Resultado da pesquisa (1)

Termo utilizado na pesquisa Banchero G

#1 - High frequency of cutaneous squamous cell carcinoma in Friesian Milchschaf sheep in Uruguay

Abstract in English:

This study described five cases of squamous cell carcinoma (SCC) in the pinnae, eyelids, and eyes of Friesian Milchschaf sheep from two flocks raised under extensive conditions in Uruguay. The prevalence values for both flocks were 2.12% and 2.53%, respectively. Macroscopically, single or multiple, nodular, verrucous, or plaque-like neoplasms, with occasional ulceration and bleeding, were observed in the affected areas. Histologically, well and moderately-differentiated SCCs were diagnosed in three and two cases, respectively. The Milchschaf breed is native of Germany, and its individuals present white non-pigmented skin with the face and legs clear of fleece, thus adapted to areas with lower solar radiation. Additionally, in the German breeding systems, animals remain indoors for long periods. The increased exposure time to higher levels of solar radiation of the Uruguayan extensive production systems may be a predisposing factor for the development of SCC in this sheep breed. In Uruguay, there is more solar radiation and the production systems provide less protection against sunlight compared with the German production system. The high frequency of SCC should be considered prior to introducing European breeds with non-pigmented skin in Uruguay and other countries of the region.

Abstract in Portuguese:

Descreveram-se carcinomas de células escamosas (CCE) nas orelhas, pálpebras e olhos em cinco ovinos da raça Frisona Milchschaf em dois rebanhos de criação extensiva no Uruguai. A prevalência nos rebanhos foi de 2,12% e 2,53%. Macroscopicamente se observaram lesões focais ou multifocais, com aumento de volume, nodulares, verrucosas ou em placas, com ocasionais ulcerações e hemorragias. Apresentavam aspecto verrucoso, por vezes com superfície ulcerada e firmes ao corte. De acordo com as características histológicas da neoplasia, as lesões foram classificadas em CCEs bem diferenciados em três casos e moderadamente diferenciados em dois casos. Esta raça é nativa da Alemanha, caracterizada pela face deslanada e pele branca despigmentada. Na Alemanha, há menores níveis de radiação solar do que no Uruguai e seu sistema de produção é mais intensivo, com permanência dos animais confinados durante longos períodos. O aumento do tempo de exposição a níveis mais elevados de radiação solar pode ser um fator predisponente para o desenvolvimento de CCEs nesta raça em sistemas extensivos de produção no Uruguai. Neste País há mais radiação solar e os sistemas produtivos fornecem menos proteção contra a luz solar, em relação ao sistema de produção alemão. A alta frequência de CEE deveria ser levada em consideração para quem decide introduzir no Uruguai e outros países da região. raças europeias com a face despigmentada.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV