefros sofreram modificações microestruturais para formar os rins ao final do período pré-natal. Após os 30 DG, o parênquima renal já apresentava um córtex, onde estavam presentes os glomérulos e túbulos convolutos proximais, e a medula onde estavam presentes túbulos convolutos distais, ductos coletores e a pelve. A pelve de cada rim era drenada pelos ureteres. Os ureteres também sofreram diferenciação tecidual para estarem com suas túnicas diferenciadas (mucosa com epitélio de transição e lâmina própria de tecido conjuntivo; muscular; e, adventícia) ao final do período pré-natal. A vesícula urinária também passou por modificações teciduais para formar as túnicas semelhantes as dos ureteres, com destaque para o maior volume da túnica muscular e a lâmina própria que constituiu a submucosa neste órgão. Uma uretra pélvica foi evidenciada por uma mucosa revestida por epitélio de transição, submucosa, muscular e adventícia. Por último, uma uretra parcialmente clitoriana e um meato uretral no prepúcio do clitóris também foi evidenciado. O canal uretral começou a se formar com o aparecimento da placa uretral e do sulco uretral aos 30 DG e posteriormente com a fusão das pregas uretrais para formar uma uretra parcialmente canalizada no clitóris. Observou-se um meato uretral na porção mais distal do tecido clitoriano, formado pela fusão do prepúcio. Conclui-se que os órgãos urinários do porquinho-da-índia possuem desenvolvimento semelhante ao descrito em animais domésticos, com exceção da uretra parcialmente clitoriana e do meato uretral evidente.


#2 - Characterization of the estrous cycle in Galea spixii (Wagler, 1831), 35(1):89-94

Abstract in English:

ABSTRACT.- Santos A.C., Viana D.C., Bertassoli B.M., Oliveira G.B., Oliveira D.M., Bezerra F.V.F., Oliveira M.F. & Assis-Neto A.C. 2015. Characterization of the estrous cycle in Galea spixii (Wagler, 1831). Pesquisa Veterinária Brasileira 35(1):89-94. Setor de Anatomia dos Animais Domésticos e Silvestres, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva 87, São Paulo, SP 05508-030, Brazil. E-mail: antonioassis@usp.br The Galea spixii inhabits semiarid vegetation of Caatinga in the Brazilian Northeast. They are bred in captivity for the development of researches on the biology of reproduction. Therefore, the aim of this study is characterize the estrous cycle of G. spixii, in order to provide information to a better knowledge of captive breeding of the species. The estrous cycle was monitored by vaginal exfoliative cytology in 12 adult females. After the detection of two complete cycles in each animal, the same were euthanized. Then, histological study of the vaginal epithelium, with three females in each phase of the estrous cycle was performed; five were paired with males for performing the control group for estrous cycle phases, and three other were used to monitor the formation and rupture of vaginal closure membrane. By vaginal exfoliative cytology, predominance of superficial cells in estrus, large intermediate cells in proestrus, intermediate and parabasal cells, with neutrophils, in diestrus and metestrus respectively was found. Estrus was detected by the presence of spermatozoa in the control group. By histology, greater proliferation of the vaginal epithelium in proestrus was observed. We conclude that the estrous cycle of G. spixii lasts 15.8 ± 1.4 days and that the vaginal closure membrane develops until complete occlusion of the vaginal ostium, breaking after few days. Future studies may reveal the importance of this fact for the reproductive success of this animal.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Santos A.C., Viana D.C., Bertassoli B.M., Oliveira G.B., Oliveira D.M., Bezerra F.V.F., Oliveira M.F. & Assis-Neto A.C. 2015. Characterization of the estrous cycle in Galea spixii (Wagler, 1831). [Caracterização do ciclo estral de Galea spixii (Wagler, 1831).] Pesquisa Veterinária Brasileira 35(1):89-94. Setor de Anatomia dos Animais Domésticos e Silvestres, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva 87, São Paulo, SP 05508-030, Brazil. E-mail: antonioassis@usp.br Os Galea spixii habitam a vegetação semiárida da Caatinga, no Nordeste brasileiro. Eles são criados em cativeiro para realização de pesquisas relacionadas a biologia da reprodução. Sendo assim, o objetivo deste trabalho foi caracterizar o ciclo estral de G. spixii para obtenção de informações que melhorem o conhecimento do manejo reprodutivo da espécie em cativeiro. O ciclo estral foi monitorado por citologia esfoliativa vaginal em doze fêmeas adultas. Após a detecção de dois ciclos completos em cada animal, os mesmos foram eutanasiados. Em seguida foi realizado estudo histológico do epitélio vaginal com três fêmeas em cada fase do ciclo estral; cinco foram pareadas com machos para realização do grupo controle e outras três fêmeas foram utilizadas para monitorar a formação e ruptura da membrana de oclusão vaginal. Através de citologia esfoliativa vaginal, constatou-se predomínio de células superficiais em estro, células intermediárias grandes em proestro, células intermediárias pequenas e células parabasais com presença de neutrófilos em diestro e metaestro, respectivamente. O estro foi detectado pela presença de espermatozoides no grupo controle. Através de histologia, observou-se uma maior proliferação no epitélio vaginal no proestro. Concluiu-se que o ciclo estral de G. spixii dura em média 15.8 ± 1.4 dias e a membrana de oclusão vaginal se desenvolve até completa oclusão do óstio vaginal externo, rompendo-se em poucos dias. Futuros estudos podem revelar a importância deste último fato para o sucesso reprodutivo deste animal.


#3 - Microscopy and ultrastructural analysis of mandibular salivary glands of Procyon cancrivorus, 33(Supl.1):39-44

Abstract in English:

ABSTRACT.- Santos A.C., Oliveira V.C., Viana D.C., Lobo L.M., Ambrósio C.E., Assis-Neto A.C., Carvalho A.F. & Mançanares C.A.F. 2013. [Microscopy and ultrastructural analysis of mandibular salivary glands of Procyon cancrivorus.] Análise microscópica e ultraestrutural das glândulas salivares mandibulares de Procyon cancrivorus. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(Supl.1):39-44. Setor de Anatomia dos Animais Domésticos e Silvestres, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva 87, São Paulo, SP 05508-030, Brazil. E-mail: amiltonsantoss@usp.br Due to the ecological importance of Procyon cancrivorus, the aim of this study was to characterize morphologically and ultrastructurally the mandibular salivary gland of this specie. We used 10 pairs (right and left) of mandibular salivary glands from five adult animals. The mandibular salivary glands were dissected and measured by precision calipers and later processed by histological routine technique, stained by HE (hematoxylin and eosin) and Picrossirius. Fragments of the glands were processed for analysis by scanning electron microscopy (SEM). The mandibular salivary gland, right and left from P. cancrivorus presents lobulated and oval-shape, and it was positioned between the fossa atlantis and basihyoideum ossis of skull. Microscopically, these glands are lined by a capsule formed by dense irregular connective tissue, which enters into the gland by septa, dividing it into lobules. Into the septa of connective tissue were present blood vessels and nerves, and interlobular excretory ducts. Inside the lobes of the mandibular salivary glands, striatum and intermediate-type ducts are found, and the predominance of mucous acini was observed. The results indicate that the mandibular salivary glands of Procyon cancrivorus, follows the structural pattern described in other mammalian species. However the types of acini may vary among species, and thus further histochemical and cell biology studies are required in order to uncover the significance of this variation for the specie here studied, according with their feeding habit.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Santos A.C., Oliveira V.C., Viana D.C., Lobo L.M., Ambrósio C.E., Assis-Neto A.C., Carvalho A.F. & Mançanares C.A.F. 2013. [Microscopy and ultrastructural analysis of mandibular salivary glands of Procyon cancrivorus.] Análise microscópica e ultraestrutural das glândulas salivares mandibulares de Procyon cancrivorus. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(Supl.1):39-44. Setor de Anatomia dos Animais Domésticos e Silvestres, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva 87, São Paulo, SP 05508-030, Brazil. E-mail: amiltonsantoss@usp.br Devido a importância ecológica dos Procyon cancrivorus, o objetivo deste trabalho foi caracterizar morfologicamente e ultra estruturalmente a glândula salivar mandibular desta espécie. Foram utilizadas 10 pares (direita e esquerda) de glândulas salivares mandibulares de cinco animais adultos. As glândulas salivares mandibulares foram dissecadas e mensuradas com paquímetro de precisão e posteriormente processadas por técnica rotineira de histologia e coradas por HE (hematoxilina e eosina) e Picrossírius. Fragmentos das glândulas foram processados para análise em microscopia eletrônica de varredura (MEV). As glândulas salivares mandibulares direitas e esquerdas de P. cancrivorus apresentaram-se lobuladas, formato ovalado, e posicionadas entre a fossa atlantis e o osso basihyoideum do crânio. Microscopicamente, estas glândulas estavam revestidas por uma cápsula de tecido conjuntivo denso não modelado, a qual adentra a glândula através de septos, dividindo-a em lóbulos. Nos septos de tecido conjuntivo estão presentes vasos sanguíneos e nervos, além de ductos interlobulares excretores. Dentro dos lóbulos das glândulas salivares mandibulares, são encontrados ductos do tipo estriado e intercalar, além de predomínio de ácinos do tipo mucoso. Os resultados permitem concluir que as glândulas salivares mandibulares dos Procyon cancrivorus, seguem o padrão estrutural descrito em outras espécies de mamíferos. No entanto os tipos de ácinos podem variar entre as espécies, sendo, portanto, necessários futuros estudos histoquímicos e de biologia celular para desvendar a importância dessa variação para a espécie aqui estudada, comparando com seu hábito alimentar.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV