Resultado da pesquisa (5)

Termo utilizado na pesquisa Cogliati B

#1 - Uncommon anatomical sites and anatomopathological presentations of lymphoma in dogs

Abstract in English:

Lymphomas are the tumors most frequently associated with the death or euthanasia of dogs in most parts of the world. In dogs, they almost always occur as disseminated (multicentric lymphoma), gastrointestinal (alimentary lymphoma), or nodal mediastinal (mediastinal lymphoma) diseases. However, other uncommon presentations can occasionally occur. This study aimed to establish the prevalence of these unusual types of lymphoma and demonstrate to veterinary pathologists how they present pathologically. From a total of 100 cases of lymphoma in dogs diagnosed between 1965 and 2017, 16 cases (16/100) were considered by us as non-traditional presentations of the disease: follicular lymphoma, (5/100), peripheral T-cell lymphoma, NOS (2/100), angiocentric lymphoma (2/100), intravascular large T-cell lymphoma (2/100), lymphomatoid granulomatosis (1/100), anaplastic large-cell lymphoma (1/100), hepatosplenic T-cell lymphoma (1/100), and chronic small B-cell lymphocytic lymphoma, intermediate type (1/100). We hope that the results presented here can help veterinary pathologists to recognize such cases of “atypical lymphoma” in their diagnostic routines.

Abstract in Portuguese:

Linfomas são os tumores mais associados a morte ou eutanásia de cães na maior parte do mundo. Nessa espécie animal ocorrem quase sempre como uma doença disseminada (linfoma multicêntrico), gastrintestinal (linfoma alimentar) ou nodal mediastinal (linfoma mediastínico), entretanto, ocasionalmente, outras apresentações bem menos comuns podem ser encontradas. O objetivo deste artigo é estabelecer a prevalência desses pouco usuais tipos de linfoma e demonstrar aos patologistas veterinários como eles se apresentam anatomopatologicamente. De um total de 100 casos de linfoma em cães diagnosticados entre os anos de 1965 e 2017, 16 casos (16/100) foram considerados como apresentações não tradicionais da doença: linfoma folicular (5/100), linfoma de células T periférico inespecífico (2/100), linfoma angiocêntrico (2/100), linfoma intravascular de grandes células T (2/100), granulomatose linfomatoide (2/100), linfoma de grandes células anaplásicas (1/100), linfoma hepatoesplênico de células T (1/100) e linfoma linfocítico crônico de pequenas células B – tipo intermediário (1/100). Esperamos que os resultados aqui demonstrados auxiliem patologistas veterinários a reconhecerem tais casos de “linfomas atípicos” em suas rotinas diagnósticas.


#2 - Epidemiological, clinical and pathological aspects of follicular lymphoma in dogs, 38(9):1772-1780

Abstract in English:

ABSTRACT.- Mazaro R.D., Rizkallah I.P.J., Luz F.S., Lorensetti D.M., Cogliati B. & Fighera R.A. 2018. [Epidemiological, clinical and pathological aspects of follicular lymphoma in dogs.] Aspectos epidemiológicos, clínicos e anatomopatológicos do linfoma folicular em cães. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(9):1772-1780. Departamento de Patologia, Universidade Federal de Santa Maria, Av. Roraima 1000, Santa Maria, RS 97105-900, Brazil. E-mail: anemiaveterinaria@yahoo.com.br Follicular lymphomas are a rare form of lymphoproliferative disorder described in veterinary medicine. Together with the probable non-existence of Hodgkin’s lymphomas in dogs, this is the biggest difference about lymphoma between humans and dogs. The aim of this article is to describe the epidemiological, clinical and anatomopathological findings observed in five dogs with follicular lymphoma. Of the five dogs with follicular lymphoma, two were male (40%) and three were female (60%). The age of affected dogs ranged from 11 to 13 years. Four of the five (80%) dogs were purebred and one (20%) had no defined breed. All dogs presented generalized lymphadenomegaly and splenomegaly, which included cases as multicentric lymphoma. At necropsy, the lymph nodes and the spleen demonstrated a nodular pattern at the cut surface, characterized by tens to hundreds of white nodules of variable size, multifocal or coalescing. On the natural surface of the spleen, often (4/5, 80%), there were myriads of white, multifocal or coalescing dots of varying sizes. In histopathology, the tumors were confirmed as follicular lymphomas. All cases were Grade III, two (40%) included as IIIa and three (60%) as IIIb. In one case (1/5, 20%), follicular lymphoma was considered as a IIIb variant of small centroblasts similar to the neoplastic lymphocytes seen in Burkitt’s lymphoma. Lymphomas were validated as having origin in B cells through immunohistochemistry, using anti-CD20 antibody. The cases of follicular lymphomas described behaved aggressively and led the patients to death.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Mazaro R.D., Rizkallah I.P.J., Luz F.S., Lorensetti D.M., Cogliati B. & Fighera R.A. 2018. [Epidemiological, clinical and pathological aspects of follicular lymphoma in dogs.] Aspectos epidemiológicos, clínicos e anatomopatológicos do linfoma folicular em cães. Pesquisa Veterinária Brasileira 38(9):1772-1780. Departamento de Patologia, Universidade Federal de Santa Maria, Av. Roraima 1000, Santa Maria, RS 97105-900, Brazil. E-mail: anemiaveterinaria@yahoo.com.br Linfomas foliculares são uma rara forma de distúrbio linfoproliferativo descrita em medicina veterinária. Juntamente com a não reconhecida ocorrência dos linfomas de Hodgkin em cães, essa é a maior diferença acerca de linfoma entre humanos e cães. O objetivo deste artigo é descrever os achados epidemiológicos, clínicos e anatomopatológicos vistos em cinco cães com linfoma folicular. Destes, dois eram machos (40%) e três eram fêmeas (60%). A idade dos cães afetados variou de 11 a 13 anos. Quatro dos cinco (80%) cães eram de raça pura e um (20%) não tinha raça definida. Todos os cães apresentaram linfadenomegalia generalizada e esplenomegalia, o que incluiu os casos como linfoma multicêntrico. Na necropsia, os linfonodos e o baço demonstraram um padrão nodular à superfície de corte, caracterizado por dezenas a centenas de nódulos brancos, multifocais ou coalescentes e de tamanhos variáveis. Na superfície natural do baço, frequentemente (4/5, 80%), havia miríades de pontos brancos, multifocais ou coalescentes, de tamanhos variáveis. Na histopatologia, os tumores foram confirmados como linfomas foliculares. Todos os casos eram Grau III, sendo dois (40%) incluídos como IIIa e outros três (60%) como IIIb. Em um caso (1/5, 20%), o linfoma folicular foi considerado como IIIb variante de pequenos centroblastos semelhantes aos linfócitos neoplásicos vistos no linfoma de Burkitt. Os linfomas foram validados como tendo origem em células B através da imuno-histoquímica, utilizando anticorpos anti-CD20. Os casos de linfomas foliculares descritos comportaram-se de forma agressiva e levaram os pacientes à morte.


#3 - Sensitivity and specificity of electrocardiographic examination in detecting ventricular or atrial overloads in Persian cats with hypertrophic cardiomyopathy, 36(3):187-196

Abstract in English:

ABSTRACT.- Pellegrino A., Daniel A.G.T., Pessoa R., Guerra J.M., Lucca G.G., Goissis M.D., Freitas M.F., Cogliati B. & Larsson M.H.M.A. 2016. [Sensitivity and specificity of electrocardiographic examination in detecting ventricular or atrial overloads in Persian cats with hypertrophic cardiomyopathy.] Sensibilidade e especificidade do exame eletrocardiográfico na detecção de sobrecargas atriais e/ou ventriculares em gatos da raça Persa com cardiomiopatia hipertrófica. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(3):187-196. Departamento de Clínica Médica, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva 87, São Paulo, SP 05508-270, Brazil. E-mail: arinepel@yahoo.com.br Hypertrophic cardiomyopathy (HCM) is the most common feline heart disease and is characterized by increased cardiac mass with a hypertrophied and not dilated left ventricle. The echocardiography is the best noninvasive diagnostic tool for the differentiation of cardiomyopathies and is considered the gold standard for detection of ventricular hypertrophy present in HCM. Electrocardiographic changes are also common in animals with HCM and the electrocardiogram (ECG) is quick, easy and highly available screening test for the detection of ventricular hypertrophy in humans. In cats, few studies have been conducted regarding the sensitivity and specificity of ECG in detecting ventricular hypertrophy. With the intention of evaluating the use of ECG as a screening tool for diagnosis of HCM in cats, Persian cats (n=82) were evaluated by echocardiographic and electrocardiographic examinations. Animals with blocks and/or conduction disturbances were excluded from statistical analysis (n=22). Subsequently the animals included were classified as normal (n=38), suspicious (n=6) and affected by HCM (n=16). Statistical differences were observed in the P-wave amplitude in DII and R-wave amplitude in DII, CV6LL and CV6LU, with higher values in animals with HCM. Velocities and pressure gradient of aortic flow, left atrial diameter (LA) and LA/Ao ratio were higher in cats with HCM. Among the animals with ECG changes suggestive of left atrial enlargement (n=7), only two actually had LA enlargement on echocardiography, and among animals with left atrial enlargement on echocardiogram (n=7), only two had ECG changes suggestive of overload AE (40,4% of sensibility and 90,9% of specificity). Among the animals with ECG changes suggestive of left ventricular hypertrophy (n=6), five actually had ventricular hypertrophy on echocardiography, and among animals with HCM by echocardiography (n=16), only five showed electrocardiographic abnormalities suggestive of LV hypertrophy (31,25% of sensibility and 97,72% of specificity). We observed a positive correlation between diastolic thickness of the interventricular septum and/or left ventricular free wall and R-wave amplitude in DII and CV6LU. The electrocardiogram is quick and easy to perform, has good specificity in detecting ventricular hypertrophy in cats, however, has low sensitivity, with large numbers of false negative animals. Thus, the ECG assists in the diagnosis, but does not replace echocardiography in confirming ventricular hypertrophy.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Pellegrino A., Daniel A.G.T., Pessoa R., Guerra J.M., Lucca G.G., Goissis M.D., Freitas M.F., Cogliati B. & Larsson M.H.M.A. 2016. [Sensitivity and specificity of electrocardiographic examination in detecting ventricular or atrial overloads in Persian cats with hypertrophic cardiomyopathy.] Sensibilidade e especificidade do exame eletrocardiográfico na detecção de sobrecargas atriais e/ou ventriculares em gatos da raça Persa com cardiomiopatia hipertrófica. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(3):187-196. Departamento de Clínica Médica, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva 87, São Paulo, SP 05508-270, Brazil. E-mail: arinepel@yahoo.com.br A cardiomiopatia hipertrófica (CMH) é a principal cardiopatia dos felinos e é caracterizada por hipertrofia miocárdica concêntrica, sem dilatação ventricular. O ecocardiograma é o melhor meio diagnóstico não invasivo para a diferenciação das cardiomiopatias e é considerado padrão ouro para a detecção de hipertrofia ventricular presente na CMH. Alterações eletrocardiográficas também são comuns em animais com CMH e o eletrocardiograma (ECG) é um teste de triagem para detecção de hipertrofia ventricular em humanos, sendo um exame rápido e facilmente disponível. Em gatos, poucos estudos foram realizados quanto à sensibilidade e especificidade do ECG na detecção de hipertrofia ventricular. Com a intenção de avaliar o uso do ECG como ferramenta de triagem para diagnóstico de CMH em felinos, gatos da raça Persa (n=82) foram avaliados por meio de exames ecocardiográfico e eletrocardiográfico. Animais com bloqueios e/ou distúrbios de condução foram excluídos da análise estatística (n=22). Posteriormente, os animais incluídos foram classificados em: normais (n=38), suspeitos (n=6) e acometidos pela CMH (n=16). Observaram-se diferenças estatísticas na amplitude da onda P em DII e na amplitude de onda R em DII, CV6LL e CV6LU, com valores maiores nos animais com CMH; e nos valores ecocardiográficos de velocidade e gradiente de pressão do fluxo aórtico, diâmetro do átrio esquerdo (AE) e relação AE/Ao, com valores maiores nos gatos com CMH. Dentre os animais com alterações eletrocardiográficas sugestivas de sobrecarga atrial esquerda (n=7), apenas dois realmente apresentavam aumento do AE no ecocardiograma; e dentre os animais com aumento atrial esquerdo ao ecocardiograma (n=7), apenas dois apresentavam alterações eletrocardiográficas sugestivas de sobrecarga do AE (sensibilidade de 40,40% e especificidade de 90,90%). Dentre os gatos com alterações eletrocardiográficas sugestivas de sobrecarga ventricular esquerda (n=6), cinco realmente apresentavam hipertrofia ventricular ao ecocardiograma; e dentre os animais com CMH ao ecocardiograma (n=16), apenas cinco apresentaram alterações eletrocardiográficas sugestivas de sobrecarga do VE (sensibilidade de 31,25% e especificidade de 97,72%). Observou-se correlação positiva entre espessura diastólica do septo interventricular e/ou da parede livre do ventrículo esquerdo e a amplitude da onda R em derivações DII e CV6LU. O eletrocardiograma é um exame rápido e de fácil execução, apresenta boa especificidade na detecção de hipertrofia ventricular em felinos, porém, possui baixa sensibilidade, com grande número de falsos negativos. Desta forma, o ECG auxilia no diagnóstico, mas não substitui o ecocardiograma na confirmação da hipertrofia ventricular.


#4 - Morphometric aspects of the thymus in domestic cats (Felis domesticus), 32(Supl.1):41-46

Abstract in English:

ABSTRACT.- Barroso C.E., Agreste F.R., Silva L.C.S., Bombonato P.P. & Cogliati B. 2012. [Morphometric aspects of the thymus in domestic cats (Felis domesticus).] Aspectos morfométricos do timo em gatos domésticos (Felis domesticus). Pesquisa Veterinária Brasileira 32(Supl.1):41-46. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Orlando Marques de Paiva 87, Cidade Universitária, São Paulo, SP 05508-270, Brazil. E-mail: camilaercolini@usp.br The thymus is a primary lymphatic organ that develops its activity in young organisms. But despite its function is fundamental mechanisms responsible for the acquisition and subsequent body defenses, it is not yet fully understood, neither the morphological basis accounting for such functions as the process of development and the organ involution. The objective was to analyze and characterize the morphology of the thymus, such as its size and volume, and histological aspects of the thymus in cats, correlating sex and age development. Twelve foetus of mongrel domestic cats (Felis domesticus), males and females, divided into three age groups. The thymus presented two parts with a pale pink color, the thoracic and cervical portion; each has a right lobe and a left lobe mostly. The thoracic portion was located in the region of cranial mediastinum, between the lungs and the heart base. And the cervical portion extended beyond the ribs cranially and is located ventral to the trachea. The thymus cellular structure was shown by the presence of organized concentric aggregates, named Hassall’s corpuscles, formed by epithelial cells, supported by a connective tissue capsule that penetrated the parenchyma dividing it into lobules. Significant changes with number of lobes and thymus size between individuals of the same age, and between sex. The values for length, thickness and width, in general, showed an increase, according to the development of animals, with differences between sex.

Abstract in Portuguese:

Abstract.- Barroso C.E., Agreste F.R., Silva L.C.S., Bombonato P.P. & Cogliati B. 2012. [Morphometric aspects of the thymus in domestic cats (Felis domesticus).] Aspectos morfométricos do timo em gatos domésticos (Felis domesticus). Pesquisa Veterinária Brasileira 32(Supl.1):41-46. Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Orlando Marques de Paiva 87, Cidade Universitária, São Paulo, SP 05508-270, Brazil. E-mail: camilaercolini@usp.br O timo é um órgão linfático primário que desenvolve sua atividade em organismos jovens. Apesar de sua função ser responsável por mecanismos fundamentais na aquisição das defesas e conseqüentes respostas orgânicas, ela ainda não está totalmente esclarecida, nem tampouco as bases morfológicas que respondem por tais funções, como o processo de desenvolvimento e involução do órgão. Objetivou-se analisar e caracterizar os aspectos morfológicos do timo, tais como seu tamanho e volume, e aspectos histológicos do timo em gatos, correlacionando o sexo e o desenvolvimento etário. Doze timos provenientes de fetos de gatos domésticos (Felis domesticus) sem raça definida (SRD), machos e fêmeas, separados em três grupos etários. O timo apresentou-se com uma coloração rosa-pálida e com duas porções, a torácica e a cervical, sendo que cada uma delas possuía um lobo direito e um lobo esquerdo em sua maioria. A porção torácica localizava-se em região de mediastino cranial, entre os pulmões e à base do coração. E a porção cervical estendia-se além das costelas em sentido cranial, estando localizada ventralmente à traqueia. A estrutura celular do timo demonstrou-se organizada com a presença de agregados concêntricos, os chamados corpúsculos tímicos, formados por células epiteliais, sustentada por uma cápsula de tecido conjuntivo de onde partiam septos que ao penetrar no órgão dividia-o em lóbulos. Ocorreram variações significativas quanto à lobação e as dimensões do timo entre indivíduos da mesma faixa etária, e entre sexos diferentes. Os valores relativos ao comprimento, espessura e largura, de maneira geral, apresentaram aumento, em conformidade ao desenvolvimento dos animais, mas com diferenças entre os sexos.


#5 - Clareamento da melanina na epiderme do Lobo-marinho-sul-americano e sua aplicação na imuno-histoquímica enzimática, 31(3):267-270

Abstract in English:

ABSTRACT.- Silva A.P., Silva R.G., Cogliati B., Dias A.S.M., Le Bas A.E. & Hernandez-Blazquez F.J. 2011. Bleaching of melanin in the epidermis of South American fur seal and its application on enzyme immunohistochemistry. [Clareamento da melanina na epiderme do Lobo-marinho-sul-americano e sua aplicação na imuno-histoquímica enzimática.] Pesquisa Veterinária Brasileira 31(3):267-270. Setor de Anatomia dos Animais Domésticos e Silvestres, Departamento de Cirurgia, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Orlando Marques de Paiva 87, São Paulo, SP 055508-900, Brazil. E-mail: paulasilvabio@usp.br The South American fur seal (Arctocephalus australis) is an amphibious marine mammal distributed along the Atlantic and Pacific coasts of South America. The species is well adjusted to different habitats due to the morphology of its fin-like members and due to some adaptations in their integumentary system. Immunohistochemical studies are very important to evaluate the mechanisms of skin adaptation due the differential expression of the antigens present in the tissue depending of the region of the body surface. However, its strongly pigmented (melanin) epidermis prevents the visualization of the immuno-histochemical chromogens markers. In this study a melanin bleaching method was developed aimed to allow the visualization of the chromogens without interfering in the antigen-antibody affinity for immunohistochemistry. The analysis of PCNA (proliferating cell nuclear antigen) index in the epidermis of A. australis by immunohistochemistry with diaminobenzidine (DAB) as chromogen was used to test the method. The bleaching of the melanin allowed to obtain the cell proliferation index in epidermis and to avoid false positive results without affecting the immunohistochemical results.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Silva A.P., Silva R.G., Cogliati B., Dias A.S.M., Le Bas A.E. & Hernandez-Blazquez F.J. 2011. Bleaching of melanin in the epidermis of South American fur seal and its application on enzyme immunohistochemistry. [Clareamento da melanina na epiderme do Lobo-marinho-sul-americano e sua aplicação na imuno-histoquímica enzimática.] Pesquisa Veterinária Brasileira 31(3):267-270. Setor de Anatomia dos Animais Domésticos e Silvestres, Departamento de Cirurgia, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Orlando Marques de Paiva 87, São Paulo, SP 055508-900, Brazil. E-mail: paulasilvabio@usp.br O Lobo-marinho-sul-americano (Arctocephalus australis) é um mamífero marinho anfíbio distribuído ao longo da Costa do Atlântico e do Pacífico da América do Sul. Esta espécie está bem adaptada a diferentes habitats devido à morfologia dos membros em forma de nadadeira e de seu sistema tegumentar. Estudos imuno-histoquímicos são importantes para avaliar os mecanismos de adaptação da pele devido a diferencial expressão dos antígenos presentes no tecido dependendo da região da superfície corporal. Entretanto, sua epiderme altamente pigmentada (melanina) impede a visualização dos marcadores cromógenos utilizados na imuno-histoquímica. Neste trabalho foi desenvolvido um método de clarear a melanina para permitir a visualização dos cromógenos sem alterar a afinidade antígeno-anticorpo para a imuno-histoquímica. A análise do índice do PCNA (proliferating cell nuclear antigen) na epiderme de A. australis, com diaminobenzidina (DAB) como cromógeno foi usada para testar o método. O clareamento da melanina permitiu obter o índice de proliferação celular na epiderme e evitar resultados falso-positivos sem afetar os resultados imuno-histoquímicos.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV