Resultado da pesquisa (14)

Termo utilizado na pesquisa Chiacchio S.B

#1 - Maternal, fetal and neonatal heart rate and heart rate variability in Holstein cattle

Abstract in English:

The aim of this study was to describe the normal values for maternal, fetal and neonatal heart rate (HR) and heart rate variability (HRV) indexes in the time domain (standard deviation of beat-to-beat interval - SDNN; root mean square of successive beat-to-beat differences - RMSSD) and the frequency domain (low frequency - LF; high frequency - HF; relationship between low and high frequency - LF/HF) in 23 Holstein cows, 23 fetuses and 18 neonates during the perinatal period. HR and HRV were calculated by fetomaternal electrocardiography (ECG). Fetomaternal measurements were taken six times prepartum (between days 234 and 279 of pregnancy) and measurements were taken in neonates six times after calving (after birth and five times weekly). HR, time and frequency domain were analyzed. No significant changes in maternal, fetal beat-to-beat interval (RR interval) or HR were found. In maternal variables, SDNN decreased significantly from 38.08±2.6ms (day 14 before calving) to 23.7±2.5ms (day 1 after calving) (p<0.05), but the RMSSD did not change significantly. HR and RR interval of calf differed statistically from the day before delivery (163±7.5bpm; 381±24.2ms) to the day after calving (131±5bpm; 472±16.2ms). Time variables (SDNN and RMSSD) and the frequency-domain variables (LF and HF) were significantly different (p<0.05) between fetal and neonatal stages. Reductions in the values of SDNN and RMSSD can reflect a sympathetic dominance. After calving, the increase in HF and decrease in LF variables can indicate activation of the vagal nerve followed by heart and respiratory modulation.

Abstract in Portuguese:

O objetivo deste estudo foi descrever os valores normais para os índices de frequência cardíaca (FC) materna, fetal e neonatal e de variabilidade da frequência cardíaca (VFC) no domínio do tempo (desvio padrão do intervalo batimento a batimento, SDNN; raiz quadrada média de sucessivas diferenças de batimento a batimento, RMSSD) e do domínio da frequência (baixa frequência, LF; alta frequência, HF; relação entre baixa e alta frequência, LF/HF) em 23 vacas Holandesas, 23 fetos e 18 neonatos durante o período perinatal. A FC e a VFC foram calculadas por eletrocardiografia materno-fetal. As medidas materno‑fetais foram realizadas seis vezes antes do parto (entre os dias 234 e 279 de gestação) as medidas neonatais foram realizadas seis vezes após o parto (um dia após nascimento e semanalmente, durante cinco semanas). FC, e variáveis no domínio do tempo e de frequência foram analisadas. Não foram encontradas alterações significativas na FC e no intervalo de batimento para batimento (intervalo RR) materno e fetal. Nas variáveis ​​maternas, o SDNN diminuiu significativamente de 38,08±2,6ms (dia 14 antes do parto) para 23,7±2,5ms (dia 1 após o parto) (p<0,05), mas o RMSSD não alterou significativamente. A FC e o intervalo e RR do bezerro diferiram estatisticamente a partir de um dia antes do parto (163±7,5bpm, 381±24,2ms) até o dia seguinte ao parto (131±5bpm, 472±16,2ms). As variáveis ​​de tempo (SDNN e RMSSD) e as variáveis ​​de domínio de frequência (LF e HF) foram significativamente diferentes (p<0,05) entre os momentos fetal e neonatal. As reduções nos valores de SDNN e RMSSD podem refletir domínio simpático. Após o parto, o aumento da HF e a diminuição das variáveis ​​LF podem indicar a ativação do nervo vagal seguido de modulação cardíaca e respiratória.


#2 - Echocardiographic parameters and vertebral heart size (VHS) in lambs during the neonatal period, 38(9):1869-1877

Abstract in English:

ABSTRACT.- Ulian C.M.V., Lourenço M.L.G., Inamassu L.R., Souza P.M., Mamprim M.J., Alfonso A. & Chiacchio S.B. 2018. Echocardiographic parameters and VHS in lambs during the neonatal period. [Parâmetros ecocardiográficos e tamanho cardíaco vertebral (VHS) em cordeiros durante o período neonatal.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(9):1869-1877. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Rua Prof. Doutor Walter Mauricio Correa s/n, Distrito de Rubião Júnior, Botucatu, SP 18618-681 Brazil. E-mail: mege@fmvz.unesp.br Devido à imaturidade cardíaca, os recém-nascidos apresentam uma morfologia e débito cardíacos diferenciados quando comparado aos adultos. O objetivo deste estudo foi descrever as alterações cardíacas ecocardiográficas e silhueta cardíaca ao exame radiográfico a partir do método VHS (vertebral heart size) em cordeiros recém-nascidos durante o período neonatal. Vinte e oito cordeiros saudáveis da raça Ile de France foram avaliados desde o nascimento até os 35 dias de idade. Ao exame ecocardiográfico avaliou-se em sístole e diástole, os índices relacionados aos ventrículos direito (VD) e esquerdo (VE), a parede livre do ventrículo esquerdo, aorta (Ao), átrio esquerdo (Ae), septo e ponto E, e diâmetros finais. Foi feita a relação entre o átrio esquerdo e aorta, além da fração de ejeção e de encurtamento. O VHS foi mensurado a partir do tamanho dos eixos longo e curto do coração em relação às vértebras torácicas. Os resultados obtidos demonstraram aumento do VE em relação ao VD no decorrer dos 35 dias (p<0,05). Os índices calculados e a relação AE:Ao não tiveram diferença. Os valores de VHS tiveram distribuição normal com média de 9,67 vértebras em todo o período. Os parâmetros radiográficos e ecocardiográficos mostraram diferenças significativas entre os momentos analisados. Os valores VHS variaram de 8.4 a 11.2 vertebras. Para evitar que essas alterações sejam erroneamente interpretadas como cardiopatias na espécie, este estudo demonstra às peculiaridades do desenvolvimento cardíaco neonatal em cordeiros, além de descrever parâmetros para esta faixa etária em cordeiros da raça Ilê de France.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Ulian C.M.V., Lourenço M.L.G., Inamassu L.R., Souza P.M., Mamprim M.J., Alfonso A. & Chiacchio S.B. 2018. Echocardiographic parameters and VHS in lambs during the neonatal period. [Parâmetros ecocardiográficos e tamanho cardíaco vertebral (VHS) em cordeiros durante o período neonatal.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(9):1869-1877. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Rua Prof. Doutor Walter Mauricio Correa s/n, Distrito de Rubião Júnior, Botucatu, SP 18618-681 Brazil. E-mail: mege@fmvz.unesp.br Due to cardiac immaturity, newborns have a different morphology and cardiac output when compared with adults. The purpose of this study was to describe the cardiac changes in echocardiographic characteristics and vertebral heart size (VHS) in newborn lambs during the neonatal period. Twenty-eight healthy Ile de France lambs were evaluated from birth to 35 days old. With the assistance of echocardiography, this study evaluated, both in systole and diastole, indexes related to the right and left ventricles, the aorta (Ao), the left atrium (LA), the E point to septal separation (EPSS) and the thickness of the interventricular septum (VSd, VSs). The left atrium-to-aorta ratio (LA:Ao) was analyzed and both the shortening (SF%) and ejection fractions were calculated (EF%). The VHS was obtained by measuring the heart’s long and short axes and comparing it to the thoracic vertebrae. Throughout the first 35 days, the results obtained demonstrated an increased LV:RV ratio when compared to adult lambs. The calculated indexes and the LA:Ao ratio did not present statistically significant differences. The VHS values were normally distributed, presenting a mean of 9.67 vertebrae (v) during the entire period. Both radiographic and echocardiographic parameters showed significant differences between the analyzed moments. The VHS values ranged from 8.4v at the minimum end to 11.2v at the maximum. In order to prevent these changes from being misdiagnosed as heart diseases, this study contributed to take note of neonatal physiological anatomy peculiarities and in addition, it describes the parameters for this age in Ilê de France lambs.


#3 - Assessment of serum lactate levels, blood glucose values and blood gas values in sheep, newborn lambs and placenta, 38(9):1878-1884

Abstract in English:

ABSTRACT.- Peternelli Silva L., Lourenço M.L.G., Paula R.A., Verdugo M.R., Pereira K.H.N.P. & Chiacchio S.B. 2018. Assessment of serum lactate levels, blood glucose values and blood gas values in sheep, newborn lambs and placenta. [Avaliação da concentração de lactato sérico, glicemia e hemogasometria de ovelhas, cordeiros recém&#8209;nascidos e placenta.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(9):1878-1884. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Departamento de Clínica Veterinária, Rua Prof. Dr. Walter Mauricio Correa s/n, Distrito de Rubião Júnior, Botucatu, SP 18618-681 Brazil. E-mail: mege@fmvz.unesp.br Newborn animals, in the fetal-to-neonatal transition, usually face several challenges in their first 24 hours, including issues with acid-base balance, glycemic levels and oxygenation. Difficulties to overcome such issues have caused several deaths among newborns. Therefore, studies have been carried out in order to evaluate them. The main purpose of this study is to evaluate the correlation between the serum lactate level in the mother, in the placenta and in the newborn. Moreover, the study measured the lactate level, blood glucose level and blood gas level in the first 24 hours. Tests were carried out right after birth, and at 4, 8, 12 and 24 hours after. Lactate levels were quite similar to the placental levels (p=0.991) which, in turn, were significantly different from the mother’s (p=0.011). Results showed that, shortly after birth, the production of lactate in the placenta is part of the issue. Along the first 24 hours, the study observed a reduction of the levels of lactate in newborns; the levels were closer to the normal index levels for the species. Regarding the blood gas test results, we observed mild metabolic acidosis at birth; acid-base balance was completely stable at the end of the period.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Peternelli Silva L., Lourenço M.L.G., Paula R.A., Verdugo M.R., Pereira K.H.N.P. & Chiacchio S.B. 2018. Assessment of serum lactate levels, blood glucose values and blood gas values in sheep, newborn lambs and placenta. [Avaliação da concentração de lactato sérico, glicemia e hemogasometria de ovelhas, cordeiros recém&#8209;nascidos e placenta.] Pesquisa Veterinária Brasileira 38(9):1878-1884. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Departamento de Clínica Veterinária, Rua Prof. Dr. Walter Mauricio Correa s/n, Distrito de Rubião Júnior, Botucatu, SP 18618-681 Brazil. E-mail: mege@fmvz.unesp.br Os principais desafios da transição fetal-neonatal são a estabilização do equilíbrio ácido-básico, glicemia e oxigenação ao longo das primeiras 24 horas de vida. Falhas nesse sistema são a maior causa de morte nesse período e os estudos de viabilidade neonatal tem se concentrado nas avaliações destas variáveis. O objetivo do presente estudo foi avaliar a comparação da lactatemia materna, placentária e neonatal ao nascimento e, ainda, observar o comportamento do lactato, glicemia e hemogasometria nas primeiras 24 horas de vida do neonato ovino. Para tanto, as avaliações foram realizadas ao nascimento, 4, 8, 12 e 24 horas após. A lactatemia neonatal se mostrou próxima à placentária (p=0,991) e significativamente diferente da materna (p=0,011), o que sugere uma influência da produção de lactato pela placenta na lactatemia neonatal ao nascimento. Ao longo das 24 horas de vida foi possível observar a depuração de lactato pelo organismo do neonato, aproximando assim dos valores de referência para a espécie. Na hemogasometria foi possível observar discreta acidose metabólica, com normalização já nas primeiras 4 horas e estabilização completa do equilíbrio ácido-básico ao final das 24 horas de vida.


#4 - Maternal, fetal and neonatal heart rate evaluation and its variability in the Paint Horse breed, 38(3):551-557

Abstract in English:

ABSTRACT.- Alfonso A., Cruz R.K.S., Cedeño Quevedo D.A., Padovani C.R., Gonçalves R.C., Chiacchio S.B. & Lourenço M.L.G. 2018. [Maternal, fetal and neonatal heart rate evaluation and its variability in the Paint Horse breed.] Avaliação da frequência cardíaca materna, fetal e neonatal e sua variabilidade em equinos da raça Paint Horse. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(3):551-557. Departamento de Clínica Veterinária da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Botucatu, SP 18618-687, Brazil. E-mail: mege@fmvz.unesp.br The aim of this study were to describe the heart rate (HR) and indexes of maternal and fetal heart rate variability (HRV) in final period of pregnancy, as well as to describe the evolution of the development of autonomic nervous system during fetal and neonatal period. There were 20 animals in each category, whose maternal and fetal electrocardiographic examinations were performed at 15 and 7 days antepartum. Neonatal ECG it was evaluated at birth until the first 48 hours of life, and then once a week up to 35 days. There were significant differences in fetal heart rate (FHR) during this period, but the fetal HRV indexes have not changed. There were no significant differences in the rates of maternal HRV. The mean of fetal HR decreased significantly from 15 to seven antepartum days (95.6±11.4 bpm; 83.1±12.6, respectively), though the fetal HRV indexes have not decreased. The results of fetal and neonatal HRV in the present study, when compared to maternal indicate the parasympathetic dominance during fetal and neonatal sympathetic phase during to the third and/or fourth weeks of age, at which point begins the modulation of the two systems.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Alfonso A., Cruz R.K.S., Cedeño Quevedo D.A., Padovani C.R., Gonçalves R.C., Chiacchio S.B. & Lourenço M.L.G. 2018. [Maternal, fetal and neonatal heart rate evaluation and its variability in the Paint Horse breed.] Avaliação da frequência cardíaca materna, fetal e neonatal e sua variabilidade em equinos da raça Paint Horse. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(3):551-557. Departamento de Clínica Veterinária da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Botucatu, SP 18618-687, Brazil. E-mail: mege@fmvz.unesp.br Os objetivos deste estudo foram descrever a frequência cardíaca (FC) e os índices de variabilidade da frequência cardíaca (VFC) materna e fetal no terço final da gestação, bem como descrever a evolução do desenvolvimento do sistema nervoso autônomo durante o período fetal e neonatal. Foram avaliados 20 animais de cada categoria, cujos exames eletrocardiográficos, maternos e fetais, foram realizados aos 15 e sete dias pré-parto. Quanto ao eletrocardiograma neonatal, os momentos avaliados foram ao nascimento até as primeiras 48 horas de vida, e posteriormente, uma vez por semana até os 35 dias de idade. Ocorreram diferenças significativas na frequência cardíaca fetal (FCF) no período avaliado, porém os índices de VFC fetais não se alteraram. Não foram encontradas diferenças significativas nos índices de VFC materna. A média da FCF diminuiu significativamente dos 15 para sete dias do pré-parto (95,6±11,4 bpm; 83,1±12,6, respectivamente), entretanto os índices de VFC fetal não diminuíram. Os resultados obtidos da VFC fetal e neonatal deste estudo, quando comparados aos maternos, indicaram predomínio parassimpático durante a fase fetal e, simpático durante a neonatal, até a terceira e/ou quarta semanas de idade, momento no qual se inicia o equilíbrio entre os dois sistemas.


#5 - Evaluation of neonatal vitality and blood glucose, lactate and cortisol concentrations in foals of the Paint Horse breed, 37(8):891-896

Abstract in English:

ABSTRACT.- Cruz R.K.S., Alfonso A., Souza F.F., Oba E., Padovani C.R., Ramos P.R.R., Lourenço M.L.G. & Chiacchio S.B. 2017. Evaluation of neonatal vitality and blood glucose, lactate and cortisol concentrations in foals of the Paint Horse breed. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(8):891-896. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Unesp, Campus Botucatu, Distrito Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. Email: mege@fmvz.unesp.br Clinical evaluations of newborns, as well as defining the therapeutic decision, represent significant challenges to the veterinarian. This study aimed to evaluate neonatal vitality using the modified Apgar score and blood glucose, lactate, and cortisol concentrations in newborn equines. Twenty foals of the Paint Horse breed born by normal delivery were evaluated during the first 48 hours of life. The modified Apgar score was determined at birth and 10 minutes later, with values ranging from 0 to 10. Blood samples for the laboratory tests were collected at birth and at 4, 8, 12, 16, 20, 24, 36, and 48 hours. The mean Apgar score was significantly lower at birth than at 10 minutes (p < 0.001). Blood glucose concentrations increased significantly between birth (98.90 ± 35.97 mg/dL) and 8 hours (127.90 ± 27.15 mg/dL), stabilizing after the first 12 hours (148.95 ± 29.59 mg/dL). Serum lactate concentrations showed a significant decrease across the time points tested, with the highest value occurring at birth (5.48 ± 2.17 mmol/L) and stabilizing after 24 hours (2.76 ± 1.31 mmol/L). Cortisol concentrations significantly decreased (p < 0.01) between 4 (10.46 ± 7.46 µg/dL) and 48 hours (5.21 ± 3.35 µg/dL), with the highest value occurring 4 hours after birth. The common occurrence of laboratory abnormalities in healthy newborn foals reinforces the need to conduct regular clinical examinations and to develop laboratory reference values &#8203;&#8203;for different breeds and ages.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Cruz R.K.S., Alfonso A., Souza F.F., Oba E., Padovani C.R., Ramos P.R.R., Lourenço M.L.G. & Chiacchio S.B. 2017. Evaluation of neonatal vitality and blood glucose, lactate and cortisol concentrations in foals of the Paint Horse breed. [Avaliação dos padrões de vitalidade neonatal, glicemia, lactato e cortisol em potros da raça Paint Horse.] Pesquisa Veterinária Brasileira 37(8):891-896. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Unesp, Campus Botucatu, Distrito Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. Email: mege@fmvz.unesp.br A avaliação clínica dos recém-nascidos, bem como a definição da conduta terapêutica adotada representam expressivos desafios ao Médico Veterinário. O objetivo deste estudo foi avaliar a vitalidade neonatal pelo escore de Apgar modificado, glicemia, lactatemia e cortisol em neonatos equinos. Para tal, foram utilizados 20 potros da raça Paint Horse, nascidos em eutocia, durante as primeiras 48 horas de vida. O escore de Apgar modificado foi realizado ao nascimento e 10 minutos após, atribuindo-se notas de 0 a 10. As colheitas das amostras de sangue, para a realização das análises laboratoriais, ocorreram nos momentos ao nascimento, 4, 8, 12, 20 16, 20, 24, 36 e 48 horas de vida. A média do escore de Apgar ao nascimento foi significativamente menor que aos 10 minutos (p<0,001). A glicemia aumentou significativamente entre o nascimento (98,90 ± 35,97 mg/dL) e às 8 horas (127,90 ± 23 27,15 mg/dL), com estabilização após as primeiras 12 horas (148,95 ± 29,59 mg/dL). A concentração sérica de lactato apresentou decréscimo significativo entre os momentos estudados, sendo o maior valor encontrado ao nascimento (5,48 ± 2,17 mmol/L), com estabilização a partir das 24 horas (2,76 ± 1.31 mmol/L). As concentrações de cortisol, reduziram significativamente (p<0,01), entre as 4 (10,46 ± 7,46 µg/dL) e as 48 horas (5,21 ± 3,35 µg/dL), sendo o maior valor encontrado as 4 horas após o nascimento. A ocorrência comum de anormalidades laboratoriais em potros recém-nascidos, aparentemente saudáveis, reforça a necessidade da realização de exames clínicos regulares e o desenvolvimento de valores laboratoriais de referência, em diferentes raças e idades.


#6 - Electrocardiogram assessment using the Einthoven and base-apex lead systems in healthy Holstein cows and neonates, 36(Supl.1):1-7

Abstract in English:

ABSTRACT.- Cedeno D.A.Q., Lourenço M.L.G., Daza C.A.B., Pagnani Filho P. & Chiacchio S.B. 2016. Electrocardiogram assessment using the Einthoven and base-apex lead systems in healthy Holstein cows and neonates. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(Supl.1):1-7 Departamento Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Distrito de Rubião Junior, Cx. Postal 560, Botucatu, SP. 18618-970, Brazil. E-mail: mege@fmvz.unesp.br The objective aimed to describe the electrocardiographic behavior of parameters in Holstein pregnant cows and neonates during the perinatal period. The electrocardiograms were performed using a computerized electrocardiogram. The animals selected for the study were 23 cows and 18 neonates. Maternal electrocardiographic examinations were conducted in the 35, 28, 21, 14, 7 days and one-day pre –partum and the neonates were evaluated in six moments; at the time of birth, 7, 14, 21, 28 and 35 days after delivery. The evaluations were done in pre and post-delivery cows and into the group of neonates between female and male. For each electrocardiographic recording P-wave duration and amplitude, PR interval and the QRS complex duration, R, S-wave amplitude and polarity, QT and RR interval duration were examined. Changes in heart rate, ST segment and T wave polarity were recorded in leads of Einthoven and base-apex planes. The mean electrical axis of the QRS complex was calculated. In cows the results when comparing the two leads system, there are significant changes in the amplitude of the waves P, R, S, and T and the duration of the intervals PR, ST and QRS complex. The difference between primiparous and multiparous dairy cows was in the amplitude of the Twave. It was concluded that the base-apex system is a suitable lead for monitoring heart rhythm in Holstein cows and Einthoven in neonates. During the first month of life, no differences in P, Q, S and T waves, in PR, QRS, and ST intervals and in axis orientation was observed in neonates. There was a significant difference in duration of the QT interval. Among sexes, the difference was in the Q amplitude. This study incorporated the calves and Holstein cows in a single study in search of baseline information regarding the duration and morphology of the ECG parameters. In conclusion, it was proved that, with increasing age, there are changes in ECG components associated with variations in the distance between the recording electrode and the heart. The study contributes by providing Holstein reference values for clinical evaluations.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Cedeno D.A.Q., Lourenço M.L.G., Daza C.A.B., Pagnani Filho P. & Chiacchio S.B. 2016. Electrocardiogram assessment using the Einthoven and base-apex lead systems in healthy Holstein cows and neonates. [Avaliação do eletrocardiograma utilizando os sistemas Einthoven e base-ápice em vacas e neonatos saudáveis da raça Holandesa.] Pesquisa Veterinária Brasileira 36(Supl.1):1-7 Departamento Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Distrito de Rubião Junior, Cx. Postal 560, Botucatu, SP. 18618-970, Brazil. E-mail: mege@fmvz.unesp.br Tem como objetivo descrever o comportamento eletrocardiográfico de parâmetros em vacas da raça Holandesa grávidas e recém-nascidos durante o período perinatal. Os eletrocardiogramas foram realizados utilizando um eletrocardiógrafo computadorizado. Os animais selecionados para o estudo foram 23 vacas e 18 neonatos. Exames eletrocardiográficos maternos foram realizadas em 35, 28, 21, 14, 7 dias e um dia de pré-parto e nos neonatos foram avaliados em seis momentos; no momento do nascimento, 7, 14, 21, 28 e 35 dias após o parto. As avaliações foram realizadas em vacas pré e pós-parto e no grupo de neonatos entre fêmeas e machos. Para cada duração da gravação eletrocardiográfica analisou-se onda P e amplitude, intervalo PR e da duração do complexo QRS, R, S amplitude de onda e polaridade, QT e duração do intervalo RR. Mudanças na frequência cardíaca, segmento ST e polaridade da onda T foram registradas. A média do eixo eléctrico do complexo QRS foi calculada. Em vacas, há mudanças significativas na amplitude das ondas P, R, S, T, e a duração dos complexos QRS e intervalos PR e ST. A diferença entre as vacas leiteiras multíparas e primíparas estava na amplitude da onda T. Concluiu-se que o sistema base-ápice é adequado para monitorar o ritmo cardíaco em vacas da raça Holandesa e o Einthoven em neonatos. Nos neonatos durante o primeiro mês de vida, não houve diferenças nas ondas P, Q, S e T, em intervalos PR, QRS, e ST e na orientação do eixo. Houve diferença significativa na duração do intervalo QT. Entre os sexos, a diferença estava na amplitude Q. O presente estudo incorporou os bezerros e vacas da raça Holandesa em um único estudo, em busca de informações em relação a duração e morfologia dos parâmetros do ECG. Conclui-se portanto que, com o aumento da idade, ocorrem alterações nos componentes do ECG, associadas com as variações na distância entre o elétrodo de registo e o coração. O estudo contribui, fornecendo valores de referência de bovinos da raça Holandesa para avaliações clínicas.


#7 - Electrocardiographic parameters of the American Miniature Horse: influence of age and sex, 36(6):551-558

Abstract in English:

ABSTRACT.- Santarosa B.P., Lourenço M.L.G., Dantas G.N., Ulian C.M.V., Heckler M.C.T., Sudano M.J., Gonçalves R.C. & Chiacchio S.B. 2016. Electrocardiographic parameters of the American Miniature Horse: influence of age and sex. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(6):551-558. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu, Distrito de Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. E-mail: mege@fmvz.unesp.br The veterinary cardiology has growing importance in equine medicine. There are studies of standardization of electrocardiographic parameters of many races, according to their stature and ability. However, no studies are in the literature with the American Miniature Horse. To evaluate the electrocardiogram (ECG) tracing configuration of this breed at rest and to verify the influence of age and sex on ECG parameters, 203 horses including 143 females and 60 males were divided into four age groups (foals, yearlings, adults and elderly). Electrocardiographic parameters were performed by computerized electrocardiogram (TEB), and the parameters were evaluated in six leads of frontal plane (Lead I, II, III, aVR, aVL and aVF) and base-apex (BA). Heart rates (HR) decreased with increasing age were higher in males than in females. Sinus tachycardia followed by sinus arrhythmia was dominant in both sexes. The cardiac axis was higher in males and ranged between 120° and 150° for foals, 30° and 60° for yearlings and adults, and 60° and 90° for the elderly. The P wave was bifid in several animals. The P-wave amplitude and T-wave duration from lead II and BA were larger in males than in females. The majority of the animals exhibited ST segment depression and a negative T-wave. The most common QRS complex morphology was Qr. Differences were observed between the electrocardiographic tracings of males and females, and age influenced the ECG parameters. Therefore, this study established the ECG patterns for the American Miniature Horse breed and could be used to determine the influence of age and sex on several of the studied variables.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Santarosa B.P., Lourenço M.L.G., Dantas G.N., Ulian C.M.V., Heckler M.C.T., Sudano M.J., Gonçalves R.C. & Chiacchio S.B. 2016. Electrocardiographic parameters of the American Miniature Horse: influence of age and sex. [Parâmetros eletrocardiográficos de equinos Mini Horse: influência da idade e sexo.] Pesquisa Veterinária Brasileira 36(6):551-558. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu, Distrito de Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. E-mail: mege@fmvz.unesp.br A cardiologia veterinária possui crescente importância na medicina equina. Existem estudos de padronização dos parâmetros eletrocardiográficos de muitas raças, de acordo com sua estatura e aptidão. No entanto, não há na literatura trabalhos com os equinos da raça Miniature Horse. Os objetivos deste trabalho foram avaliar a configuração do traçado do eletrocardiograma (ECG) em repouso, de equinos desta raça, além de verificar a influência do sexo e da idade sobre os parâmetros eletrocardiográficos desses animais. Foram utilizados 203 equinos desta raça, hígidos, sendo 143 fêmeas e 60 machos, classificados em quatro faixas etárias (potros, sobreanos, adultos e idosos). Os exames eletrocardiográficos foram realizados por eletrocardiograma computadorizado (TEB), e os parâmetros foram avaliados em seis derivações do plano frontal (DI, DII, DIII, aVR, aVL e aVF) e base-ápice (BA). A frequência cardíaca (FC) diminuiu com a progressão da idade, e foi maior nos machos do que nas fêmeas. O ritmo mais comum em ambos os sexos foi taquicardia sinusal, seguido de arritmia sinusal. O eixo cardíaco foi maior nos machos do que nas fêmeas, e nos potros ficou entre 120 e 150o, nos sobreano e adultos permaneceu entre 30 e 60o, e nos idosos entre 60 e 90o. A amplitude da onda P e a duração da onda T foram maiores nos machos do que nas fêmeas na DII e BA. A maioria dos animais apresentou segmento ST infradesnivelado e onda T negativa. A morfologia do complexo QRS mais encontrada em todos os casos foi Qr. Este estudo permitiu estabelecer os padrões eletrocardiográficos para a raça Mini Horse e conseguiu verificar a influência da progressão da idade nas diversas variáveis estudadas, bem como a diferença entre os sexos.


#8 - Renal and bladder ultrasound changes in feedlot sheep and supplemented with ammonium chloride, 34(Supl.1):99-106

Abstract in English:

ABSTRACT.- Ferreira D.O.L., Santarosa B.P., Belotta A.F., Mamprim M.J., Silva A.A., Dias A., Chiacchio S.B. & Gonçalves R.C. 2014. [Renal and bladder ultrasound changes in feedlot sheep and supplemented with ammonium chloride.] Alterações ultrassonográficas renais e vesicais de ovinos confinados e suplementados com cloreto de amônio. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(Supl.1):99-106. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu. Distrito de Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. E-mail: ferreiradol@gmail.com The incidence of obstructive urolithiasis in sheep is high, especially in feedlot males, both for meat production, or the breeder of high genetic value. The urinary acidification is one of the methods for preventing this disease and can be performed efficiently with supplementation of ammonium chloride (AC) in the diet. It was used 100 male lambs, in a feedlot, crossbred (Ile de France X White Dorper), aged approximately three months. It was constituted three groups: Group 21AC (n=40) that received 400mg/kg/PV of ammonium chloride/animal/day for 21 consecutive days, the time of discontinuation of the urinary acidifiers (M3) and continued clinical follow until the end of the experiment (M6); Group 42AC (n=40), that received 400mg/kg/PV of ammonium chloride/animal/day for 42 consecutive days, Group control (n=20), that did not receive ammonium chloride throughout the experimental period. The feed consisted of total dry matter, composed of 15% ground hay and 85% concentrate, water and mineral salts ad libitum. After 14 days of adaptation to food and the environment, the moments (M) for clinical evaluation, and blood collection ultrasound examinations were performed with an interval of seven days, and M0 (immediately before the beginning of the treatment with ammonium chloride), M1 (seven days), M2 (14 days after), M3 (21 days after initiation of treatment and suspension of ammonium chloride in Group 21CA), M4 (28 days), M5 (35 days), and M6 (42 days), amounting to 56 days of feedlot. The serum urea and creatinine showed no change in renal function, although the urea was above the reference values for sheep. There were compatible ultrasound images with bladder stones and dilatation of the renal pelvis. In Group 21AC, 15% (6/40) of the animals had bladder stones; in Group 42AC 5% (2/40); and in Group control, 20% (4/20) of the lambs. It was visualized suggestive images of sediment and crystals in 31% (31/100) of examined animals. Ultrasonography allowed visualization of kidney and bladder abnormalities, which were not related to clinical symptoms of obstructive urolithiasis, appearing as an examination complement of great importance for the early detection of changes in the urinary system of sheep.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Ferreira D.O.L., Santarosa B.P., Belotta A.F., Mamprim M.J., Silva A.A., Dias A., Chiacchio S.B. & Gonçalves R.C. 2014. [Renal and bladder ultrasound changes in feedlot sheep and supplemented with ammonium chloride.] Alterações ultrassonográficas renais e vesicais de ovinos confinados e suplementados com cloreto de amônio. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(Supl.1):99-106. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu. Distrito de Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. E-mail: ferreiradol@gmail.com A incidência da urolitíase obstrutiva em ovinos é elevada, principalmente em machos confinados, tanto para produção de carne, quanto reprodutores de alto valor genético. A acidificação urinária é um dos métodos para prevenção desta enfermidade e pode ser realizada de forma eficaz com a suplementação de cloreto de amônio (CA) na dieta. Utilizaram-se 100 ovinos, machos não castrados, mestiços (Ile de France X White Dorper), confinados, com idade aproximada de três meses. Constituíram-se três grupos experimentais: Grupo 21CA (n=40) que recebeu 400mg/kg/PV de cloreto de amônio/animal/dia, por 21 dias consecutivos; Grupo 42CA (n=40) que foi suplementado com 400mg/kg/PV de cloreto de amônio/animal/dia, por 42 dias consecutivos; Grupo controle (n=20), que não recebeu CA. A alimentação consistiu de ração total, composta por 15% de feno triturado e 85% de concentrado, água e sal mineral ad libitum. Após 14 dias de adaptação à alimentação e ao ambiente, os Momentos (M) de avaliação clínica, colheita de sangue e exame ultrassonográfico foram realizados com intervalo de sete dias, sendo M0 (imediatamente antes do início do tratamento com cloreto de amônio), M1 (sete dias após), M2 (14 dias após), M3 (21 dias após o início do tratamento e suspensão do cloreto de amônio em Grupo 21CA), M4 (28 dias após), M5 (35 dias após) e M6 (42 dias após), totalizando 56 dias de confinamento. As dosagens de ureia e creatinina não evidenciaram alteração na função renal, embora a ureia estivesse acima dos valores de referência para espécie ovina. Observaram-se imagens ultrassonográficas compatíveis com cálculos vesicais e dilatação de pelve renal. No Grupo 21CA, 15% (6/40) dos animais apresentaram cálculos vesicais; no Grupo 42CA, 5% (2/40); e no Grupo controle, 20% (4/20) dos cordeiros. Visibilizaram-se também imagens sugestivas de sedimentos e cristais em 31% (31/100) dos animais examinados. A ultrassonografia permitiu a visibilização de alterações renais e vesicais, porém não relacionados ao quadro clínico de urolitíase obstrutiva, revelando-se como um exame complementar de grande relevância para o diagnóstico precoce de alterações no sistema urinário de ovinos.


#9 - Effect of supplementation of ammonium chloride on electrolyte and acid-base balances and urinary pH of feedlot sheep, 34(8):797-804

Abstract in English:

ABSTRACT.- Ferreira D.O.L., Santarosa B.P., Sacco S.R., Dias A., Amorim R.M., Chiacchio S.B., Lisbôa J.A.N. & Gonçalves R.C. 2014. [Effect of supplementation of ammonium chloride on electrolyte and acid-base balances and urinary pH of feedlot sheep.] Efeito da suplementação de cloreto de amônio sobre o equilíbrio ácido-básico e o pH urinário de ovinos confinados. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(8):797-804. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu, Distrito de Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. E-mail: ferreiradol@gmail.com The incidence of obstructive urolithiasis in sheep is high, especially in feedlot males, both for meat production, or the breeder of high genetic value. The urinary acidification is one way to prevent this disease and can be performed effectively supplementation with ammonium chloride in the diet, which may facilitate the installation of metabolic acidosis. The blood gas analysis evaluates the acid-base balance of blood in a practical and easy way. In this study, it was evaluated the effect of ammonium chloride on acid-base and electrolyte in feedlot sheep blood gas analysis to determine the occurrence of metabolic acidosis. It was used 100 male lambs, in a feedlot, aged approximately three months. It was constituted three groups: Group I (n=40) that received 400mg/kg/PV of ammonium chloride/animal/day for 21 consecutive days, the time of discontinuation of the urinary acidifiers (M3) and continued clinical follow until the end of the experiment (M6); Group II (n=40), that received 400mg/kg/PV of ammonium chloride/animal/day for 42 consecutive days, Group III (n=20), that did not receive ammonium chloride throughout the experimental period. The moments (M) of samples and clinical assessment were established on seven days of interval, M0 (immediately before the beginning of the treatment with ammonium chloride), M1 (seven days after), M2, M3, M4, M5 and M6, totalizing 56 days of feedlot. The feed consisted of a total mixed ration consisting of 15% of ground hay and 85 % of concentrate, water and mineral salt ad libitum. After 15 days of adaptation to the diet of feedlot, urine samples for measurement of pH, and venous blood for blood gas analysis were collected from all animals at different moments. The urinary acidification was maintained as was the administration of ammonium chloride in GI and GII. The values of Na+ and K+ remained within the normal range for the species. Ammonium chloride caused metabolic acidosis compensated change in GI and GII, confirmed by values of HCO3- and EB below the reference values, with a normal pH, and high levels of Cl-, and decreased SID. It was concluded that although ammonium chloride to cause decrease of alkalinity in the body, caused no loss in animal development and can be used as a preventive agent obstructive urolithiasis in sheep.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Ferreira D.O.L., Santarosa B.P., Sacco S.R., Dias A., Amorim R.M., Chiacchio S.B., Lisbôa J.A.N. & Gonçalves R.C. 2014. [Effect of supplementation of ammonium chloride on electrolyte and acid-base balances and urinary pH of feedlot sheep.] Efeito da suplementação de cloreto de amônio sobre o equilíbrio ácido-básico e o pH urinário de ovinos confinados. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(8):797-804. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu, Distrito de Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-970, Brazil. E-mail: ferreiradol@gmail.com A incidência da urolitíase obstrutiva em ovinos é elevada, principalmente em machos confinados, tanto para produção de carne, quanto reprodutores de alto valor genético. A acidificação urinária é um dos métodos para prevenção desta enfermidade e pode ser realizada de forma eficaz com a suplementação de cloreto de amônio na dieta, que pode propiciar a instalação de acidose metabólica. A hemogasometria avalia o equilíbrio ácido-básico sanguíneo de forma prática e fácil. Neste trabalho, avaliou-se o efeito do cloreto de amônio sobre o equilíbrio ácido-básico e eletrolítico de ovinos em confinamento para quantificar a acidose metabólica desenvolvida. Utilizaram-se 100 ovinos, machos, confinados, com idade aproximada de três meses. Constituíram-se três grupos experimentais: Grupo I (n=40), recebeu 400mg/kg/PV de cloreto de amônio/animal/dia por 21 dias consecutivos, momento da interrupção da administração do acidificante urinário (M3) e continuidade do acompanhamento clinico até o final do experimento (M6); Grupo II (n=40), 400mg/kg/PV de cloreto de amônio/animal/dia por 42 dias consecutivos; Grupo III (n=20), não recebeu cloreto de amônio durante todo o período do experimento. Os Momentos (M) de colheita de amostras e avaliação clínica foram estabelecidos com intervalo de sete dias, sendo M0 (imediatamente antes do início do tratamento com cloreto de amônio), M1 (sete dias após), M2, M3, M4, M5 e M6, totalizando 56 dias de confinamento. A alimentação consistiu de ração total, composta por 15% de feno triturado e 85% de concentrado, água e sal mineral ad libitum. Após adaptação de 15 dias à dieta de confinamento, colheram-se de todos os animais amostras de urina para mensuração do pH, e sangue venoso para hemogasometria, nos diferentes momentos. A acidificação urinária foi mantida enquanto houve a administração de cloreto de amônio nos grupos GI e GII. Os valores de Na+ e K+ permaneceram dentro da normalidade para a espécie. O cloreto de amônio provocou acidose metabólica hiperclorêmica compensada nos grupos GI e GII, comprovada pelos valores reduzidos de HCO3-, EB e SID, pelos valores elevados de Cl- e pelo pH normal. Concluiu-se que o cloreto de amônio apesar de provocar diminuição da reserva alcalina no organismo, não interferiu com o desenvolvimento dos animais, podendo ser empregado como agente preventivo da urolitíase obstrutiva em ovinos.


#10 - Clinical, histopathological and molecular aspects of the dermatosparaxis in White Dorper sheep, 34(5):443-448

Abstract in English:

ABSTRACT.- Andrade D.G.A., Pavan L.F., Amorim R.M., Chiacchio S.B., Laufer-Amorim R., Gonçalves R.C., Borges A.S. & Oliveira-Filho J.P. 2014. [Clinical, histopathological and molecular aspects of the dermatosparaxis in White Dorper sheep.] Aspectos clínicos, histopatológicos e moleculares da dermatosparaxia em ovinos White Dorper. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(5):443-448. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu, Distrito de Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-000, Brazil. E-mail: zefilho@fmvz.unesp.br Dermatosparaxis in animals is an autosomal recessive disorder of the connective-tissue clinically characterized by skin fragility and hiperextensibility. The disease in White Dorper sheep is caused by mutation (c.421G>T) in the ADAM metalloproteinase with thrombospondin type 1 motif, 2 (ADAMTS2) gene. This study describes the dermatological, histological and the molecular findings of the dermatosparaxis in White Dorper sheep from a herd located in the center-west of São Paulo State. The herd consisted of one ram, four ewe and their lambs. In this herd two lambs had clinical signs consistent with dermatosparaxis. Histopathological evaluation of the affected skin of these two animals also revealed consistent findings with dermatosparaxis, characterized by dysplasia of the collagen, which were arranged in small and fragmented collagen bundles and with foci of degeneration of collagen. Prominent cutaneous appendages and severe hemorrhagic focus in dermis region associated with mild neutrophilic infiltrate in the deep dermis. PCR using DNA blood and specific primers to amplify the mutation region c.421G>T was optimized in order to perform molecular diagnosis of the disease. The direct sequencing of the PCR products proved that the two clinically affected animals had the mutation responsible for dermatosparaxis, previously described for this breed and allowed the definitive diagnosis of the disease. This is the first report of the dermatosparaxis in White Dorper sheep in Brazil and the methodology used to confirm the diagnosis could be used in future studies to assess the prevalence of this mutation in Brazil, allowing the adoption of measures to prevent the spread of this mutation in the Brazilian White Dorper herd.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Andrade D.G.A., Pavan L.F., Amorim R.M., Chiacchio S.B., Laufer-Amorim R., Gonçalves R.C., Borges A.S. & Oliveira-Filho J.P. 2014. [Clinical, histopathological and molecular aspects of the dermatosparaxis in White Dorper sheep.] Aspectos clínicos, histopatológicos e moleculares da dermatosparaxia em ovinos White Dorper. Pesquisa Veterinária Brasileira 34(5):443-448. Departamento de Clínica Veterinária, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade Estadual Paulista, Campus de Botucatu, Distrito de Rubião Júnior s/n, Botucatu, SP 18618-000, Brazil. E-mail: zefilho@fmvz.unesp.br Dermatosparaxia em animais é uma doença autossômica recessiva do tecido conjuntivo caracterizada por fragilidade e hiperextensibilidade cutânea. A doença em ovinos White Dorper é provocada pela mutação c.421G>T no gene ADAM metalopeptidase com trombospondina tipo 1 motif, 2 (ADAMTS2). O objetivo deste estudo foi descrever os achados clínicos, moleculares e histopatológicos da dermatosparaxia em ovinos White Dorper de um rebanho localizado no Centro-Oeste Paulista. O rebanho era composto por nove animais, sendo um reprodutor, quatro matrizes e seus respectivos borregos. Dos nove animais examinados, dois apresentavam sinais clínicos compatíveis com dermatosparaxia. O exame histopatológico de amostras cutâneas das lesões destes dois animais revelou também achados compatíveis com dermatosparaxia, sendo caracterizados por epiderme e anexos cutâneos preservados e sem características atípicas; colágeno displásico arranjado em feixes pequenos, fragmentados e com focos de degeneração, anexos cutâneos proeminentes e na região da derme foco hemorrágico intenso associado a moderado infiltrado neutrofílico na derme profunda. Com o objetivo de realizar o diagnóstico molecular da enfermidade, uma PCR foi padronizada utilizando primers específicos desenhados para amplificar a região do gene ADAMTS2 que continha a mutação c.421G>T e o DNA obtido de amostras de sangue de todos os animais do rebanho. O sequenciamento direto dos produtos da PCR, comprovou que os dois animais clinicamente afetados possuíam a mutação responsável pela dermatosparaxia. A metodologia descrita neste estudo possibilitou o diagnóstico definitivo da doença. Segundo a literatura consultada, esta é a primeira vez que a dermatosparaxia é descrita em ovinos White Dorper no Brasil. A metodologia aqui descrita poderá ser empregada em estudos futuros que avaliem a prevalência desta mutação no Brasil, possibilitando a adoção de medidas que previnam a disseminação dessa mutação no rebanho brasileiro de ovinos White Dorper.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV