Resultado da pesquisa (4)

Termo utilizado na pesquisa Brandespim D.F

#1 - Occurrence and risk factors of the Bluetongue Virus infeccion in cattle in Pernambuco state, Brazil

Abstract in English:

The objective of this study was to determine epidemiological aspects of Bluetongue Virus (BTV) infection on dairy cattle in the Garanhuns microregion, Pernambuco state, Brazil. Three hundred eighty-four (384) serum samples of female bovines of reproductive age were collected from 20 farms of the 19 municipalities that make up the region. Samples were tested with the agarose gel immunodiffusion test (AGID) for anti-VLA antibody screening. There were 71.3% (274/384, 95% CI - 66.5% - 75.7%) positive animals. In 100% of the farms there was at least one seropositive animal. The risk factors identified were: presence of flooded areas (OR=11.8, p=0.001), absence of insect control (OR=2.1, p=0.033), open herd (OR=2.1; p=0.001) and use of artificial insemination (OR=8.8, p=0.003). This is the first record of detection of anti-BTV antibodies in cattle in Pernambuco state. It is concluded that BTV infection occurs in cattle in the studied area, and it is suggested that control measures based on hygienic-sanitary management and biosecurity are in place to prevent the spread of the virus, such as elimination of wetlands; Insect control; semen used in artificial insemination with health certificate; Serological tests when acquiring animals.

Abstract in Portuguese:

Objetivou-se com este estudo determinar os aspectos epidemiológicos da infecção pelo Vírus da Língua Azul (VLA) em bovinos leiteiros na microrregião de Garanhuns, Estado de Pernambuco, Brasil. Foram coletadas 384 amostras de soro de bovinos fêmeas em idade reprodutiva, procedentes de 20 propriedades dos 19 municípios que compõem a região. As amostras foram testadas com a prova de imunodifusão em gel de agarose (IDGA) para pesquisa de anticorpos anti-VLA. Observou-se ocorrência de 71,3% (274/384; IC 95% - 66,5% - 75,7%) de animais positivos. Em 100% das propriedades houve ao menos um animal soropositivo. Os fatores de risco identificados foram: presença de áreas alagadas (OR=11,8; p=0,001), não realizar controle de insetos (OR=2,1; p=0,033), rebanho aberto (OR=2,1; p=0,001) e utilização de inseminação artificial (OR=8,8; p=0,003). Este é o primeiro registro de detecção de anticorpos anti-VLA em bovinos no Estado de Pernambuco. Conclui-se que a infecção pelo VLA ocorre em bovinos na área estudada e sugere-se que medidas de controle baseadas no manejo higiênico-sanitário e biosseguridade sejam implantadas para evitar a propagação do vírus, tais como: eliminação de áreas alagadiças; controle de insetos; utilizar sêmen na inseminação artificial com atestado sanitário; realizar exames sorológicos ao adquirir animais.


#2 - Serological evaluation and risk factors for Mycobacterium avium subsp. paratuberculosis infection in dairy herds of Microregion Garanhuns, Pernambuco, 33(3):310-313

Abstract in English:

ABSTRACT.- Sá L.M., Oliveira J.M.B., Santos G.R., Brandespim D.F., Silva-Júnior J.L., Mota R.A. & Pinheiro Júnior J.W. 2013. [Serological evaluation and risk factors for Mycobacterium avium subsp. paratuberculosis infection in dairy herds of Microregion Garanhuns, Pernambuco.] Avaliação sorológica e de fatores de risco para a infecção por Mycobacterium avium subsp. paratuberculosis em rebanhos leiteiros da Microrregião de Garanhuns, Pernambuco. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(3):310-313. Universidade Federal Rural de Pernambuco, Unidade Acadêmica de Garanhuns, Av. Bom Pastor s/n, Boa Vista, Garanhuns, PE 55296-901, Brazil. E-mail: jrwilton@uag.ufrpe.br The present study aimed to conduct an epidemiological investigation of Mycobacterium avium subsp. paratuberculosis (MAP) infection in dairy cattle of the Garanhuns microregion, in Pernambuco, Brazil. Blood samples were collected from 408 animals from 19 herds located in 15 cities. Serological tests were performed by indirect immunoenzymatic assay (ELISA) for antibodies against MAP. In all farms, a questionnaire to investigate risk factors was used, and Global Position System (GPS) receivers were used to collect geographic coordinates to show the spatial distribution of the animals. The prevalence of MAP infected cattle was 2.7% (11/408; I.C. 1.4-4.9). The rate of infection was 47.4% (9/19). An annual birth rate over 51 calves/year (OR 3.8; I.C. 1.1-13.1) was identified as a risk factor in logistic regression analysis. Thus, it is concluded that MAP infection is present in dairy cattle of the microregion studied here, and control measures based on the identified risk factors should be implemented in order to reduce the sources of infection.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Sá L.M., Oliveira J.M.B., Santos G.R., Brandespim D.F., Silva-Júnior J.L., Mota R.A. & Pinheiro Júnior J.W. 2013. [Serological evaluation and risk factors for Mycobacterium avium subsp. paratuberculosis infection in dairy herds of Microregion Garanhuns, Pernambuco.] Avaliação sorológica e de fatores de risco para a infecção por Mycobacterium avium subsp. paratuberculosis em rebanhos leiteiros da Microrregião de Garanhuns, Pernambuco. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(3):310-313. Universidade Federal Rural de Pernambuco, Unidade Acadêmica de Garanhuns, Av. Bom Pastor s/n, Boa Vista, Garanhuns, PE 55296-901, Brazil. E-mail: jrwilton@uag.ufrpe.br Objetivou-se com esse trabalho realizar um inquérito epidemiológico da infecção por Mycobacterium avium subsp. paratuberculosis (MAP) em bovinos leiteiros da microrregião de Garanhuns, Pernambuco, Brasil. Para este estudo foram coletadas amostras sanguíneas de 408 animais, provenientes de 19 rebanhos localizados em 15 municípios. O exame sorológico foi realizado por Ensaio Imunoenzimático (ELISA) indireto para detecção de anticorpos frente ao MAP. Em todas as propriedades, foi aplicado um questionário investigativo para análise dos fatores de risco, e as coordenadas geográficas coletadas por um aparelho de Global Position System (GPS) para realização da distribuição espacial. A prevalência da infecção por MAP foi de 2,7% (11/408; I.C. 1,4-4,9). O número de focos foi 47,4% (9/19). Na análise de regressão logística foi identificado como fator de risco a taxa anual de nascimentos superior a 51 bezerros/ano (OR 3,8; I.C. 1,1-13,1). Desta forma, conclui-se que a infecção por MAP encontra-se presente nos rebanhos bovinos leiteiros da microrregião estudada e que medidas de controle baseadas nos fatores de risco identificados devem ser implementadas com o objetivo de reduzir o número de focos da infecção.


#3 - Risk factor related to bovine mastitis in the micro-region of Garanhuns, Pernambuco, Brazil, 32(5):391-395

Abstract in English:

ABSTRACT.- Oliveira J.M.B., Vanderlei D.R., Moraes W.S., Brandespim D.F., Mota R.A., Oliveira A.A.F., Medeiros E.S. & Pinheiro Júnior J.W. 2012. [Risk factor related to bovine mastitis in the micro-region of Garanhuns, Pernambuco, Brazil.] Fatores de risco associados à mastite bovina na Microrregião Garanhuns, Pernambuco. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(5):391-395. Universidade Federal Rural de Pernambuco, Unidade Acadêmica de Garanhuns, Av. Bom Pastor s/n, Boa Vista, Garanhuns, PE 55296-901, Brazil. E-mail: jrwilton@uag.ufrpe.br The objective of this study was to analyze the risk factors for bovine mastitis in the micro-region of Garanhuns, Pernambuco, Brazil. For this, was submitted for microbiologic exam 1260 milk samples and on each farm was applied a questionnaire about characteristics of animal breeds, general data from the farm, handling of cattle and sanitary measures for milking. To analyze the risk factors, a logistic regression was made as a dependent variable of the microbiologic exam. The microbiologic exams showed 477 (37.9%) positive samples and 783 (62.1%) negatives ones. The risk factors for bovine mastitis were: the semi-intensive breeding system (OR=2.3, p<0.0001), feeding during milking (OR=1.3, p=0.0101), antimicrobial shift (OR=1.3, p=0.00770), and dry cow therapy (OR=1.5; p=0.0013). The results show that the main risk factors are associated with handling to which the cattle is submitted. The knowledge of these factors allow to adopt prevention and control measures to avoid mastitis to improve animal productivity and gain within the production system.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Oliveira J.M.B., Vanderlei D.R., Moraes W.S., Brandespim D.F., Mota R.A., Oliveira A.A.F., Medeiros E.S. & Pinheiro Júnior J.W. 2012. [Risk factor related to bovine mastitis in the micro-region of Garanhuns, Pernambuco, Brazil.] Fatores de risco associados à mastite bovina na Microrregião Garanhuns, Pernambuco. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(5):391-395. Universidade Federal Rural de Pernambuco, Unidade Acadêmica de Garanhuns, Av. Bom Pastor s/n, Boa Vista, Garanhuns, PE 55296-901, Brazil. E-mail: jrwilton@uag.ufrpe.br Objetivou-se com este estudo analisar os fatores de risco associados à mastite bovina na microrregião de Garanhuns, Pernambuco. Para isso, foram submetidas ao exame microbiológico 1260 amostras de leite e em cada propriedade foi aplicado um questionário contendo informações relacionadas às características raciais dos animais, dados gerais sobre as propriedades, manejo do rebanho e higiênico-sanitário durante a ordenha. Para a análise dos fatores de risco foi realizada uma regressão logística considerando como variável dependente o exame microbiológico. Ao exame microbiológico observou-se 477 (37,9%) amostras positivas e 783 (62,1%) negativas. Os fatores de risco associados à mastite foram: sistema de criação semi-intensivo (OR=2,3; p<0,0001), alimentação dos animais durante a ordenha (OR=1,3; p=0,0101), rodízio de antimicrobianos (OR=1,3; p=0,0077) e o uso da terapia da vaca seca (OR=1,5; p=0,0013). Os resultados obtidos demonstram que os principais fatores de risco associados à mastite estão relacionados ao manejo higiênico-sanitário ao qual o rebanho é submetido. O conhecimento desses fatores fornece subsídios para a elaboração de medidas de prevenção e controle para a enfermidade em questão, melhorando a produtividade dos animais e, consequentemente, a lucratividade do sistema de produção.


#4 - Risk factors associated with buffalo mastitis in the Brazilian Northeast, 31(6):499-504

Abstract in English:

ABSTRACT.- Medeiros E.S., Freitas M.F.L., Saukas T.N., Azevedo S.S., Pinheiro Junior J.W., Brandespim D.F., Souza Neto O.L. & Mota R.A. 2011. Risk factors associated with buffalo mastitis in the Brazilian Northeast. Pesquisa Veterinária Brasileira 31(6):499-504. Laboratório de Doenças Infecto-Contagiosas dos Animais Domésticos, Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Rua Dom Manoel de Medeiros s/n,Dois Irmãos, Recife, PE 52171-900, Brazil. E-mail: rinaldo.mota@hotmail.com Risk factors for subclinical mastitis were studied in 474 buffaloes cows proceeding from four dairy farms located in the states of Pernambuco, Alagoas, Bahia and Ceará, Brazil. Milk samples (n=1896) of lactating buffaloes cows were examined for somatic cells count (SCC) and microbiologic exam, and a questionnaire composed by objective questions was applied in order to obtain animals and herd management data. Risk factors analysis was performed in two stages: univariate and mutivariate analysis. Two analysis were performed, one considering the animal classification for SCC as the dependent variable (<400,000 – negative; >400,000 – positive) and another, considering the microbiologic exam result (positive and negative). In the multivariate analysis considering SCC as dependent variable, the lack of teat washing was the only variable identified as a risk factor, so that farms without this procedure before the milking presented risk of infection of 2.68 (I.C. 1.49-4.83). In the multivariate analysis considering the microbiologic exam as dependent variable, it was observed that properties that performed the cleaning of the milking equipment manually presented risk of 1.85 (I.CI. 1.32-3.64), which was higher than those properties that performed the cleaning mechanically (p=0.019). Risk factors for the occurrence of subclinical mastitis in dairy buffaloes in Brazilian Northeast farms were related to the characteristics of improper milking management. Risk factors identified in this study must be carefully corrected in order to reduce the frequency of mastitis cases, and therefore, contribute for disease control and prevention in the herds.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Medeiros E.S., Freitas M.F.L., Saukas T.N., Azevedo S.S., Pinheiro Junior J.W., Brandespim D.F., Souza Neto O.L. & Mota R.A. 2011. Risk factors associated with buffalo mastitis in the Brazilian Northeast. [Fatores de risco associados à mastite bubalina no Nordeste brasileiro.] Pesquisa Veterinária Brasileira 31(6):499-504. Laboratório de Doenças Infecto-Contagiosas dos Animais Domésticos, Departamento de Medicina Veterinária, Universidade Federal Rural de Pernambuco, Rua Dom Manoel de Medeiros s/n,Dois Irmãos, Recife, PE 52171-900, Brazil. E-mail: rinaldo.mota@hotmail.com Foram estudados os fatores de risco para mastite subclínica em 474 búfalas procedentes de quatro propriedades de exploração leiteira situadas nos Estados de Pernambuco, Alagoas, Bahia e Ceará. Amostras de leite (n=1896) de búfalas em lactação foram examinadas para contagem de células somáticas (CCS) e exame microbiológico, e um questionário constituído de perguntas objetivas foi aplicado para obtenção de dados dos animais e do manejo do rebanho. A análise dos fatores de risco foi efetuada em duas eta-pas: análise univariada e multivariada. Foram realizadas duas análises, uma considerando a classificação dos animais quanto à CCS como variável dependente (<400.000 – negativo; > 400.000 – positivo) e outra considerando o resultado do exame microbiológico (positivo e negativo). Na análise multivariada considerando-se a CCS como variável dependente a única variável identificada como fator de risco foi não lavar os tetos antes da ordenha, onde aquelas propriedades que não lavavam os tetos antes da ordenha apresentaram o risco de infecção de 2,68 (I.C. 1,49-4,83). Na análise multivariada considerando o microbiológico como variável dependente constatou-se que aquelas propriedades que realizavam limpeza manual do equipamento de ordenha apresentavam um risco 1,85 (I.C. 1,32-3,64) maior do que aquelas propriedades que realizavam esta limpeza de forma mecânica (p=0,019). Os fatores de risco para ocorrência de mastite subclínica em báfalas leiteiras em propriedades na região nordeste do Brasil foram relacionados às características de manejo inadequado da ordenha. Os fatores de risco identificados nesse estudo devem ser cuidadosamente corrigidos para reduzir a frequência de casos de mastite e assim contribuir para o controle e prevenção da doença nos rebanhos.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV