Resultado da pesquisa (8)

Termo utilizado na pesquisa Costa D.F.

#1 - Cross-sectional survey for canine leptospirosis in an Atlantic Rainforest area of the semiarid of Paraíba state, Northeastern Brazil

Abstract in English:

Leptospirosis is a worldwide zoonosis caused by the bacteria Leptospira spp. that affects humans, domestic and wild animals. The present work aimed to conduct a cross-sectional survey for leptospirosis in the canine population of the Brejo Paraibano microregion, semiarid of Northeastern Brazil. From May to October 2017, blood samples from 414 dogs were collected in the counties of Alagoa Grande (n=100), Areia (n=79), Bananeiras (n=72), Alagoa Nova (n=73), Serrraria (n=25), Pilões (n=25), Borborema (n=20) and Matinhas (n=20). The tutors of the sampled dogs answered an epidemiological questionnaire, obtaining information about the animals, owner, residence and breeding of the dogs. Subsequently, the serum samples were subjected to the microscopic agglutination test (MAT), using a collection of 23 serovar pathogenic antigens and using the 1:50 dilution as the cutoff point. Of the 414 dogs analyzed 52 were seroreactive, resulting in an apparent prevalence of 12.6% and a real prevalence of 12.2%. Seroreactive dogs were found in the eight counties. Dogs were reactive for the serogroups Icterohaemorrhagiae (76.9%), Autumnalis (13.55%), Pomona (3.8%), Grippotyphosa (3.8%) and Serjoe (1.9%) Antibody titers ranged from 50 to 800. The statistical analysis (robust Poisson regression) detected six factors associated with seropositivity, including the rainy season (prevalence ratio; PR=1.94, P=0.013), male dogs (PR=2.10, P=0.005), animals with age greater than five years (PR=4.21, P=0.012), consumption of untreated water (PR=1.87, P=0.043), free access of dogs to street (PR=2.15, P=0.011) and contact with wildlife (PR=3.54, P=0.050). The serogroup Icterohaemorrhagiae has a high zoonotic potential and was the most frequent in seropositive animals. The high real prevalence of Leptospira spp. in a transmission region of the semiarid region of Paraíba and the occurrence of seroreactive animals in all the counties suggest wide distribution of the infection and reinforce the need for preventive measures to avoid infection in pets and, consequently, to humans. The analysis of factors associated with the prevalence suggest greater manegment cares with the dogs.

Abstract in Portuguese:

A leptospirose é uma zoonose mundial causada pela bactéria Leptospira spp. que afeta seres humanos, animais domésticos e selvagens. O presente trabalho teve como objetivo realizar um estudo transversal de leptospirose na população canina da microrregião Brejo Paraibano, semiárido do Nordeste do Brasil. No período de maio a outubro de 2017, amostras de sangue de 414 cães foram coletadas nas cidades de Alagoa Grande (n=100), Areia (n=79), Bananeiras (n=72), Alagoa Nova (n=73), Serraria (n=25), Pilões (n=25), Borborema (n=20) e Matinhas (n=20). Os tutores dos cães amostrados responderam a um questionário epidemiológico, sendo obtidas informações sobre os animais, proprietário, residência e criação dos cães. Posteriormente as amostras de soro foram submetidas à prova de soroaglutinação microscópica (SAM), utilizando-se uma coleção de 23 sorovares antígenos patogênicos e adotando como ponto de corte a diluição 1:50. Dos 414 cães analisados 52 foram sorreativos, resultando em uma prevalência aparente de 12.6% e uma prevalência real de 12,2%. Cães sororreativos foram encontrados nos oito municípios. Os cães foram reativos para o sorogrupo Icterohaemorrhagiae (76,9%), Autumnalis (13,55%), Pomona (3,8%), Grippotyphosa (3,8%) and Serjoe (1,9%) Os títulos de anticorpos variaram de 50 a 800. A análise estatística (regressão de Poisson robusta) detectou seis fatores associados à soropositividade, incluindo o período chuvoso (razão de prevalência - RP=1,94; P=0,013), cães machos (RP=2,10; P=0,005), animais com idade maior que cinco anos (RP=4,21; P=0,012), consumo de água não tratada (RP=1,87; P=0,043), cães com livre acesso à rua (RP=2,15; P=0,011) e contato com animais silvestres (RP=3,54; P=0,050). Os resultados desse estudo indicaram que há a exposição por Leptospira spp. em cães da microrregião do Brejo paraibano. O sorogrupo Icterohaemorrhagiae possui alto potencial zoonótico e foi o mais frequente nos animais soropositivos. A alta prevalência real de Leptospira spp. em uma região de transmissão da região semiárida da Paraíba e a ocorrência de animais sororreativos em todos os municípios sugerem uma ampla distribuição da infecção e reforçam a necessidade de medidas preventivas para evitar a infecção em animais de estimação e, consequentemente, em seres humanos. A análise dos fatores associados à prevalência sugere maior cuidado com os cães.


#2 - Seropositivity and risk factors for leptospirosis, toxoplasmosis and neosporosis in the canine population of Paraiba state, northeastern Brazil

Abstract in English:

The aim of this study was to determine the frequency of seropositive animals for Leptospira spp., Toxoplasma gondii and Neospora caninum in dogs from Paraiba state, northeastern Brazil, and to identify risk factors. A total of 1,043 sera were sampled from dogs from five urban centers considered as regional poles: João Pessoa, Campina Grande, Patos, Sousa and Cajazeiras. For the serological diagnosis of Leptospira spp. infection the microscopic agglutination test (MAT) was used, and for detecting anti-T. gondii and N. caninum antibodies the indirect fluorescent antiboy test (IFAT) was carried out. Ninety-seven dogs showed anti‑Leptospira spp. agglutinins, resulting in a frequency of 9.3% (95% CI=7.5; 11.1%). The most frequente serovars were Icterohaemorragiae (47.4%), Copenhageni (16.5%), Bratislava (11.3%), Canicola (10.3%) and Pomona (6.2%). The seropositivities for T. gondii and N. caninum were 22.1% (231/1043; 95% CI=19.6; 24.7%) and 7.7% (80/1043; 95% CI=6.1; 9.3%) respectively. Age >48 months (OR=2.92), mixed breed (OR=1.94) and access to street (OR=1.57) were identified as risk factors for Leptospira spp. infection. For toxoplasmosis, the categories age >48 months (OR=1.74), homemade food (OR=2.24), comercial and homemade food (OR=2.34) and contact with cats (OR=1.57) were considered risk factors, while access to street (OR=2.62) was risk fator for N. caninum. We conclude that dogs from five urban centers in Paraiba state are exposed to Leptospira spp., T. gondii and N. caninum infections, evidenced by antibody detection, as well as it is suggested a better feed management, control of outside home environment access and proper disposal of cat feces.

Abstract in Portuguese:

Objetivou-se com este trabalho determinar a frequência de animais soropositivos para Leptospira spp., Toxoplasma gondii e Neospora caninum em cães do Estado da Paraíba, Nordeste do Brasil, bem como identificar fatores de risco. Foram amostrados 1.043 soros de cães procedentes de cinco centros urbanos considerados polos regionais: João Pessoa, Campina Grande, Patos, Sousa e Cajazeiras. Para o diagnóstico sorológico da infecção por Leptospira spp. foi utilizada a soroaglutinação microscópica (SAM) enquanto que para detecção de anticorpos anti-T. gondii e N. caninum empregou-se a reação de imunofluorescência indireta (RIFI). Noventa e sete cães apresentaram aglutininas anti-Leptospira spp., resultando em frequência de 9,3% (IC 95% = 7,5-11,1%). Os sorovares de maior frequência foram Icterohaemorragiae (47,4%), Copenhageni (16,5%), Bratislava (11,3%), Canicola (10,3%) e Pomona (6,2%). Observou-se soropositividade de 22,1% (231/1.043; IC 95% = 19,6-24,7%) e 7,7% (80/1.043; IC 95% = 6,1-9,3%) para T. gondii e N. caninum, respectivamente. Idade >48 meses (OR=2,92), raça não definida (OR=1,94) e criação com acesso à rua (OR=1,57) foram apontados como fatores de risco para infecção por Leptospira spp. Para toxoplasmose, as categorias idade >48 meses (OR=1,74), alimentação com comida caseira (OR=2,24), alimentação com ração e comida caseira (OR=2,34) e contato com gatos (OR=1,57) foram consideradas fatores de risco, enquanto que a criação com acesso à rua (OR=2,62) foi fator de risco para N. caninum. Conclui-se que cães de cinco centros urbanos do Estado da Paraíba estão expostos às infecções por Leptospira spp., T. gondii e N. caninum, evidenciadas pela detecção de anticorpos, bem como sugere-se melhor manejo alimentar, controle no acesso a ambientes externos e destino adequado das fezes de gatos.


#3 - Visceral leishmaniasis in dogs from rural settlements, 37(11):1292-1298

Abstract in English:

ABSTRACT.- Silva J.D., Melo D.H.M., Costa J.A.G., Costa D.F., Silva R.B.S., Melo M.A., Azevedo S.S. & Alves C.J. 2017. [Visceral leishmaniasis in dogs from rural settlements.] Leishmaniose visceral em cães de assentamentos rurais. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(11):1292-1298. Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Campina Grande, Av. Universitária s/n, Santa Cecília, Patos, PB 58700-970, Brazil. E-mail: clebertja@uol.com.br In rural settlements there are higher concentrations of reservoirs and vectors of canine visceral leishmaniasis (CVL) due to environmental changes resulting from human action by occupation of the territory, however, there are no surveys in Brazil on epidemiological information of CVL in these areas. The aim of this study was to determine the seroprevalence of Leishmania sp. in dogs from rural settlements, as well as to identify the risk factors associated with infection. A total of 306 dogs were tested, and the serological diagnosis of CVL was performed by ELISA S7. Of the 306 dogs, 118 presented anti-Leishmania sp. antibodies., resulting in a frequency of 38.6%. The risk factors identified for CVL seropositivity were: age of 12-24 months (OR=2.97), age of 24-48 months (OR=4.83), age of 4-6 years (OR=4.40), age >6 years (OR=3.62), contact with poultry (OR=1.67) and gender (female) (OR=1.97). Dogs from rural settlements in the semiarid of Paraiba showed high anti-Leishmania sp. antibody frequency, what makes the population of those settlements susceptible to infection. This highlights for the need to alert the epidemiological surveillance agencies to stablish prevention and control methods for that zoonosis, including educational and health activities on these settlements, as they are located in areas with favorable characteristics for CVL installation.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Silva J.D., Melo D.H.M., Costa J.A.G., Costa D.F., Silva R.B.S., Melo M.A., Azevedo S.S. & Alves C.J. 2017. [Visceral leishmaniasis in dogs from rural settlements.] Leishmaniose visceral em cães de assentamentos rurais. Pesquisa Veterinária Brasileira 37(11):1292-1298. Programa de Pós-Graduação em Medicina Veterinária, Universidade Federal de Campina Grande, Av. Universitária s/n, Santa Cecília, Patos, PB 58700-970, Brazil. E-mail: clebertja@uol.com.br Nos assentamentos rurais há maiores concentrações de reservatórios e vetores da leishmaniose visceral canina (LVC) devido às transformações ambientais resultantes da ação antrópica pela ocupação do território, no entanto, não há estudos no Brasil acerca de informações epidemiológicas da LVC em assentamentos rurais. O objetivo do presente trabalho foi determinar a soroprevalência para Leishmania sp. em cães de assentamentos rurais, bem como identificar os fatores de risco associados a infecção. Foram utilizados 306 cães e o diagnóstico sorológico da LVC foi realizado através do ELISA S7. Dos 306 cães investigados, 118 apresentaram anticorpos anti-Leishmania sp., resultando em frequência de 38,6%. Idade de 12 – 24 meses (OR=2,97), idade de 24--48 meses (OR=4,83), idade de 4-6 anos (OR=4,40), idade >6 anos (OR=3,62), contato com aves (OR=1,67) e sexo (fêmea) (OR=1,97) foram apontados como fatores de risco para LVC. Cães de assentamentos rurais do semiárido paraibano apresentaram frequência elevada de anticorpos anti-Leishmania sp., o que torna a população desses locais susceptíveis à infecção. Isso evidencia a necessidade de alerta aos órgãos de vigilância epidemiológica para estabelecer medidas de prevenção e controle dessa zoonose, incluindo ações educacionais e sanitárias nesses assentamentos, já que os mesmos estão situados em áreas com características propícias à instalação da LVC.


#4 - A simple and fast sampling method for chemical analyses and densitometry of bones through rib biopsies in cattle

Abstract in English:

We developed and evaluated a fast and simple method to obtain suitable bone samples for densitometry and chemical analysis through biopsies of the 12th rib of cattle. The postoperative recovery, dry matter intake (DMI) and average daily weight gain (ADG) was evaluated in 36 Nellore steers, nine of which were randomly selected for the control group and 27 others were rib biopsied. Every 30 days, rib biopsy was performed in nine steers, using a corded-electric pistol-grip drill coupled with a hole saw of a 3mm diameter pilot drill bit. This rib biopsy technique provided a suitable sample obtained in a fast way and allowed the surgeon to work alone with the animal slightly sedated and restrained in the crush. Dry matter intake (DMI) was not affected in biopsied animals. At the end of the experimental period (116 days) the average daily weight gain (ADG) was similar in the steers biopsied or not. The described method provided rib samples from cattle suitable for densitometry and chemical analysis of bone tissue without effects on health and performance. This information could greatly increase the accuracy for the diagnosis of phosphorus deficiency in cattle raised on pasture and allow the evaluation of bone metabolism in experimental animals.

Abstract in Portuguese:

No presente estudo foi desenvolvida uma técnica para se obter, de forma rápida e simples, amostras da 12ª costela bovina por meio de biópsias. Avaliou-se a recuperação pós-operatória (durante 15 dias), o consumo de matéria seca (CMS) e o ganho de peso diário (GMD) de 36 novilhos Nelores, sendo nove animais controles e 27 submetidos à biópsia. A cada 30 dias biópsias de costelas foram realizadas em nove animais, usando uma furadeira elétrica acoplada a uma serra-copo com uma broca-guia de 3mm de diâmetro. Esta técnica de biópsia permitiu obter amostras ósseas de forma rápida, com o cirurgião operando sozinho e com os animais levemente sedados e em estação. Ao término do experimento (116 dias) o CMS e o GMD não foram afetados pelo procedimento cirúrgico. As amostras obtidas foram adequadas para exames radiográficos e subsequentes análises químicas. O conjunto de informações adquiridas com a técnica de biópsia de costelas permite aumentar a exatidão no diagnóstico da deficiência de fósforo em bovinos criados em pastagens e também realizar estudos sobre metabolismo ósseo em animais experimentais.


#5 - Major health problems and their economic impact on beef cattle under two different feedlot systems in Brazil, 36(9):837-843

Abstract in English:

ABSTRACT.- Malafaia P., Granato T.A.L., Costa R.M., Souza V.C., Costa D.F.A. & Tokarnia C.H. 2016. Major health problems and their economic impact on beef cattle under two different feedlot systems in Brazil. Pesquisa Veterinária Brasileira 36(9):837-843. Departamento de Nutrição Animal e Pastagem, Instituto de Zootecnia, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, RJ 23890-000, Brazil. E-mail: malafaia_ufrrj@yahoo.com.br This study aimed to describe the diagnosis of health problems and to evaluate the cost of their treatment for cattle raised in feedlots to be slaughtered or to be sold as sires for cow-calf systems. Bovine respiratory disease and digestive disorders were the main problems diagnosed in the feedlot for slaughter; the cost for treatment was high, accounting for 9.7 to 20.9 kg of live weight (LW) or the equivalent of 7 to 15% of total LW gained over the days on feed. Due to the high intake of starch-rich concentrate, rumen and fecal pH was lower, whilst rumen osmolarity and blood lactate were higher in cattle fed for slaughter. Cattle affected by digestive disorders spent on average four additional days in the feedlot. Diseases and cost of treatments were associated with lower average daily gain and considerable economic losses. Health problems commonly observed in the feedlots for slaughter were not observed in the feedlots for males to be sold as sires. The most likely reason for this observation was the more careful nutrition and prophylactic health management in sire production systems, which produce animals of much higher selling price. Results from this study suggest that health problems found in feedlots for slaughter may not only reduce animal productivity and profitability, but also the welfare of the animals. The systemic understaffing of livestock cattle workers and veterinarians in large feedlots in Brazil results in under reporting of diseases and lack to understand epidemiological context and disease prevention.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Malafaia P., Granato T.A.L., Costa R.M., Souza V.C., Costa D.F.A. & Tokarnia C.H. 2016. Major health problems and their economic impact on beef cattle under two different feedlot systems in Brazil. [Principais problemas sanitários e seu impacto econômico em bovinos de corte criados em diferentes tipos de confinamento no Brasil.] Pesquisa Veterinária Brasileira 36(9):837-843. Departamento de Nutrição Animal e Pastagem, Instituto de Zootecnia, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica, RJ 23890-000, Brazil. E-mail: malafaia_ufrrj@yahoo.com.br No presente estudo coletou-se e se interpretou dados sobre os principais problemas sanitários, bem como a respeito dos custos com os tratamentos de bovinos de corte confinados em dois sistemas diferentes: o tradicional, isto é, aquele que objetiva produzir animais prontos para o abate e o sistema de produção de touros destinados à venda destes como reprodutores. A porcentagem de bovinos confinados para o abate e que adquiriram problemas sanitários foi consideravelmente maior do que nos sistemas que os confinam para a venda como futuros reprodutores. As pneumonias e os transtornos digestórios foram os principais problemas diagnosticados no confinamento para o abate e os custos com os tratamentos foram elevados e, em média, representaram entre 9,7 e 20,9 kg de peso vivo ou o equivalente de 7 a 15% das arrobas ganhas durante o período confinado. O crescimento exagerado e a aglutinação (paraqueratose) das papilas ruminais foram os principais achados macroscópicos nos rúmens dos bovinos confinados para o abate. Devido à maior ingestão de grãos, o pH ruminal e fecal foi sempre menor, enquanto que a osmolaridade ruminal e o lactato sanguíneo foi sempre maior nos animais confinados para o abate. O tempo de permanência no confinamento foi maior, em média 4 dias, para os animais que adquiriram qualquer problema digestório. Isso, aliado ao fato de também terem os menores ganhos de peso diários, pode resultar em um considerável prejuízo. Os ganhos de peso diários foram similares para os animais confinados (que ingeriram mais de 85% de concentrados) para o abate e para os que foram confinados para a venda como reprodutores, que consumiram cerca de 50% de concentrados em sua dieta.


#6 - Epidemiological characterization and risk factors associated with Brucella ovis infection in sheep in the Brazilian semiarid, 33(4):459-463

Abstract in English:

ABSTRACT.- Santos F.A., Higino S.S.S., Azevedo S.S., Costa D.F., Farias A.E.M., Alves F.A.L., Paulin L.M. & Alves C.J. 2013. [Epidemiological characterization and risk factors associated with Brucella ovis infection in sheep in the Brazilian semiarid.] Caracterização epidemiológica e fatores de risco associados à infecção por Brucella ovis em ovinos deslanados do semiárido paraibano. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(4):459-463. Unidade Acadêmica de Medicina Veterinária, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Universidade Federal de Campina Grande, Av. Universitária s/no, Patos, PB 58700-970, Brazil. E-mail: clebertja@uol.com.br The aim of this investigation was to determine the seroprevalence of Brucella ovis in sheep flocks and individual sheep in the Sertão mesorregion, Paraíba state, Northeastern Brazil, as well as to identify risk factors. Blood samples were collected from 1,134 sheep from 103 flocks in 17 counties. For the serological diagnosis of B. ovis infection the agar gel immunodiffusion test (AGID) was carried out. A flock was considered positive when there was at least one seropositive animal. Of the 103 flocks used, 21 (20.39%) presented at least one seropositive sheep, and of the 1,134 sheep examined 59 (5.20%) seropositive animals were diagnosed. Cleaning of facilities (odds ratio = 7.13; 95% CI=1.56-32.47; p=0.011) and purchase of animals (odds ratio = 6.06; 95% CI=1.39-26.48; p=0.017) were identified as risk factors. Based on the risk factor analysis, it is recommended the diagnosis of B. ovis infection prior to purchase of sheep and the periodic cleaning of the facilities on the farm.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Santos F.A., Higino S.S.S., Azevedo S.S., Costa D.F., Farias A.E.M., Alves F.A.L., Paulin L.M. & Alves C.J. 2013. [Epidemiological characterization and risk factors associated with Brucella ovis infection in sheep in the Brazilian semiarid.] Caracterização epidemiológica e fatores de risco associados à infecção por Brucella ovis em ovinos deslanados do semiárido paraibano. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(4):459-463. Unidade Acadêmica de Medicina Veterinária, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Universidade Federal de Campina Grande, Av. Universitária s/no, Patos, PB 58700-970, Brazil. E-mail: clebertja@uol.com.br Este trabalho teve como objetivo determinar a prevalência de rebanhos ovinos positivos (focos) e de animais soropositivos para Brucella ovis na mesorregião do Sertão, Estado da Paraíba, Nordeste do Brasil, bem como identificar fatores de risco. Foram colhidas amostras de sangue de 1.134 animais procedentes de 103 rebanhos em 17 municípios. Para o diagnóstico sorológico da infecção por B. ovis foi utilizado o teste de imunodifusão em gel de ágar (IDGA). Um rebanho foi considerado positivo quando apresentou pelo menos um animal soropositivo. Das 103 propriedades utilizadas 21 (20,39%) apresentaram pelo menos um animal soropositivo e dos 1.134 animais, 59 (5,20%) foram soropositivos. Realizar higiene nas instalações com periodicidade anual (odds ratio = 7,13; IC 95% = 1,56-32,47; p=0,011) e aquisição de animais (odds ratio = 6,06; IC 95% = 1,39-26,48; p=0,017) foram identificados como fatores de risco. Com base na análise de fatores de risco, recomenda-se a realização de diagnóstico da infecção por B. ovis previamente à aquisição de animais e realização periódica de higienização das instalações.


#7 - Epidemiological characterization and risk factors associated with Chlamydophila abortus infection in sheep in Brazilian semiarid, 33(3):286-290

Abstract in English:

ABSTRACT.- Farias A.E.M., Higino S.S.S., Azevedo S.S., Costa D.F., Santos F.A., Santos C.S.A.B., Piatti R.M. & Alves C.J. 2013. [Epidemiological characterization and risk factors associated with Chlamydophila abortus infection in sheep in Brazilian semiarid.] Caracterização epidemiológica e fatores de risco associados à Infecção por Chlamydophila abortus em ovinos deslanados do semiárido brasileiro. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(3):286-290. Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Animal, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva 87, São Paulo, SP 05508-270, Brazil. E-mail: ssazevedo@cstr.ufcg.edu.br The aim of this investigation was to determine the flock-level and animal-level prevalences of Chlamydophila abortus in sheep from the semiarid region of Northeastern Brazil, as well as to identify risk factors. Blood samples were collected from 476 sheep of 72 flocks in 14 counties in the Sertão mesoregion, state of Paraíba. For the serological diagnosis of Chlamydophila abortus infection the complement fixation test (FC) was carried out. A flock was positive when presented at least one seropositive animal. From the 72 flocks, 38 (52.8%) presented at least one seropositive sheep, and 94 (19.7%) of the 476 animals were seropositive. Participation in animal expositions (odds ratio= 4.31; 95% CI= 1.80-10.35; p=0.011) was identified as risk factor. It is suggested that C. abortus infection is spread in sheep of the region, and based on the risk factor analysis sanitary control in animal expositions is recommended.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Farias A.E.M., Higino S.S.S., Azevedo S.S., Costa D.F., Santos F.A., Santos C.S.A.B., Piatti R.M. & Alves C.J. 2013. [Epidemiological characterization and risk factors associated with Chlamydophila abortus infection in sheep in Brazilian semiarid.] Caracterização epidemiológica e fatores de risco associados à Infecção por Chlamydophila abortus em ovinos deslanados do semiárido brasileiro. Pesquisa Veterinária Brasileira 33(3):286-290. Departamento de Medicina Veterinária Preventiva e Saúde Animal, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Universidade de São Paulo, Av. Prof. Dr. Orlando Marques de Paiva 87, São Paulo, SP 05508-270, Brazil. E-mail: ssazevedo@cstr.ufcg.edu.br O objetivo do presente trabalho foi determinar as prevalências de propriedades positivas e animais soropositivos para Chlamydophila abortus em ovinos deslanados da região semiárida do Nordeste do Brasil, bem como identificar fatores de risco. Foram colhidas amostras de sangue de 476 ovinos procedentes de 72 propriedades em 14 municípios na mesorregião do Sertão, Estado da Paraíba. Para o diagnóstico sorológico da infecção por Chlamydophila abortus foi utilizada a reação de fixação de complemento (RFC). Uma propriedade foi considerada positiva quando apresentou pelo menos um animal soropositivo. Das 72 propriedades usadas 38 (52,8%) apresentaram pelo menos um animal soropositivo, e dos 476 animais 94 (19,7%) foram soropositivos. Participação em exposições (odds ratio =4,31; IC 95% =1,80-10,35; p=0,011) foi identificada como fator de risco. Sugere-se que a infecção por Chlamydophila abortus encontra-se disseminada em ovinos da região, e baseando-se na análise de fatores de risco, recomenda-se o controle sanitário nas exposições de animais.


#8 - Epidemiological characterization and risk factors associated with leptospirosis in the brazilian semiarid, 32(6):523-528

Abstract in English:

ABSTRACT.- Alves C.J., Alcino J.F., Farias A.E.M., Higino S.S.S., Santos F.A., Azevedo S.S., Costa D.F. & Santos C.S.A.B. 2012. [Epidemiological characterization and risk factors associated with leptospirosis in the brazilian semiarid.] Caracterização epidemiológica e fatores de risco associados à leptospirose em ovinos deslanados do semiárido brasileiro. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(6):523-528. Universidade Federal de Campina Grande, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Unidade Acadêmica de Medicina Veterinária, Av. Universitária s/nº, Patos, PB 58700-970, Brazil. E-mail: clebertja@uol.com.br The aim of this investigation was to determine the herd-level and animal-level prevalence of leptospirosis in sheep from the semiarid of Paraíba State, Northeast Brazil, as well as to identify risk factors. Blood samples were collected from 1,275 sheep from 117 flocks in 19 counties in the Sertão mesoregion, Paraíba. For the serological diagnosis of leptospirosis the microscopic agglutination test (MAT) using 24 Leptospira spp. serovars as antigens was carried out. Of the 117 flocks studied 33 (28.20%) presented at least one seropositive sheep, and of the 1,275 animals 69 (5.41%) were seropositive with titers ranging from 100 to 3,200. Reactant serovars were Autumnalis (49.30%), Andamana (27.53%), Sentot (17.39%), Whitcomb (4.34%) and Australis (1.44%). Herd size > 48 sheep (odds ratio =2.26; 95% CI =1.33-5.07; p=0.021) and participation in animal exhibits (odds ratio =9.05; 95% CI =0.96-85.71; p=0.055) were identified as risk factors. The need was suggested for studies on the isolation of the agent, characterization of its pathogenicity and its economic impact on sheep flocks of the region, and sanitary control in sheep agglomerations was recommended.

Abstract in Portuguese:

RESUMO.- Alves C.J., Alcino J.F., Farias A.E.M., Higino S.S.S., Santos F.A., Azevedo S.S., Costa D.F. & Santos C.S.A.B. 2012. [Epidemiological characterization and risk factors associated with leptospirosis in the brazilian semiarid.] Caracterização epidemiológica e fatores de risco associados à leptospirose em ovinos deslanados do semiárido brasileiro. Pesquisa Veterinária Brasileira 32(6):523-528. Universidade Federal de Campina Grande, Centro de Saúde e Tecnologia Rural, Unidade Acadêmica de Medicina Veterinária, Av. Universitária s/nº, Patos, PB 58700-970, Brazil. E-mail: clebertja@uol.com.br Este trabalho teve como objetivo determinar a prevalência de rebanhos ovinos positivos (focos) e de animais soropositivos para leptospirose na região semiárida do Estado da Paraíba, bem como identificar fatores de risco. Foram colhidas amostras de sangue de 1.275 animais procedentes de 117 rebanhos em 19 municípios da mesorregião do Sertão, Estado da Paraíba. Para o diagnóstico sorológico da leptospirose foi utilizado o teste de soroaglutinação microscópica (SAM), com 24 sorovares de Leptospira spp. como antígenos. Um rebanho foi considerado positivo quando apresentou pelo menos um animal soropositivo. Das 117 propriedades utilizadas 33 (28,20%) apresentaram pelo menos um animal soropositivo, e dos 1.275 animais 69 (5,41%) foram soropositivos, com títulos variando de 100 a 3200. O sorovares reagentes foram Autumnalis (49,30%), Andamana (27,53%), Sentot (17,39%), Whitcomb (4,34%) e Australis (1,44%). Possuir mais de 48 animais no rebanho (odds ratio = 2,26; IC 95% = 1,33 -5,07; p = 0,021) e participação em exposições (odds ratio = 9,05; IC 95% = 0,96 - 85,71; p = 0,055) foram identificados como fatores de risco. Sugere-se a necessidade de estudos acerca do isolamento do agente, da caracterização de sua patogenicidade e do seu impacto econômico nos rebanhos ovinos da região, bem como recomenda-se maior controle sanitário nas aglomerações de animais.


Colégio Brasileiro de Patologia Animal SciELO Brasil CAPES CNPQ UNB UFRRJ CFMV